Ter uma surpresa agradável com um livro é sempre algo muito bom, e foi isso que aconteceu comigo enquanto lia Ladrões de Elite. Já havia lido algumas resenhas sobre o livro e visto alguns comentários que me desanimaram um pouco, mas quando enfim comecei a lê-lo não queria mais parar.

Em Ladrões de Elite somos apresentados Katarina Bishop, uma garota de 15 que estuda em um dos mais conceituados colégios internos, a Colgan. Aparentemente ela é uma garota normal, com uma vida normal, mas as aparências enganam, Katarina pertence a uma família de ladrões de arte e como tal participou de vários roubos principalmente com seu pai, tais roubos são contados na sinopse e durante o livro.


O problema é que ao decidir entrar para a Colgan ela abandonou o "negócio" da família porque queria ter uma vida "normal", mas claro que não seria tão fácil deixar de lado o mundo em que cresceu e devido a certos acontecimentos ela é sugada de volta para a vida que ela desejava deixar para trás.

Logo na saída seu amigo W. W. Hale conta para a nossa heroína que o pai da garota está bastante encrencado, já que roubou quadros muito valiosos (quando digo valiosos, quero dizer inestimáveis!) de um homem muito perigoso. Kat vai atrás do pai em Paris para fazer com que ele devolva os quadros, mas chegando lá ela descobre que ele não tem nada a ver com o roubo em questão, pois ele estava trabalhando na mesma noite.

Convencida de que o pai é inocente ela se despede dele, mas claro que a situação não se encerra por aí, Arturo Taccone é um homem que não gosta de ter prejuízos e como a Interpol está na cola de Bobby Bishop ele trata diretamente com a filha dele e no fim decide dar duas semanas como prazo para a entrega das tais telas, o problema é que nem Bobby e nem Katarina têm a menor ideia de onde elas estão! Em busca dos quadros Kat viaja por vários países com Hale e algumas outras pessoas.

A leitura dessa obra foi muito agradável e me diverti bastante com algumas passagens, como por exemplo quando Kat tenta descobrir o que significam os “W. W.” no nome de Hale, mas nunca tem sucesso. Outra parte com a qual me diverti bastante mesmo é quando Kat coloca uma roupa que mostra um pouco mais do habitual e os meninos meio que surtam!

Enfim, o livro é bastante legal e tem ação em praticamente todas as páginas, o que foi algo que me agradou porque outra vez eu estava naquela fase de só pegar livros com romances, não que eu não goste, mas quando um assunto se faz presente o tempo inteiro é meio enjoativo. A obra é super bem escrita e a autora não deixou nenhuma ponta solta na história, provando que não precisa deixar os leitores se perguntando "como assim?" e "por que isso?" para se escrever uma série. 

Não me lembro de nenhum ponto negativo na narrativa que tenha me chamado a atenção para que eu coloque na resenha, acho que o livro é interessante desde a primeira página, mesmo que nelas a narrativa ainda esteja um pouco lenta, mas isso acontece em todos os livros, já que a introdução, em geral, não tem o mesmo ritmo do restante da narrativa.

A capa do livro é bem lega, mas eu não sou a maior fã dela. Meu verdadeiro grande problema quase sempre com a Sextante ou, no caso, a Arqueiro é a diagramação. Incomoda-me bastante o fato um capítulo terminar e na mesma folha outro ter início, a impressão que fica para mim é a de que o livro está desorganizado.

Antes de anunciar a minha nota, acho válido dizer que o segundo livro dessa série ainda não tem data para ser lançado, o que é uma pena. Na minha humilde opinião a Arqueiro poderia investir um pouco mais nesta série. Sem mais delongas Ladrões de Elite leva quatro estrelas, porque mesmo tendo me apaixonado por ele tenho que dizer que esse livro da série ainda não merece cinco!

Classificação final:


Título: Ladrões De Elite

Série: Ladrões De Elite

Livro: #1

Páginas: 240

Autor(a): Ally Carter

Editora: Arqueiro