[RESENHA] Os Instrumentos Mortais #5: Cidade das Almas Perdidas

6/01/2015 Jessie 3 COMENTÁRIOS


Os Instrumentos Mortais dispensa qualquer apresentação, certo? Então não o farei. Faz um tempo que li City of Lost Souls e, séculos atrpas eu reli o livro em inglês mesmo, e há algum tempo que a Galera Record lançou Cidade das Almas Perdidas aqui e, como minha coleção está em português, decidi que só postaria a resenha depois que pudesse falar sobre a tradução feita.


Para quem ainda não leu os livros anteriores e não quer spoiler eu recomendo que passe direto para a minha opinião porque esta resenha possui informações de outros livros da série.


Depois de Lilith ser derrotada pela Marca de Caim todos haviam acreditado que finalmente teriam um tempo de paz, mas as coisas nunca são fáceis para esse grupo de amigos. Ao voltar ao terraço logo depois dos acontecimentos daquela noite Clary percebe que Jace e Sebastian, que estava morto-vivo em um caixão com fluidos demoníacos, não estão mais lá.

A Clave é imediatamente acionada e Clary precisa explicar algumas coisas que eles sabiam como o fato de seu amado namorado ter voltado da morte quando Valentim invocou o Anjo Raziel para destruir a Cidade de Vidro. Ter um Caçador de Sombras como Sebastian solto não é algo reconfortante porque ele representa uma ameaça real. 

O Conclave de Nova Iorque não pode mais manter a busca pelos dois depois de tantos dias pois acreditam que eles nem estejam mais na cidade, assim eles decidem parar de procurar, mas Isabelle, Alec, Clary, Simon e Magnus não desistiriam assim tão fácil de uma pessoa importante para eles (okay, não tão importante assim pro Magnus!), o problema é que não importa o quanto usem magia, o paradeiro dos dois continua uma incógnita.

Só não importa o que aconteça com Jace ele nunca poderia deixar sua amada pra trás, certo? Assim ele vai atrás dela e dessa forma o grupo de amigos descobre exatamente a extensão do feitiço de Lilith: tudo o que acontecer fisicamente com um deles, afetará o outro diretamente e em igual proporção, além disso Sebastian tem um vínculo psíquico com Jace que faz com que este faça basicamente tudo que ele deseja acreditando que seja uma atitude correta. Se ferir um ferirá o outro então como eles poderão matar Sebastian e fazer com que Jace continue vivo? 

O tempo está correndo e eles precisarão descobrir a solução para isso antes que a Clave descubra tudo e se envolva, porque para eles a vida de um jovem Caçador de Sombras, mesmo um excepcional como Jace, não é tão valiosa assim se comparada a tudo que pode ser perdido. Dessa vez eles vão precisar de uma ajuda do Céu para resolver a confusão em que se meteram, mas quanto isso pode custar?

Cidade das Almas Perdidas traz uma visão completamente nova de Os Instrumentos Mortais para o leitor. Há mais cenas Clace e isso torna o livro mais romântico, em algumas partes realmente meloso, mas também nos da algumas cenas um pouco mais picantes entre os dois, principalmente porque agora Jace está sem muitos pudores (influência do Sebby?). Pra quem shippa o casal, como eu, é bacana, mas a Cassie "errou um pouco a mão" na quantidade e isso deixou a narrativa um pouco irritante.

Por outro lado eu quase me enganei com o Sebby, minha personagem favorita desde que apareceu em Cidade de Vidro. Pra ser bem sincera ele realmente me enganou por um momento. Sebastian está mais psicótico do que nunca e isso faz dele ainda mais charmoso. Algumas coisas sobre o passado dele são revelados e durante todo o livro me peguei pensando se ele seria assim, tão mau, se não fosse pela influência negativa do pai, pra essa pergunta a própria Cassandra Clare já respondeu que Jonathan/Sebastian seria diferente se tivesse sido criado pela mãe.

Coisas que todos gostamos: ao que tudo indica Sizzy finalmente vai desenrolar, a Isabelle finalmente conseguiu admitir que sente algo pelo Simon e eles voltaram a se relacionar. O lado ruim: tem alguém aqui que shippe Malec? Para vocês eu vou logo avisando: preparem o coração porque o fim desse livro vai acabar com ele.

A tradução está boa, não li tudo porque fazia pouco tempo que tinha relido o livro, mas foi o suficiente pra poder falar, tem alguns problemas, mas é tolerável e não se perde muito. Sobre a capa: talvez seja minha favorita justamente por trazer Clace nela, realmente fico entre ela e a de Cidade do Fogo Celestial. A parte interna do livro segue o padrão dos exemplares anteriores da série e como o meu é primeira edição tem brilhos (quase tanto quanto o Magnus!).

Os últimos capítulos de Cidade das Almas Perdidas não te deixa nem piscar, tanta coisa importante acontece, tanta reviravolta que o leitor fecha o livro em choque. O gancho deixado pro próximo livro é tão espetacular que nem se a Cassie quiser consegue estragar a estória. 

Para quem ainda não sabe City of Heavenly Fire, Cidade do Fogo Celestial no Brasil, sexto e último livro da série, foi lançado em abril do ano passado e chegou pouco tempo depois aqui no Brasil, claro que já li e que em breve pretendo comentar tudo aqui com vocês sobre esse que foi a minha melhor leitura do ano passado.

3 comentários:

Milena Soares disse...

Ainda não li nenhum livro da série Os Instrumentos Mortais, cada resenha que vejo dos livros me deixa ainda mais interessada em ler essa série, todos as resenhas são super positivas, em breve irei conferi isso tudo que comentam.

Natalia Rocha disse...

Oi Jessie, estou na página 250 do livro depois que consegui todos quero muito terminar a série. Eu estava começando a gostar do Sebastian :( Meu coração já esta despedaçado depois do que li sobre Malec, mas também o Alec e esses encontros com camille estava na cara que ia dar errado.
Beijos

Linick Ulisses disse...

Estou louco pra ler toda a série, comecei a ler o primeiro só que era emprestado e tive q devolver😢