Acredite se quiser, quando a Editora Arqueiro anunciou que lançaria A Maldição do Tigre no Brasil eu nem liguei, vi a capa e achei bonita, mas nem tentei saber qualquer outra coisa do livro. Poucos meses atrás estava fazendo uma compra e decidi que para não pagar o frete (que era quase o valor de outro livro) iria colocar um outro exemplar na compra, A Maldição do Tigre só foi escolhido porque estava em promoção! E que sorte eu tive de ter pago barato por um dos melhores livros da minha coleção. 

Quando terminei o primeiro volume da Tiger's Curse (Tiger's Saga no USA), fiquei ansiosa porque a foma como o segundo terminou foi, no mínimo, frustrante para mim que fiquei completamente apaixonada pelo tigre branco de olhos azuis. Antes de começar a ler, cuidado pois esta resenha contem spoiler do livro anterior então, se você ainda não leu A Maldição do Tigre e não deseja spoiler, pule para a minha opinião!


O Resgate do Tigre começa com a Kelsey entrando no avião que a levará de volta para o Oregon, para a sua vida normal, não foi fácil se despedir de Ren, mas ela achava que era o correto. Ao chegar em seu país descobre que o Sr. Kedam, na verdade Ren acessorado pelo senhor, providenciou não apenas um carro muito caro, mas uma casa mobiliada e a matrícula em uma faculdade também muito despendiosa e conceituada, sem conseguir mudar a situação ela decide que é melhor se conformar.

Na semana seguinte à sua volta, Kelsey começa a frequentar a faculdade, em geral as disciplinas são bem interessantes e ela não tem muita dificuldade, a única exceção é o latim. Ela vai conseguindo se manter ocupada e, consequentemente, não pensa tanto em Ren. Depois de algum tempo o Sr. Kedam sugere que Kells devia começar a praticar wushu, uma antiga arte marcial. Durantes as aulas a garota conhece Li, um lutador muito bonito e se mostra interessado nela.
—  Uma vez você me perguntou use eu queria ter um lar e uma família. Eu pensava que não pensava que fosse querer isso sem Yesubai, mas vendo você daquele jeito no meu sonho, com aquele bebezinho... sim. Eu quero. Quero aquele bebê. Quero... você. Eu o vi e me senti... possessivo e orgulhoso. Quero a vida que vi em meu sonho mais do que tudo Kells. Achei que deveria saber disso.

Com o passar dos dias ela vai conseguindo se acostumar com a vida normal, sem aventuras e macacos assassinos correndo atrás dela e quando ela acha que tudo está estável, eis que uma mudança acontece, Kells é convidada para três encontros com três rapazes diferentes. O primeiro deles é Archer, um garoto egocêntrico, unha de fome, mal educado e que não a mínima para o que a garota que ele deveria estar agradando no encontro acha, o que faz Kelsey apenas pensar mais ainda no príncipe indiano de modos perfeitos que deixou para trás.

Jason não foi exatamente o contrário de Archer, apesar de terem conversado e o encontro não ser nem de longe tão ruim quanto o anterior, ela ainda não podia dizer que se divertiu no jogo de futebol americano para o qual o garoto a levou, tentou se interessar pelo jogo, mas não deu muito certo e ela se pegou pensando em um certo homem de olhos azuis...

Li a fez se divertir, muito na verdade. Jogaram e ela conheceu os amigos e a família dele. Ele é gentil, paciente, divertido e está disposto a esperar que os sentimentos mal resolvidos de Kelsey pelo ex-namorado sejam resolvidos, durante o Natal enquanto está na casa dos pais adotivos ela decide que vai beijar Li quando eles saírem mais tarde, mas um presente inesperado aparece na casa dos pais dela: Ren em carne, osso e muito charme !

Ren acha que ela deve continuar saindo com Jason e Li, mas deve acrescentar um terceiro pretendente à sua lista, ele. Daí para frente um começa a jogar com o outro, tentando conquistar através de poemas de amor e, o mais importante, fazer com que um beijo aconteça. Mas nem tudo são flores, quando a vida das personagens parecia finalmente estar entrando nos eixos Ren é capturado por Lokesh e Kelsey é obrigada a encarar uma nova aventura em busca do próximo objeto para quebrar a maldição com Kishan, em uma busca que pode matá-la, transformar seus sentimentos e trazer a tona um novo poder...

E eu amei mais O Resgate do Tigre do que poderia imaginar, a evolução da estória e das personagens foi maravilhoso e viciante! Não podia parar de pensar o que aconteceria a seguir. O livro é completo, no começo é um pouco depressivo, já que a Kelsey havia deixado o Ren na Índia, mas nada como a Bella em New Moon, é mais alguém tentando superar uma perda, tentando fazer a vida seguir em frente. Quando o Ren chega as coisas ficam boas (pelo menos para mim), mesmo ele tendo estado presente antes porque a garota não esquecia de pensar nele em momento algum e, para quem não sabe, o livro é narrado em primeira pessoa.



— Kelsey, cada dia que você ficou longe de mim foi uma agonia. Eu fiquei louco. Se o senhor Kedam não tivesse me mantido ocupado cada minuto de cada dia, eu teria tomado um avião na semana seguinte. Eu ouvia pacientemente enquanto ele me instruía, mas só tenho seis horas como humano. Como tigre abri um caminho no tapete do meu quarto de tanto andar de um lado para outro, hora após hora. Nada me acalmava. Eu estava sempre inquieto, um animal selvagem sem... sem sua fêmea.

Tenho que confessar que também me apaixonei pelo tigre negro, esse livro foi focado nele e na relação com a namorada do irmão. As personagens vão se aproximando e isso permite aos leitores uma outra perspectiva dele e é impossível não se apaixonar por Kishan, ele se culpa pelo que aconteceu com os dois, mas ao mesmo tempo está em busca de redenção e é tão protetor  e sedutor quanto Ren.

A capa é linda e eu adorei, mas acho que a do primeiro é mais bonita. Não sei exatamente por quê, mas o tigre branco me parece mais bonito e a diagramação é perfeita, sempre nos remetendo à cultura hindu, aliás eu adoro a forma como a cultura continua a ser apresentada aos leitores de forma leve e muito interessante!

Antes de dar a minha nota para o livro (que parece ser muito óbvia), quero dizer que eu me debulhei em lágrimas com os últimos capítulos chorei a ponto de soluçar! E voltando à nota, cinco estrelas para O Resgate do Tigre me parece o mais junto.

Ahh e eu deixo aqui o meu pedido à Editora Arqueiro que não demore para lançar o terceiro livro e o meu agradecimento à mesma por ter cedido a obra para resenha!


Classificação final:








Título: O Resgate do Tigre
Livro: #2  
Autora: Collen Houck  

Páginas: 432
Tradutor (a): Raquel Zampil
Editora: Arqueiro