[RESENHA] Os Instrumentos Mortais #1: Cidade Dos Ossos - Paraíso Literário

20 de agosto de 2012

[RESENHA] Os Instrumentos Mortais #1: Cidade Dos Ossos


Eu nem sei bem como começar essa resenha, Cidade dos Ossos é um livro que dispensa apresentações e que também marca presença na minha lista de favoritos faz muitos anos. Esse é um daqueles livros que já reli tantas vezes que fica difícil não falar logo de cara "leia porque, nossa, é muito maravilhoso!", mas vou tentar.


No primeiro livro (de seis!) da série Os Instrumentos Mortais somos apresentados a Clary, uma adolescente de 15 anos que presencia um assassinato em uma boate onde estava com seu melhor amigo no Halloween, mas tem um probleminha aqui: aparentemente ninguém mais é capaz de enxergar os criminosos cobertos por tatuagens e carregando armas completamente estranhas!

Assustada Clary volta para casa tentando se convencer de que o que vira não era real. No dia seguinte recebe o aviso de Jocelyn, sua mãe, que elas vão passar uma temporada longe de Nova Iorque, no sítio de Luke, um velho amigo da mãe e o mais próximo de um pai que a garota conhece. Óbvio que a ideia de passar as férias isolada não agrada em nada a adolescente que decide sair com Simon, seu melhor amigo, para um café com poesia e é bem neste momento que ela vê um dos assassinos de novo, que ela vem a descobrir se chamar Jace um garoto loiro, alto, todo tatuado e totalmente sarcástico.

Ao conversar com ele Clary descobre que não é uma simples Mundana, termo usado para designar humanos comuns. Ela possui o dom da Visão e é isso que a faz ver através das magias que encobrem o Mundo das Sombras, o qual abriga criaturas sobrenaturais como lobisomens, vampiros, fadas, demônios, anjos e Caçadores de Sombras (humanos que possuem sangue de anjo ou Nephilim). 

Nada disso parece real e, quando sua mãe é misteriosamente sequestrada, Clary se vê perdida no meio deste novo mundo fantástico e sombrio em busca de um objeto sagrado para os Caçadores de Sombras ao lado de três Nephilins para salvar não apenas Jocelyn, mas toda uma raça que até pouco tempo ela não sabia que existia, de um homem que todos pensaram estar morto. Muitas surpresas aguardam a jovem Clary nesta jornada e segredos do passado de sua mãe vem a tona quando ela menos espera, tornando o seu amor por um jovem Caçador de Sombras proibido.

Eu fiquei horas aqui, tentando escrever essa resenha. Parei, apaguei e comecei tudo de novo pelos menos umas seis vezes porque é impossível falar de Cidade dos Ossos de maneira objetiva e às vezes eu fico presa entre o que gostaria de dizer e o que de fato digo e o porquê disso é bem óbvio: eu sou completamente apaixonada por essa série então minha objetividade fica de lado quando se trata de Os Instrumentos Mortais.

A primeira vez que li este livro, lá em meados de 2008, ele mal era conhecido (certamente não no Brasil!) e por isso eu fiquei muito feliz quando foi publicado aqui pela Galera Record. Sempre achei que o sucesso estrondoso de Os Instrumentos Mortais era não só esperado como justificável.

Apesar de todos se irritarem com a Clary, gosto dela. O motivo é bem simples: ela foi a primeira personagem de um livro que eu li e que não estava atrás de um cara e/ou sofrendo por ele. A jornada dela é para salvar a mãe e no meio do caminho ela acaba se apaixonando. Sem contar que o jeito meio moleca e nada delicado gerou uma identificação praticamente instantânea da minha parte.

Eu caí de amores pelo Jace, e o Alec (um dos Caçadores de Sombras da boate) me irritou no começo da leitura, assim como sua irmã, Isabelle (outra Caçadora de Sombras que também estava na boate). Com o passar da leitura e, especialmente, conforme evoluí na série, entendia as motivações de cada um e eles foram se tornando os meus personagens mais queridos da trilogia junto com o Simon.

Que aliás, por falar em Simon, eu sempre vi um pouco de mim nele também. Toda a "nerdice" dele é tão fofa que fica impossível não cair de amores por ele logo no começo do livro. Ainda que você não torça Climon (Clary e Simon) você torce pela amizade dos dois (e pode até sentir uma certa invejinha!)

 Cassandra Clare sabe apresentar o seu mundo e personagens, assim como domina a arte de fazer um leitor sofrer como ninguém. Pensem aqui comigo: quando li Cidade dos Ossos (em inglês!) o segundo livro, Cidade das Cinzas, ainda não havia sido lançado, então nada de spoiler. Durante esse tempo todo tive que sofrer com a possibilidade de shippar um incesto! Sério, foi total e completamente DESESPERADOR!







Título: Cidade dos Ossos | Série: Os Instrumentos Mortais | Páginas: 476
Autor(a): Cassandra Clare Tradutor(a):  Rita Sussekind | Editora: Galera Record


MAIS DO UNIVERSO SHADOWHUNTER


AS PEÇAS INFERNAIS


OS INSTRUMENTOS MORTAIS


OS ARTIFÍCIOS DAS TREVAS
Dama da Meia-Noite | Senhor das Trevas | Queen of Air and Darkness (sem data de lançamento)


THE LAST HOURS
Chain of Gold (previsto para o final de 2018) | Chain of Iron |Chain of Thorns


THE WIKED POWES (sem títulos ou prevista para depois de 2021) 
Esta trilogia se passará 25 anos depois dos acontecimentos de As Peças Infernais.


THE ELDEST CURSES
The Lost Book of the White | The Black Volume of the Dead | The Red Scrolls of Magic


SPIN-OFF 
As Crônicas de Bane | Contos da Academia de Caçadores de Sombras | O Códex dos Caçadores de Sombras | Notáveis Caçadores de Sombras e Seres do Submundo


OUTROS


Grafic Novel de Cidade dos Ossos | Mangá de As Peças Infernais | Livro de Colorir de Os Instrumentos Mortais | Caçadores de Sombras e Seres do Submundo | Guias Ilustrados

Nenhum comentário:

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.