[RESENHA] Branca de Neve Tem Que Morrer

11/30/2012 Carol Oliveira 0 COMENTÁRIOS


Oi gente, hoje vim falar sobre este livro que superou todas as minhas expectativas com relação a livros de suspense, policial e etc. Espero futuramente ler livros parecidos com ele.


Quando vi no skoob Branca de Neve tem que Morrer, pensei, preciso ler esse livro! Ai fui ler a sinopse do livro e achei um pouco confusa, mas nem liguei para isso. Tem uns livros aqui em casa que eu comprei/ganhei e comecei a ler sem saber nada a respeito, então não teria problema com esse. Vamos ao livro então.



Tudo começa quando onze anos antes quando a cidadezinha de Altenhain sofre com o desaparecimento de duas adolescentes, que nunca voltam a aparecer e a unica coisa que todos tem "certeza" é de que o culpado do acontecido é o jovem Tobias Sartorius. Agora, após cumprir dez anos de prisão, Tobias está de volta a cidade e o clima não é muito acolhedor.


Assim que sai da prisão Tobias volta para casa com o objetivo de esquecer tudo que o tinha acontecido, até porque ele não se lembra do que realmente aconteceu no dia em que as duas garotas desaparecem. Sua amiga de longa data e agora estrela de TV Nadja, que uma vez fora Nathalie, o busca na prisão e o leva de volta ao vilarejo, onde ele encontra o sítio do pai caindo aos pedaços e também descobre que sua mãe havia se separado do pai. Com as coisas indo cada vez pior, Tobias decide arrumar o sítio para assim vende-lo e poder sair de vez de Altenhain com o pai. 

O que ninguém esperava era que a população do vilarejo resolvesse dar de vez um fim ao acontecido, dando um fim em Tobias. Assim então começam os atentados contra ele e sua família. 


Paralelo ao que vinha acontecendo em Altenhain, a Polícia Científica havia encontrado um corpo durante a demolição de um hangar de um aeródromo militar e estava fazendo os estudos para descobrir de quem era o corpo. Logo depois da descoberta do corpo, Pia Kirchhoff é chamada para um acidente onde uma mulher foi jogada de uma passarela em cima dos carros em movimento, assim Pia e Oliver Bodenstein começam a investigar a vida da acidentada, e assim acabam parando no caso de Tobias, que é filho da mulher. É assim que as duas histórias se cruzam e não tem nem uma pausa de emoção.



Sabe aqueles livros que tem uma trama tão bem feita e tão fechada nela mesma que você só consegue descobrir realmente quem é o culpado quando o autor mostra? Bom, Branca de Neve tem que Morrer é assim, chega a ser um pouco angustiante, porque toda vez que você consegue fazer uma rede certinha com todos os culpados, acontece alguma coisa e não é nada do que você pensava. 


Ele é aquele livro que tem muitos personagens, muitos detalhes ao quais você não pode passar despercebido, e ao mesmo tempo não te cansa e não enrola em desenvolver a história. Eu lembro de estar chegando ao ápice do clímax e falar pra quem estivesse perto de mim — Peraê que agora ta ficando bom! — e não parava de ler, até que desvendassem o culpado.


Uma coisa que achei um pouco complicada foram os nomes, porque a história e a Autora são alemães então é tudo muito estranho, para nós brasileiros acostumados com coisas mais simples, ou com sobrenomes em inglês que dá pra se pronunciar, os sobrenomes sim, são complicados. Acho que o mais fácil é o do personagem principal "Sartorius". 



Assim que acabei de ler Branca de Neve tem que Morrer, foi pesquisar mais sobre a autora e acabei me deparando com a noticia de que este é o 4º, sim minha gente, o QUARTO livro da saga policial da Pia e do Bodenstein. Não me perguntem por que que aqui começou pelo 4º livro. A capa dele também não é uma grande produção igual vemos em outros livros por ai, ele é um livro que passa despercebido nas prateleiras, mas acho que por isso ele deveria ser mais divulgado, pois é muito bom!



Bom gente, deixa eu acabar essa resenha antes que eu acabe falando de mais :x Espero que tenham gostado e CONFIRAM Branca de Neve tem que Morrer, pois ele realmente vale a pena!



Classificação Final:






Título: Branca de Neve tem que Morrer
Páginas: 472
Autor(a): Nele Neuhaus
Tradutor(a): Karina Jannini
Editora: Jangada