[RESENHA] Pensei Que Fosse Verdade

9/05/2016 Tiffannyk 19 COMENTÁRIOS

Oi gente, infelizmente hoje não tem os caras gostosos, pelo menos não como eu sempre trago, mas sim uma versão mirim (Cass te amamos <3). Hoje a resenha é sobre aquele livro do projeto "Vamos Ler Juntos" da Editora Valentina, que vocês conheceram aqui nesse post.


Já vou confessando logo que quando a editora convidou a gente para participar do projeto e eu li a resenha do livro, achei que era uma história com adultos, só quando o livro chegou é que eu percebi que era um livro com adolescentes, mas tudo bem, aceitei, respirei e fui ler (gente nada contra adolescente, mas não é muito minha vibe). Não é que o livro me pegou totalmente?


Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também seja o seu destino, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu - ou da ilha -, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade - sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma - com o que de fato é.

Gwen é uma adolescente comum, filha de pais separados, que vive na ilha de SeaShell com sua mãe, seu avô português, seu primo e seu irmãozinho com necessidades especiais. Nos verões, para arrumar uma grana e dar aquela mãozinha pro seu pai, ela faz bico como garçonete na lanchonete da família. E essa é basicamente a expectativa que as pessoas tem dela: ocupar o lugar dos seus pais.  Coisa que ela não está nem um pouco interessada, por isso vê na faculdade uma chance de escapar do destino nem um pouco atrativo, mas antes dessa mudança fantástica acontecer, ela vai ter de lidar com seu último ano na ilha e as consequências dos seus atos do verão passado.

Gwen agora tem uma reputação ruim na escola, graças a Spencer e Cass, dois garotos ricos que acabaram na mesma escola que ela, depois de serem expulsos de sua antiga escola para gente rica na cidade. Como se não bastasse, ter de conviver com os dois o ano inteiro, além de só nos verões, Cass ainda pegou um trabalho na equipe de manutenção da ilha. Ignorar o menino que quebrou seu coração não vai ser fácil, mas Gwen acredita que tem a força para isso. Porém tudo parece ir contra essa resolução, lagostas, podadores de grama, moitas. Tudo é motivo para que os dois se esbarrem.

Como se trata de uma livro em primeira pessoa, conhecemos a Gwen de dentro para fora, uma menina fora de série, que ama sua família, que está disposta a cometer certos sacrificios e que ainda não compreendeu que o que as pessoas pensam dela, no final não interfere muito no que ela é.

Cassidy vai muito além do esteriótipo de menino rico que não tem responsabilidades. Como o novo "José" (Nome pelo qual os veranistas chamam os trabalhadores) da ilha, percebemos o quanto ele é comprometido e valente, ele é o menino que fez uma festa só para poder ver Gwen, que mesmo com tudo que aconteceu entre eles, sabe que tem sua parcela de culpa e tenta consertar o seu lado do problema. Sabe se afastar quando necessário e exige o que é seu por mérito.

Os outros personagens também são muito legais e importantes para essa história. Vivien é a única dos três (Gwen, Nic e Vivien) que aceita um futuro na ilha, o que vai contra o que Nic quer, que é ser um oficial da Guarda Costeira, o que complica as coisas, já que os dois são um casal. Spencer é o melhor amigo de Cass, um playboy que vê na ilha diversão e nada mais. A maioria dos problemas de Cass são por influência dele e bem, não é que ele seja ruim, ele é só um adolescente com pais ausentes e nenhum limite. Emory, o irmão de Gwen poderia ser um fardo para todo mundo, mas é tão fofinho que até a gente quer abraçar ele apertado e cuidar dele.

A mãe de Gwen e sua nova empregadora Sra. Ellington são casos a parte, gostei muito das duas por serem bem avoadinhas e espirituosas e tive uma empatia quase automática, por que as duas amam livros de banca (aqueles com capas questionáveis e enredos mirabolantes e sensuais). O avô da Gwen é um português bem maroto e gentil. O pai dela é por ora o mais responsável do livro e o mais ranzinza também. Ele se culpa pelas oportunidades que perdeu ao casar e ter filhos cedo de mais (com 17/18 anos) e se cobra bastante por ser o provedor da família. Só não digo que gosto dele porque ele é muito duro com Emory.

Como nem tudo são flores, eu não sei se foi uma coisa da minha cabeça, mas eu achei que há um pequeno furinho do enredo. Gwen aceita trabalhar para Sra. Ellington de 9h as 16h, mas em algumas cenas acontece tantas coisas pela manhã que parece que ela vai para o trabalho atrasada, ou tantas coisas a noite (americanos e esses dias com 400h de sol) que eu as vezes custava para me situar no espaço-tempo do livro.

Pensei Que Era Verdade é uma história divertida, jovem e muito gostosa de ler. Os personagens são cativantes (menos a Vivien, eu ainda odeio você) e o livro é bem rápido. Huntley consegue dar vida aos personagens com maestria, mostrando adolescentes bem reais. Ora confiantes e outras vezes não, e é essa roda gigante que dá ritmo ao livro.

A capa é linda (amei a paleta de cores e os padrões) e a diagramação é bem caprichosa, pessoalmente eu não gostei da primeira palavra de cada capítulo ser em letra cursiva, mas isso é completamente pessoal mesmo. Queria agradecer a editora por chamar o blog para participar do projeto, amei ler o livro e no fim eu quis morar em uma ilha para poder passar os meus dias pulando de pontes e píers na água.

Título: Pensei Que Fosse Verdade | Páginas: 335 | Autor(a): Huntley Fitzpatrick
 Tradução: Heloísa Leal | Editora: Valentina

19 comentários:

- fecprates disse...

Olá
Eu não conhecia o título, mas achei a premissa bem interessante, especialmente porque eu já gosto de conferir histórias com essa ambientação/estilo. E claro, adorei poder ler seus comentários a respeito, e gostaria de poder ler também.
Beijos, Fer
www.segredosemlivros.com

Ivi Campos disse...

A Valentina fez um trabalho de divulgação bem forte com este livro, mas essa é a primeira resenha que leio dele e nem sabia do que se tratatava. Fiquei pensando nessa coisa das horas que você mencionou e acho que quando vier a ler o livro, vou reparar bem nisso!!!
Adorei a resenha!!!
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Grazi Moraes disse...

Olá amore,
Sou suspeita a falar porque adoro histórias de adolescentes, me fazem lembrar da época em que fui adolescente rsrsrs, então pra mim de cara não serie um problema.
Adoro ainda mais esse momento pré faculdade... mudanças na vida... ai que saudades...
Uma pena que tenha furos... acontece, mais não deveria néh rsrsr

Beijokas!
www.facesdeumacapa.com.br

Larissa Escuer disse...

Oie!
Fiquei muito interessada no livro principalmente por conta da premissa e da capa que é extremamente bonita (gosto desse estilo), enfim, obrigada pela indicação.
Beijos, Lari
segredosdeumacerejeira.blogspot.com

Olá!
Gostei de conhecer esse livro. Nunca soube nada dele e sua resenha me fez sentir cativada pelo enredo. Gosto de "dramas familiares", embora esse carregue um quê de narrativa cômica muito interessante. Espero conhecer a Cass e ter a chance de me envolver com ela. <3

Beijos!
http://www.myqueenside.com.br

Michele Lopez disse...

Olá,
Tramas com crianças e adolescentes também não é muito minha vibe, mas achei a premissa bem interessante e acho que me surpreenderia assim como você.
Dei muita risada pensando nos americanos e suas 400h de sol rsrs
Realmente parece ser uma leitura bem divertida e fico feliz que a diagramação esteja bem caprichosa.

http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

Olá!
Eu vi o projeto da Valentina e quis muito participar, mas não deu certo. Adorei ler sua resenha e confesso que eu tinha a impressão que era um romance adulto também, mas, mesmo sendo adolescente parece que foi muito bom.
Esses dias de 400h me incomodam também. Gostei da personalidade da Gwen e espero dar uma oportunidade em breve.
Beijos

Olá! Amei sua resenha, super completa e me deixou muito curiosa para ler! Não conhecia ainda, já estou colocando na listinha do skoob, será que essa questão do tempo vai me incomodar também?
Xoxo,

Luana do lovereadmybooks.blogspot.com.br

Olá! Tudo bem?
Acho que foi aqui mesmo que vi sobre a proposta e quase participei, mas como estava com muita leitura atrasada, acabei deixando passar. Adorei sua resenha e fiquei interessada na leitura do livro, ao contrário de vc, gosto de livros com adolescentes, acho interessante a perspectiva, desde que o autor seja bom! O livro já está na minha lista, só preciso de tempo para ler!
Bj

Carol Mendes disse...

Que legal o projeto, não conhecia!
Primeiramente adorei a capa, eu compraria só por ela, HAHA. E adorei saber que, mesmo livros adolescentes não serem do seu gosto, você adorou o livro. Isso é muito bom, porque eu que gosto devo adorar então.
Obrigada pela dica!

Virando Amor

Olá!! :)

Eu nunca tinha ouvido falar deste livro mas gostei da premissa e quero ler em breve! :) Que bom que gostaste! :)

Realmente, e ótimo elrmos uma historia de leitura boa, divertida e com personagens cativantes! :) Também ameia capa! :)

Boas leituras!! ;)
no-conforto-dos-livros.webnode.com

Menina, acabei me identificando quando você comentou sobre acontecer tanta coisa pela manhã que parecia que o dia já tinha acabado. Acebi de ler algo mais ou menos assim. Não sei como o povo não se atrasava para o trabalho...
Bjs!

Olá
Eu tinha visto a capa rolando nas redes sociais e estava super curiosa para saber do que se tratava, mas mesmo com a capa maravilhosa sempre deixava para depois.Essa foi a primeira resenha que leio do livro e estou apaixonada pela premissa e sua resenha, adorei saber que a narração é em primeira pessoa gosto desse tipo de narração entendo melhor os personagens. A leitura parece ser bem fluida e rápida. Dica ja anotada .Beijos

Maria Valéria disse...

não sei, mas o livro me parece bem leitura de verão mesmo, tanto pela capa como pelo que vc falou na resenha rssrsr
de qualquer forma, não leria por não curtir esse gênero literário, mas pelo que percebi é uma leitura leve e despretensiosa...eu ri das 400 horas de sol hahahahaha
bjs ^^

Olá,já havia lido outras resenhas desse livro, também da ação da valentina em ler vários blogs juntos e pelo que estou percebendo o livro está trazendo uma briga de amor e ódio entre os leitos, pois alguns não gostaram nada e você adorou, ele não parece ser uma história que chame muito minha atenção no momento, mas quem sabe um dia

Oi, tudo bem?

Acho que conheci o livro exatamente nesse post que você citou no começo e confesso que, assim como você, pensei que se tratasse de adultos no enredo, fiquei surpresa. Mas como eu sou uma eterna adolescente, acho que vou gostar muito do livro, principalmente por saber que a leitura foi muito prazerosa pra você. Espero ter a oportunidade de conferi-la logo.
Obrigada pela indicação.

Ingrid Cristina
Plataforma 9 3/4

Eu gosto de livros juvenis, mas este não me chamou a atenção. Para mim falta algo. Mas que bom que o livro pegou você de jeito. É tão bom quando nos surpreendemos positivamente com uma leitura, né? Achei a capa bonita, passa uma ideia de leveza.

Tatiana

Speak Cinema disse...

Hi baby, tudo bem? não conhecia esse livro mas que bom que você gostou dele, furos de enredo sempre tem mas mesmo assim eles não prejudicaram esse livro o que me deixou com muita vontade de ler! minha lista de futuras leituras está enorme mas vou add ele hehe

Lilian Valentim
http://speakcinema.blogspot.com.br/
beijinhos

Um livro com uma premissa muito interessante, o qual eu espero que o desenvolvimento seja tão bom quanto. Embora a tua resenha deixe claro que a leitura é das melhores.
Os personagens parecem ser daqueles que vamos amar ou odiar com força e confesso que isso sempre me atrai.
Abraços.

Obrigada por compartilhar conosco a sua opinião