[RESENHA] Deuses do Egito #1: O Despertar do Príncipe

1/25/2016 Aninha Goulart 0 COMENTÁRIOS


Oiiii gente \o/ Hoje vou contar para vocês o que achei de O Despertar do Príncipe, primeiro volume de Deuses do Egito. Admito que eu estava em um conflito enorme para ler este livro por motivos dê: Eu me recusava a aceitar que ela parou de escrever O Sonho do Tigre (ou algo assim que seria mais um volume da serie A Maldição do Tigre), para escrever uma serie sobre deuses do Egito. Para mim era inaceitável ela deixar meus tigres de lado (meus e de meio mundo, mas no momento eu estou exercendo meu monopólio, obrigado) pra falar sobre deuses do Egito. E aí, se a Colleen pudesse me dizer algo seria: “Pega esse livro e lê logo, ao invés de ficar conversando fiado”. Então vamos para a resenha não é mesmo?

Liliana Young é uma adolescente de 17 anos, que vive uma vida aparentemente invejável, regada a muito dinheiro e roupas de grife; morando em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem sucedidos.  Liliana tem liberdade para explorar a cidade, desde que siga todas as ordens dos pais, tire notas altas na escola e faça amizade somente com aqueles que os pais julgarem adequados a uma garota em sua posição.

Tudo o que Liliana deseja é escolher uma boa faculdade e fazer o possível para não decepcionar seus pais, ainda que o que eles acreditem ser o melhor é simplesmente fútil e desnecessário para a menina. Porém  em um momento decisivo de sua vida, em que ela se encontra em seu local preferido da cidade (no Metropolitan Museum Of Art), escolhendo para qual universidade entre aquelas que já foram previamente aprovadas por seus pais ela deverá ir, Liliana se depara com o inesperado e inacreditável: seu caminho é cruzado por uma múmia na seção egípcia.

Amon é um príncipe do Egito com a missão de juntamente com seus irmãos, proteger a humanidade do grande mal que é o deus do caos Seth. Mas para isso ele precisa despertar seus irmãos no Vale dos Reis - Egito. Algo ocorreu de diferente neste despertar, pois ao invés de despertar de seu sono de mil anos ao lado dos irmãos no Egito, ele desperta em um famoso museu em Nova York.

Quando Amon cruza o caminho de Liliana uma força irresistível faz a garota centrada e que segue sempre um mesmo padrão, programar seguir o príncipe egípcio. E essa força que a atrai é somente o principio de uma grande e apaixonante aventura.

A Colleen sempre se mostra incrível, a trama da história é muito bem escrita e todos os personagens são bem desenvolvidos. Liliana (que em determinado momento se aceita como Lily, e é uma descoberta ótima que a personagem tem de si mesma) é uma personagem encantadora, inteligente e segura. Ela é bonita e sabe que é (fato que não a torna esnobe, só segura quanto a sua própria aparência), embora ela tenha alguns momentos de insegurança. Para mim, esses momentos são plenamente justificáveis, ela sabe os dons que tem e o que quer e luta por isto; fora a sede de conhecimento que acaba nos ajudando a conhecer mais sobre as histórias egípcias. 

Amon é o clássico príncipe pelo qual nós sabemos que vamos acabar nos apaixonando. Ele me lembrou muito o Ren (Aninha você esta dizendo que Amon é uma cópia? Eu não disse isso, então, por favor, não interpretem errado, só disse que me lembra), pelo senso de proteção e de dever, mas ele também é meio convencido pelo fato de saber o que é, e o poder que tem. E embora às vezes ele tenha me irritado com todo o senso de dever que ele possui, é simplesmente impossível não terminar a história apaixonada por ele.

Todos os outros personagens que aparecem no decorrer da história para ajudar ou atrapalhar a jornada de Lily e Amon são incríveis, muito bem escritos e com características especificas que os tornam únicos e complemente compreensíveis. É simplesmente maravilhoso como cada personagem é essencial para que a história se amarre.

É sempre muito difícil ler e gostar de uma história que tem não somente magia, mas também elementos atemporais, e como eu disse no inicio da resenha eu estava reticente sobre ler o livro, porque tenho um apego (extra exagerado? Talvez) à história de A Maldição do Tigre, e a Colleen simplesmente me deu um tapa de luva e divamente disse: “Vai ler esse livro, se apaixonar e sofrer aqui querida, porque quem entende de escrever histórias incríveis aqui sou eu!” (Sim eu converso com os autores na minha cabeça e eles me respondem. Talvez eu tenha algum tipo de problema? Talvez). 

E agora eu estou completamente apaixonada pela história, chorei muito, ri muito e aprendi muito. A mitologia egípcia é incrível e apaixonante. Embora soubesse de algumas coisas, eu me vi extasiada com as novas informações, e assim como Lily se encanta com tudo e aceita as coisas de uma maneira divertida e com um tom de ironia leve, eu me vi vivendo aquilo tudo, e admito que a um bom tempo uma história não me transporta assim para seu mundo.

A história é incrível e apaixonante, fiquei com o coração em pedaços? Sim, pois de certa forma ainda que já imaginasse o final da história, eu esperava que fosse diferente para evitar meu sofrimento e desespero, pois agora eu preciso urgentemente da sequencia que ainda vai demorar um pouco para sair. O que nos resta agora é só esperar.

Título: O Despertar do Príncipe | Série: Deuses do Egito | Páginas: 377 | Autor(a): Collen Houck 
Tradutor(a): Fernanda Abreu | Editora: Arqueiro

0 comentários:

Obrigada por compartilhar conosco a sua opinião