[RESENHA] Fifty Shades #1: Cinquenta Tons Cinza - Paraíso Literário

4 de março de 2015

[RESENHA] Fifty Shades #1: Cinquenta Tons Cinza


Oiii seus lindos, vamos falar um pouquinho sobre Cinquenta Tons de Cinza? Este livro que estourou algum tempo atrás e que me deixou tão viciada quanto a maioria das pessoas, o que por consequência me fez ler em uma só sentada, então bora conferir o que eu achei o porquê acredito que está obra está fazendo tanto sucesso?


Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos.

Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.

Cinquenta tons é uma trilogia pura e completamente Hot, então estejam cientes que que quando começam as cenas de sexo, elas vão desemboladas até o fim do livro, e não que eu ache isto um ponto ruim, mas neste primeiro livro não da para esperar mais do que realmente é: um cara meio “bizarro” e uma menina total e completamente inexperiente que começa a descobrir a vida com este cara, assim ela meio que é apresentada ao “bizarro” primeiro para depois conhecer o normal.

Eu considero o Christian meio “bizarro” não por seus gostos sexuais, mas porque acho ele aquele tipo de cara sufocante e super protetor ao ponto de ser bizarro. O personagem é atormentado sim, tem vários problemas psicológicos sim (que para mim são bem apresentados no segundo livro), mas existem traços dele que não são justificados pelos problemas que ele tem, assim são só traços de personalidade mesmo (como a tendência a assumir posse de tudo o que ele acha que pertence a ele) e tudo bem também, mas acho que estes traços que são derivados da personalidade e não dos “demônios interiores” poderiam ter sido melhor trabalhados, de forma a fazer com que o leitor aceitasse bem, ainda que não se identificasse.

Ana é uma mulher total e completamente vulnerável, com uma auto estima baixa e um tanto quanto irritante, mas nenhum traço da personagem é tão irritante quanto a “Deusa Interior” dela, serio gente a todo momento que eu lia o livro eu pensava no filme da Lizzie McGuire- Um Sonho Popstar (onde a Lizzie tem uma bonequinha que aparece no fim da tela e fica desfilando ou falando coisas que são do inconsciente da personagem), mas nem de longe tão legal quanto a do filme. Em alguns pontos eu achei a personagem bem forte, por não ter experiência nenhuma e acabar aceitando experimentar coisas das quais ela desconhecia, mas ainda assim a maior parte do livro ela fica se questionando o que o Christian viu nela e isso me incomoda muito.

Outro ponto que mostra que Christian é meio bizarro é o contrato que ele apresenta seus “termos” para Ana, serio gente que faz um negocio desses? E preciso dizer que é a parte mais chata do livro, que ocupa varias paginas de varias coisas que no fim das contas são meio inúteis.

De uma forma geral eu gostei muito do livro, é uma história que atrai e prende a gente porque a escrita da autora é muito fácil, então a leitura é bem fluida, mesmo o livro sendo grande. A edição é bem fofinha, com folhas amareladas, o que também ajuda na hora de fluir a leitura porque não agride muito os olhos.

É uma obra para quem quer uma leitura rápida e de conteúdo sexual, que faz a gente imaginar varias coisas e pensar no que é aceitável ou não em uma relação. Durante toda a leitura eu ficava pensando “isso até que da pra ir” ou “isso aqui é completamente inaceitável”, mas estes pensamentos também vão de acordo com as convicções de cada leitor, o que me faz pensar que todo mundo deveria ler, nem que seja para dizer que nunca faria algo assim na vida.







Título: Cinquenta Tons de Cinza | Série: Fifty Shades | Páginas: 480Autor(a): E. L. James  | Editora: Intrínseca

Nenhum comentário:

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.