[RESENHA] Os Bridgertons #3: Um Perfeito Cavalheiro

4/30/2014 Andressa Costa 1 COMENTÁRIOS

Em Um Perfeito Cavalheiro, terceiro volume da série Os Bridgertons, de Julia Quinn, conhecemos Sophie Beckett, a filha bastarda de um conde que, após sua morte, passa de "enteada" para "criada" de sua madrasta e suas duas filhas. Numa noite, consegue escapar para um baile e lá conhece Benedict Bridgerton, que, mesmo antes de alguma troca de palavras, se encanta pela misteriosa moça. Porém, ao final do baile, Sophie escapa sem nem ter dado seu nome, o que gerou dois anos de frustração para Benedict, que não conseguiu mais tirar a mulher da cabeça.

Sophie Beckett é a cinderela da história. Seu pai, não a reconhecia como filha, mas a acolheu como sua pupila, apesar de todos saberem que ela era filha de quem era. Ela era bem tratada pelos empregados, que se sensibilizavam pela sua situação, e recebeu a educação que toda jovem da sociedade recebe. Quando seu pai se casou, continuou a ser tratada da mesma forma, porém, sua nova madrasta a ameaçava e não deixava que fosse amiga de suas filhas. Com a morte do conde, Sophie perdeu todas as poucas regalias que possuía e passou a ser a criada da casa. Numa noite, com a ajuda dos empregados, consegue ir a um baile de máscaras promovido pela família Bridgerton, onde conhece Benedict, que fica curioso para saber tudo sobre a misteriosa dama de prata que surgiu no baile.

Infelizmente, como o conto da Cinderela, Sophie precisa ir embora à meia-noite, e assim o faz, sem dizer nome, endereço, nada, deixando só uma luva. Dois anos após o ocorrido, Bennedict ainda possui a lembrança da misteriosa mulher de prata, mas vai seguindo sua vida. Sophie conseguiu "se livrar" da madrasta e trabalha como criada para outras famílias. Por acaso do destino, os dois novamente se encontram, quando Benedict a salva de um terrível destino, mas infelizmente não reconhece em Sophie a dama de prata do baile de máscaras, apesar de sentir um fascínio por ela. Ela não diz nada, por estar magoada e por achar que ele nem ao menos lembra de qualquer pessoa que tenha conhecido no baile. Devido ao fascínio de Benedict, os dois criam um tipo de ligação, e assim precisam passar por cima de um obstáculo: a diferença de classes.

Julia Quinn escreve de uma forma tão leve e bem-humorada que a história flui muito rápido. Dos três volumes já lançados, acho que esse talvez seja o mais sério, mas também não perde sua graça. Sophie já sofreu tanto na vida que, apesar das propostas que Benedict à faz, ela mantém sua praticidade, integridade e princípios antes de qualquer desejo que tenha. Outra coisa adorável é, claro, a família Bridgerton <3 Vemos Daphne, Anthony, Colin, e todos os outros familiares destaque para Violet Bridgerton que vai ser responsável pela felicidade alheia. Eles são tão fofos, tão lindos, tão família que fica difícil não gostar!

Com um final empolgante e engraçado, o amor dos dois consegue vencer os obstáculos, mas numa grande reviravolta rs. Enquanto Sophie encontra nele tudo que sempre procurava e que lhe foi injustamente tirado, Benedict, cansado de ser sempre o número 2 da família, finalmente encontra alguém que o faça ser o número 1, e vivem felizes para sempre 

- No baile de máscaras - falou Sophie, com voz trêmula -, mesmo antes de vê-lo, eu o senti. Uma expectativa. Uma mágica. Havia algo no ar. E quando eu me virei e você estava lá, foi como se estivesse esperando por mim, e eu soube que você era o motivo pelo qual eu tinha entrado às escondidas no baile. 
Algo molhado caiu no rosto dela. Uma única lágrima, derramada por ele. 
-Você é o motivo pelo qual eu existo - prosseguiu Sophie baixinho. - O motivo pelo qual eu nasci.


Título: Um Perfeito Cavalheiro | Série: Os Bridgertons | Páginas: 304
Autor(a): Julia Quinn | Tradutor(a): Cássia Zanon | Editora: Arqueiro

1 comentários:

anolrepe disse...

Este livro da serie, acho que foi um dos menos comentados , já que ela se parece muuito com a Gata Borralheira , mas esta autora , é maravilhosa e as passagens engraçadas, rsrsrs estou adorando esta serie, assim como os Hathaways da Lisa Kleypas