Olá pessoas \o/ Então hoje é dia de vocês descobrirem o que rolou de interessante e de irritante na Bienal do Livro de Minas (Finalmente \o/). Tiveram muitas coisas legais, e novas, e pra quem foi na Bienal em 2012, ficou encantado com a organização e os expositores que estavam aqui este ano, então vamos aos relatos do que eu observei nos 3 dias que fui.

A Bienal daqui começou no dia 14/11 e terminou dia 23/11, aconteceu no Expominas, que na minha humilde opinião, apesar dos pesares, é o melhor local daqui de BH (Tirando o Mineirinho, mas ainda não chegamos neste patamar) para abrigar a Bienal, por que? Porque é grande, os stands ficam bem distribuídos e é de fácil acesso para todos (porque não importa onde você esteja em BH, sempre tem um ônibus que passa na Av. Amazonas ou alguém que saiba chegar no Expominas).

Haviam muitos expositores, mas nenhum stand especifico da maioria das editoras, haviam muitos stands de livrarias, distribuidoras e autores (o que foi um ponto relevante, já que em 2012 eu não me lembro de ter stand com autores).

A organização estava ótima, em nenhum dos 3 dias em que eu fui eu vi confusão para entrar ou sair, haviam muitas filas obviamente, como sempre tem em eventos grandes, mas não tinha confusão. Algumas pessoas me relataram que acharam a Bienal fraca, do meu ponto de vista, pra quem vai a Bienal em Rio e São Paulo realmente achou fraco, porque Minas ainda não tem este histórico de ter a Bienal como um grande evento, quem sabe em 2016 o evento esteja maior? Nós vamos mesmo crescendo aos poucos, e volto a repetir que para que foi em 2012, percebeu a diferença gritante, a evolução que o evento teve quanto a tudo, desde a organização até os expositores.

Único ponto que eu realmente tenho a reclamar é da organização como um todo do stand da Livraria Leitura, por que? Porque a maioria dos autores nacionais estavam lá para autógrafos e houve muita dificuldade para comprar os livros, uma vez que as prateleiras e pontos de exposição dos livros estavam extremamente desorganizados, haviam livros que não estavam cadastrados no sistema e nenhum funcionário no stand conseguia encontrar os preços, logo muita gente (incluindo eu) saiu de lá sem alguns livros.

Encontrei também muitos stands com preços baixos (De R$ 5,00 a R$ 10,00), a única coisa que nos tínhamos que ter, era paciência para encontrar os livros desejados, porque os livros ficavam todos, de vários gêneros e vários autores, misturados, não estava bagunçado (como foi o caso da leitura), mas tínhamos que ler cada lombar de livro pra achar o que você queria.

O ponto que eu realmente achei mais do que positivo, e que eu havia sentido falta em 2012, foi a quantidade de autores nacionais que estavam presentes lá, além das divulgações nos stands, em alguns deles você passava, e encontrava autores que você nunca nem tinha ouvido falar, mas olhava um livro na estante que te interessava e era tipo “Ei, eu que escrevi este livro”, então houve uma ligação entre os autores e os leitores muito grande,  o que facilitou a divulgação de muitos trabalhos, pois o amigo foi na bienal, conheceu o autor e comprou o livro, e dai indica para vários outros amigos, e eles começam a querer comprar a obra também, nesta Bienal ficou muito nítido o apoio a produção literária nacional, e este é um fato que realmente foi lindo.

Sai da Bienal com muitosss livros nacionais, conheci vários autores maravilhosos, pessoas incríveis com trabalhos sensacionais, e sai de lá no dia 23/11 com a sensação de que nos realmente precisamos conhecer mais os autores que temos aqui, porque a competência e o dom que eles tem para escrever são incríveis, a maioria dos livros que eu vi e comprei são maravilhosos, e as vezes nos ficamos tanto com o pensamento nos materiais que vem do estrangeiro, que acabamos esquecendo do que temos aqui.

Então aguarde que futuramente nos teremos muitas resenhas destes autores incríveis para vocês :D


Deixe um comentário