[RESENHA] Dragões de Éter #1: Caçadores de Bruxas

10/15/2014 Aninha Goulart 0 COMENTÁRIOS

Bom está é a primeira resenha que eu faço, então vamos as apresentações.... Eu sou Aninha, mineira de Belo Horizonte, tenho 22 anos e agora estou escrevendo para o blog também, mas devo informar-lhes que se hoje escrevo para o Paraíso Literário é por que nossas queridas Jessie e Carol, com jeitinho muito delicado me coagiram a escrever... Então aqui estou, espero que gostem da resenha ;D 

Caçadores de Bruxas se passa em um mundo chamado Nova Éter, que protegido por avatares em forma de fadas, enviadas pelos semideuses criadores. Como em todo mundo existe o bem e o mal, algumas das fadas enviadas a terra para proteger os humanos, acabam ficando suscetíveis aos sentimentos humanos, e por diversos motivos se viram contra aqueles que deveriam proteger. Neste contexto acontece a Caçada de Bruxas, que tem como grande bem feitor Primo Branford, um homem de origem humilde que luta na caçada e acaba com as bruxas.


Após a violenta e histórica Caçada de Bruxas, Primo se torna Rei de Arzallum, constitui uma linda família e saboreia a paz por 20 anos. Porém alguns eventos isolados e que não são tratados com a devida importância, denunciam a volta das temíveis bruxas... Uma menina vê a avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra... Dois irmãos comem estilhaços de vidro e varias coisas horrendas em uma casa ilusoriamente de doces, envolvida pela magia negra de uma bruxa canibal... E no tempo atual, um navio com os piores piratas do mundo ancora no porto da cidade... E a partir destes eventos, tratados de forma isolada... Os piores pesadelos de todos acabam por se tornar realidade, e o mal que a muito acreditavam estar erradicado, ameaça a voltar.

Os fatos tratados neste livro são isolados e ainda assim se completam e tornam-se caminhos para o fato principal: A menina que vê a vó ser atacada por um lobo marcado, os irmãos vitimas da magia negra de uma bruxa canibal, um príncipe herdeiro transformado em sapo e uma princesa dotada de magia branca. São historias que para a maioria de nos já é conhecida, mas você não imaginaria que a menina inocente que viu a avó morrer na verdade não é somente alguém que carrega uma mancha negra no passado, ou que os irmãos atacados por uma bruxa na verdade tem uma grande percepção da magia negra e que a mocinha não espera por ser resgatada, ela usa sua inteligência e seus “instintos” para descobrir o que está acontecendo de errado na cidade, e com o auxilio de um professor dado como maluco excêntrico, mas que na verdade é um gênio, eles começam a ajudar a cidade a descobrir os mistérios que perturbam sua paz.


Raphael Dracon é um autor com uma visão peculiar e encantadora, ele teve o dom de pegar as historias que ouvimos desde a infância como Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, A Princesa e o Sapo, Peter Pan, etc, e nos mostrar que mesmo personagens que já tem histórias definidas e conhecidas podem  ter uma outra história, tão encantadora quanto as anteriores, porem com uma visão uma pouco mais adulta. Ele conseguiu criar uma história única e envolvente com personagens que a maioria das pessoas já conhece.


Bom como todo livro tem aqueles personagens que você ama, e os que você simplesmente acha que deveriam morrer (rs). Bom vamos falar dos que eu gostei e que realmente acho q o Dracon trabalhou muito bem neles: Ariane (a menina que presencia a morte da avó) tem um jeito peculiar e escandaloso que eu realmente gosto, porque ao meu ver deixou ela bem adolescente como a personagem deve ser, mas com o amadurecimento que somente quem passa por situações difíceis tem. Os irmãos Hanson são a personificação da inteligência e do raciocínio rápidos, bom pelo ou menos é assim que eu os vejo, gosto muito de João por que ele tem aquela coisa de adolescente apaixonado que na verdade nem sabe o que está sentindo e mesmo assim não fica sendo um menininho chato, amei Maria por que ela é jovem e determinada, inteligente e que simplesmente não tem medo de dizer o que sente e o que  a incomoda, e exatamente por isso que ela conquista Axel Branford.

Um dos príncipes do reino, Axel é humilde e gosta de lutar, é descrito no livro como o Príncipe a Plebe, enquanto seu irmão Anísio é o Príncipe da Nobreza, o que mais gosto nessa situação é que nos deixa pensando nos “príncipes da vida” e que na verdade ambos tem pontos que você pode encontrar em um amigo seu, mas ainda assim eles são únicos. A visão de que todo príncipe tem dois lados (luzes e trevas) realmente me apaixonou, e embora eu tenha adquirido um verdadeiro amor pelo Axel, também gosto do Anísio. Não tem personagens que eu possa dizer que verdadeiramente odiei, mas acredito que o Rei Primo poderia não ser tão chatinho com algumas coisas, e alguns personagens (Como a ladra Liriel) são irrelevantes, não que eles não tenham importância para a história (porque se o autor os criou, eles devem importar), mas para mim eles entraram e saíram e não fizeram diferença na minha vida.

Achei o livro extremamente interessante e instigante, porém o inicio do livro vem a ser um pouco cansativo, nas primeiras 150 paginas eu cheguei a comparar a escrita de Dracon com a da Lauren Kate (o que para mim é um senhor insulto), o inicio é um pouco cansativo e você acaba tendo a sensação de que os fatos estão sendo lançados aleatoriamente e sem fundamento, o que percebemos mais para frente ser um julgamento errôneo, porem uma coisa que eu particularmente achei cansativa é que logo no inicio do livro ele fica voltando muito ao passado e nos leitores acabamos perdendo um pouco o que está acontecendo no presente (admito que tive de voltar algumas vezes para entender). Tirando estas dificuldades o livro é realmente encantador, então se você tiver vontade de ler, ou tiver começado e largado, eu recomendo que se force a ler, por que é uma história que realmente merece ser lida. 



Título: Caçadores de Bruxas| Série: Dragões de Éter Páginas: 440
Autor(a): Raphael Draccon  | Editora: LeYa

0 comentários: