Hoje nós vamos falar sobre o lançamento do primeiro livro da Trilogia da Branca de Neve, lançado pela Novo Conceito. Vermelho como o sangue é primeiro livro da trilogia (seguido pro Branco como a neve e Preto como o ébano), é uma trilogia muito falada, e eu estava um pouco curiosa para ler...

Lumikki Anderson é uma adolescente de 17 anos, que vive sozinha, longe dos pais e do passado que ela tanto desejou deixar para trás. Agora ela estuda em uma conceituada escola de arte, onde se concentra nos estudos e se matem longe dos holofotes e eventos sociais realizados e dominados pelos garotos e garotas perfeitos da escola...

Sua vida discreta e seu desejo de permanecer invisível desaparecem quando em um momento sozinha, no laboratório de fotografia da escola, ela encontra penduradas para secar uma quantidade absurda de notas manchadas de vermelho e ainda úmidas. Sem querer, e levada pela curiosidade, Lumikki acaba por se envolver no mistério das notas manchadas com sangue. Sua jornada começa quando ela percebe que o mistério que envolve as notas está ligado a policiais corruptos e grandes traficantes da cidade.

O que começa com um simples caso de curiosidade, acaba por levar Lumikki a um grande mistério, e antes que se dê conta, ela está enredada neste universo sem caminho de volta.
O livro é repleto de mistérios e rompantes que somente o mundo do crime como o conhecemos pode nos proporcionar. Lumikki tem um passado do qual quer fugir, o que nos deixa intrigados e loucos para saber o que a tornou o que ela é hoje, e como ela aprendeu as coisas que sabe.

Quando se envolve no mistério, percebemos que Lumikki já se envolveu em muito mais coisas do que revela, e que estas coisas a deixaram com uma perspicácia e certos dons para desvendar as coisas.

Eu particularmente esperava que o livro fosse ser algum tipo de romance policial com uma personagem incrível, que iria desvendar coisas com sua incrível inteligência, não sei se o fato de a autora meio ter se apegado a continuação, e ai o livro ficou repleto de informações vazias e sem fundamento, deixando o raciocínio perdido no meio do caminho em alguns pontos, pareceu-me, com essas perdas, que na verdade a Lumikki não é uma adolescente diferente e misteriosa, que usa sua inteligência pra desvendar as coisas, ela é simplesmente uma adolescente intrometida e curiosa, que se enredou em um caminho sem volta.

Acredito que a trilogia realmente possa ser boa, mas a perda de alguns raciocínios ( e este é um fato constante no livro), acaba por meio que desanimar e deixar o leitor impaciente. Espero que a sequencia mostre que eu estou errada, e que os buracos deixados por Vermelho Como o Sangue sejam tampados, e assim possamos admirar está trilogia. 


Título: Vermelho Como o Sangue | Série: Trilogia Branca de Neve | Páginas: 239
Autor(a): Salla Simukka | Tradutor(a): Bárbara Menezes | Editora: Novo Conceito

2 Comentários

Mariana Fontana Szewkies disse...

Oi Aninha!
Eu acho que algumas histórias não merecem serem transformadas em trilogias. Parece ser o caso dessa. Talvez muitos dos buracos que o livro deixou vieram da intenção da autora de esticar a história para mais dois livros e isso, pelo jeito, não era necessário.
Beijos
alemdacontracapa.blogspot.com

Coleções Literárias disse...

Você escreve muito bem. Adorei a resenha.
É chato mesmo quando a idéia é boa, mas a uma perda de raciocínio. Essa é a primeira resenha que leio sobre esse livro, estou um pouco receosa, mas ainda assim quero ler.
Adoreeii seu blog, estou seguindo.

Ahh assista meu vídeo e se inscreva no canal para me ajudar.

http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2015/02/video-resenha-uma-vida-para-sempre.html

bjs

Deixe um comentário