[RESENHA] Apenas Um Dia

5/23/2015 Carol Oliveira 7 COMENTÁRIOS

Oi gente hoje vim falar para vocês desse livro que foi lançado tem um tempinho, e só agora que a sua continuação foi lançada que eu realmente me animei de lê-lo. Apenas Um Dia é da autora Gayle Forman, sim a mesma autora de Se Eu Ficar, e ele conta a história de Allyson que após terminar o ensino médio e antes de ingressar na faculdade, ganha de seus pais “a viagem de sua vida”, viagem essa que ela faz com sua melhor amiga Melanie, pela Europa.

Quando elas estão na última parada de sua viagem em grupo, conhecem uma trupe que apresenta Shakespeare na rua, e então um dos jovens chama atenção de Allyson e as convida para assistir a apresentação, e sendo assim elas fogem do grupo e vão assistir.


“— Ah, é um conto de fadas legal, mas é isso que é. Um conto de fadas. Acho que Shakespeare tem a obrigação de dar um final feliz aos personagens de suas comédias porque é muito cruel nas tragédias. Quero dizer. Hamlet. Ou Romeu e Julieta. É quase sádico.”

Depois de assistirem a apresentação elas voltam para o hotel pois no dia seguinte vão para Londres passar os últimos dois dias de viagem por lá. Mas por obra do destino ou seria acaso, Allyson acaba encontrando com o menino que as convidou para ver a peça no trem para Londres e eles acabam conversando e Willem então propõe levar Allyson em uma viagem de um dia por Paris, já que durante o tour do grupo de viagens elas tiveram que pular a Cidade. E assim Allyson se desafia a não ser a pessoa que sempre foi e se transforma na personagem que Willem criou para ela, Lulu, uma jovem ousada que não pensa de mais no que esta fazendo e sempre fala o que sente de verdade para o completo estranho que a está levando a Paris, uma cidade completamente desconhecida e com um idioma totalmente diferente e que ela não fala.

“E essa é a verdade. Posso ter 18 anos, mas já me parece bem óbvio que o mundo está dividido em dois grupos: o dos que fazem e o dos que observam. As pessoas com as quais as coisas acontecem e o restante de nós, que meio que se arrasta sobre as coisas. As Lulus e as Allysons.”

E assim Allyson e Willem passam um dia de aventuras e descobertas em Paris, um dia que ficará marcado para sempre na mente dos dois, um dia de muitos acasos, mas que não termina de uma forma boa, pelo menos não para Allyson. 

Quando ela acorda sozinha no squat (um tipo de galpão de artes) em que eles passaram a noite, ela entra em desespero e consegue um jeito de sair de Paris e voltar para Londres, mas acaba largando para trás sua bagagem, a personagem que ela interpretou por um dia (ou seria ela mesma?) e Willem.

“— É preciso se apaixonar para estar apaixonado, mas se apaixonar não é o mesmo que estar apaixonado. Você já se apaixonou?”

Ao voltar para sua vida normal, nos EUA, ela logo sai da casa dos pais e começa na faculdade em Boston, longe de todos Allyson começa a se fechar para todos que tentam se aproximar dela, ela também começa a reavaliar sua relação com sua família, principalmente sua mãe, que logo percebemos, controla a vida de Allyson nos mínimos detalhes, o que chega a ser um tanto quanto irritante. Nesse meio tempo suas médias também começam a cair, assim ela acaba trocando muitas de suas disciplinas técnicas para o curso de medicina por disciplinas optativas, e uma de suas novas aulas é Declamação de Shakespeare, onde conhece Dee.

Dee aparenta ser um cara totalmente seguro de si. E eles acabam virando uma dupla um tanto quanto esquisita. Estudando em silêncio e sem realmente conhecer um ao outro acabam virando amigos até que um dia Allyson forçada a interpretar Rosalinda, acaba redescobrindo tudo que vinha tentando sufocar desde o fatídico dia em Paris. E então ela se abre com Dee, e conta tudo o que realmente aconteceu. E também ela começa a enfim se dar conta que ela precisa de um desfecho, precisa de um fim, precisa saber o que realmente aconteceu naquele dia em Paris, para depois de tudo Willem ter simplesmente sumido. 

Em meio a tudo isso Allyson ainda vive uma crise com seus pais a perda de sua melhor amiga e também a descoberta de sua verdadeira identidade, afinal ela é Allyson ou Lulu? 

Gente, confesso que eu não tinha posto muita fé nesse livro, mas acabei me surpreendendo. Vemos a personagem principal passar por várias mudanças para finalmente descobrir seu “verdadeiro eu”, e também vários personagens diferentes que vão aparecendo em sua jornada em busca da verdade. 

Confesso que a parte que mais me interessou no inicio do livro foram as viagens, tudo que Willem contava para ela e também o que eles viveram em Paris naquele único dia! Mas no final da leitura eu já estava desesperada gritado em pensamento “NÃAAAAAO, NÃO PODE ACABAR ASSIM, PRECISO DE APENAS UM ANO URGENTEEEEEE!” sorte a minha hehe ele já estava previsto para lançar este mês e sendo assim só estou no aguardo da Editora Novo Conceito para poder vir contar para vocês o desfecho da história de Allyson e Willem, e depois de tudo o que Allyson descobriu, o que irá acontecer? O que aconteceu com ele durante esse um ano em que Allyson sofria com o famoso “e se?” O que vem depois do fim? 

“— Diga-me... Quanto tempo pretendes ficar com ela depois que ela for tua?
[...]
— Para sempre e mais um dia.
[...]
— Diga “um dia” e se esqueça do “para sempre”.”



Título: Apenas Um Dia | Série: Apenas Um Dia | Páginas: 384 

Autor(a): Gayle Forman | Tradutor(a): ... | Editora: Novo Conceito

7 comentários:

também li esse livro a pouco tempo, ja fazia um tempão que estava na minha lista de desejados, de formas muito diferentes ele mexeu comigo! é tão intenso e tão doido pensar que tudo pode mudar em um dia!
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

RUDYNALVA disse...

Carol!
Tive oportunidade de ler esse livro e outros 2 da autora e fiquei encantada com a forma como ela cria toda história e a ponto de nos sentirmos envolvidos como se estivéssemos vivendo o mesmo que a protagonista.
Amei também a forma como Allyson se libertou das amarras interiores e enfrentou toda a aventura ao lado de Willem.
Muito boa sua análise.
“Os homens não desejam aquilo que fazem, mas os objetivos que os levam a fazer aquilo que fazem.”(Platão)
Cheirinhos
Rudy
http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

Sueli Cobbos disse...

Li esse livro há pouco tempo e fiquei no ar quando acabou. Queria muito a continuação para saber o que aconteceu aos dois e não é que descubro que o segundo já está vindo por aí. Aguardando para ler a continuação e saber o que vai acontecer com Allyson Lulu) e Willem.

jainegallo disse...

gostei do livro...e tbm qro saber o q acontece com eles......

Eu particularmente não gostei desse livro, achei a protagonista irritante, chata e infantil e apesar dela ir amadurecendo ao longo do livro, ainda achei ela um porre!
O mocinho é lindo e apaixonante.
Acho que essa autora deve ser parecida com a protagonista, pq ela sempre acaba escrevendo livros com as mocinhas chatas do mesmo jeito... Só acho!

Beijos!
Viviane Gonçalves

Thuanne Souza disse...

Olá,



Fiquei super curiosa pra conhecer essa história! Parece ser bem surpreendente. Deve ser muito bom.
E gostei desses trechos :)


Beijo.

Geente eu tô com a impressão que já escutei alguém me contar essa história antes, mas não sei quem foi, mas de uma coisa eu sei, se eu achar esse livro na sebo eu compro kkkkk