Sinopse

Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

Faz séculos que conheço a série Irmandade da Adaga Negra, ou simplesmente IAN, o problema é que primeiro eu não tinha comprado os livros e depois que comprei/ganhei de presente no meu aniversário não pude ler, mas quando comecei a ler fiquei viciada!

Darius é um dos seis vampiros guerreiros que fazem parte da Irmandade da Adaga Negra, além de ser um matador muito habilidoso ele também é um pai protetor e é exatamente por isso que vai atrás do companheiro de lutas e rei dos vampiros Wrath, para poder salvar a vida de Beth que passará pela transição logo.

O rei nega o pedido de Darius e antes que este possa tentar achar outra alternativa para salvar a vida da filha é assassinado por um membro da Sociedade Redutora que consiste em um grupo de humanos cujas almas foram trocadas com o perverso Ômega, em troca ele concede aos redutores a vida eterna e matança (de vampiros) garantida, mas estes se tornam impotentes (sexualmente) e perdem a pigmentação da pele e dos cabelos, fazendo com que se tornem todos iguai, mas a característica mais marcantes dessa raça é odor de talco de bebê que emana deles.

Wrath deixou cair a cabeça no perfumado ninho de seu pescoço. 
Devagar recuou o quadril. A ponta de seu pênis ereto deslizou até a posição correta com perfeição, e ele mergulho no corpo dela com uma poderosa arremetida.
Deixou escapar um suspiro de êxtase.
O paraíso; agora sabia como era o paraíso.

Ao sair de uma boate D acaba caindo em uma emboscada onde morre. Isso muda tudo, Wrath se vê em dívida com o Irmão e para tentar se redimir procura Beth, mas a garota que já não estava nada bem, pois naquela mesma noite quando estava indo de casa ela acaba sendo atacada. Para piorar a situação Wrath, sem um pingo de tato com a situação, acaba entrando na casa dela e assusta a jornalista ainda mais.

Vendo como ele assustou a jovem mulher ele acaba indo embora e hipnotizando-a, mas de alguma maneira ainda ela ainda possui a sensação de que algo aconteceu. No dia seguinte ele volta ao apartamento e, não tem como falar isso de outra forma, fazem sexo explica vagamente que ela vai passar por uma mudança e que só ele pode ajudá-la com isso.

Esta série é conhecida por todos que gostam de um New Adult, gênero da literatura mais picante, pois é, algum tempo que li esse livro (em maio!) e desde lá já devorei outros quatro e tenho os outros lançados ali na minha estante, então posso dizer que sou uma grande fã dos Irmãos.

— Beth?
Ela quase perdera a consciência. Completamente entregue às sensações de seu toque.
— Hum?
— Quer saber qual o seu gosto? — disse ele contra os seus seios.
Um longo dedo penetrou seu corpo, como se ele quisesse que soubesse que não estava se referindo à sua boca.
Ela agarrou as costas dele através da camisa de seda, arranhando-o com as unhas.
— Pêssegos — disse ele, movendo-lhe o corpo, deslocando sua boca para baixo, beijando a pele de sua barriga. —, é como comer pêssegos

Não foi ideia minha começar a ler IAN, na verdade foi durante uma conversa entre minha mãe e uma amiga que surgiu o tema: eu deveria ler algum tipo de romance mais picante para que o tema "sexo" não me constrangesse mais, afinal eu tinha quase vinte anos na época. Então eis que ela me perguntou e na hora me veio esta série à cabeça, então ela me deu os dois primeiros e comprei o terceiro em uma promoção.

A princípio fiquei chocada com a quantidade de detalhes que a autora colocou nas páginas, especialmente quando se tratava de uma cena de sexo (esperem muitos detalhes delas!), mas aos poucos me acostumei e comecei a gostar bastante de como as coisas se desenrolaram com o avanço da leitura.

Bom, como qualquer pessoa sensata eu esperei sentir que tinha maturidade para ler esse tipo de coisa (os livros poderiam ter ficado encalhados aqui por séculos, coitadinhos!), por exemplo: eu não deixarei minha prima de dezesseis anos ler essa série (ela já me pediu várias vezes!) porque acredito que seja tão indicado para alguém com menor de dezoito anos quanto um filme com essa temática.

— Sente-se.
— Não me dê ordens.
— Permita-me que conserte as coisas. Sente-se e cale a boca.
— Seu arrogante... 
— Outra pessoa já me chamou assim esta noite, muito obrigado. 

No Brasil a Universo dos Livros já lançou nove livros (e divulgou a capa do décimo - Amante Renascido - que é muito perfeita!), mas a série não tem nenhuma previsão de quando acaba lá fora, até onde eu sei, a autora está no décimo primeiro ou décimo segundo!

Bom, toda a história desses guerreiros e amantes é totalmente irresistível e até o momento eu amo o meu Rei Cego e outros dois (nas devidas resenhas eu comento), a maioria não gosta tanto dele, como sempre faço parte da minoria ele é sim um dos meus preferidos. Amante Sombrio ganha cinco lindas estrelinhas de mim.




Classificação final:



Título: Amante Sombrio
Série: Irmandade da Adaga Negra
Livro: #1
Páginas: 447
Autor(a): J. R. Ward
Tradutor(a): Jaqueline Valpassos
Editora: Universo dos Livros