[RESENHA] #Girlboss

3/02/2017 Tiffannyk 1 COMENTÁRIOS


Esse é um livro que eu queria ler a muito tempo, por que na época em que ele foi lançado viralizou de um jeito absurdo. Confesso que pra mim Nasty Gal era --e ainda é-- a lojinha com roupas estranhas que eu conheci graças a Urban Outfitters e o google, que não sei por que, me vendeu a NG como similar a UO.

Porém a Nasty é bem mais que uma "festa estranha com gente esquisita", então deixa eu começar logo essa resenha para você também entender como a Nasty Gal (ou melhor, a Sophia Amouruso) é a #GIRLBOSS que todas queremos ser.

Sophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Aos 22 anos ela havia se conformado em ter um emprego, mas ainda estava sem grana, sem rumo e fazendo um trabalho medíocre que assumiu por causa do seguro-saúde. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Além da história de Sophia, o livro cobre vários outros assuntos e prova que ser bem-sucedido não tem nada a ver com a sua popularidade; o sucesso tem mais a ver com confiar nos seus instintos e seguir a sua intuição. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso.

Esse livro me lembrou muito o slogan do nosso antigo governo: "Brasil: um país de oportunidades", mesmo que o livro não se passe no nosso amado país. O fato é, você vai ouvir muito por aí (se for procurar a história da Sophia) que o que aconteceu com a CEO da Nasty Gal foi pura sorte.

No começo do livro eu também pensei exatamente assim, mas conforme Amoruso ia contando mais das suas desventuras eu ia notando que começar seu empreendimento em meio a uma econômia estável, o era a combinação perfeita com a tenacidade de Sophia.

A Nasty Gal nasceu da vontade e autenticidade de Sophia e de uma época muito próspera do EUA e do mundo virtual.

Não importa onde você está na vida, você vai poupar muito tempo ao não se preocupar demais com o que os outros pensam de você [...]. Você é quem você é, então, acostume-se com isso.

Vejam bem, Sophie não tinha "talento" para nada na vida. Sofrendo de TDA, a escola não foi um lugar que ela ficou muito tempo,  como a maioria dos adolescentes que eu conheci, ela odiava o sistema (aí os anos 90 e o quando tivemos que fazer merda para a geração Y ser livre, leve e solta rs) e viveu grande parte da sua vida correndo atrás de um ideal bem utópico de conseguir viver a margem do capitalismo (ela nunca vai conseguir agradecer o chute que ele deu na bunda -agora- rica dela), cometendo pequenos crimes, comendo coisas do lixo e namorando caras que moravam em casas da árvore. Ela era uma fracassada que a gente sente ser quando começa a ler esse livro.

#GIRLBOSS, não é sobre auto-ajuda, mas sobre sobrevivência e exemplos de vida. Não é como se a maioria de nós vai ter uma vida de merda como a que ela viveu por um tempo, mas Sophia tinha um não pertencimento dentro de si, no qual eu compartilho totalmente (e aposto que você também), então ler esse livro é como estar numa reunião do AA e finalmente alguém vai te entender.

Em 2010, depois que a Nasty Gal saiu do eBay e passou a ser uma empresa formal, eu tinha quase um milhão de dólares no banco. Quando as vendas aumentavam, perto das festas de fim de ano, eu ficava tirando fotos da tela toda vez que o saldo da conta subia, porque eu não sabia se algum dia veria novamente tanto dinheiro acumulado. Eu queria lembrar, para sempre, como eram ter tantos zeros juntos.

O livro conta a história da NastyGal e o crescimento pessoal de Sophia, em alguns momentos o discurso "seja uma girl boss" fica um pouco maçante, por que é quase impossível ter a garra que o conceito vende 24/7 na vida. Mas como Sophie Amoruso diz bem no começo do livro, esse não é um guia para ser bem sucedido na vida. Você pode ser uma #GIRLBOSS, fazendo o melhor que você pode e sendo até medíocre as vezes, só não se conforme.



Essa é a lição do livro, não seja só mais um conformado no mundo, seja curioso, vigoroso e se arrisque. Sophia Amoruso construiu uma das marcas de vestuário mais valiosas, sem dívidas ou empréstimos bancários (não foi tino para os negócios, o crédito dela era horrível), começou a Nasty Gal por que queria um emprego que não tivesse que lidar com gente, descobriu o ebay (lar da NG quando nasceu) porque tinha muito tempo livre em um emprego de merda que ela arrumou só para ter seguro saúde e curar uma hérnia.

Quando terminei de ler, entendi então a viralidade quando ele foi lançado. Sophia Amoruso impressionante, não por ter feio sua loja no eBay alcançar números astronômicos ou por a Nasty Gal ainda ser um dos e-commerces que mais cresce. Sophia é genial por que é uma garota original, desbocada e que não deixou o resultado do que ele trabalhou para ter subir a cabeça. Um ótimo exemplo para qualquer garota inquieta espalhada pelo mundo a fora.

Além de ser um livro incrível para você ler, foi o primeiro ebook (li no Kobo) 100% bem diagramado que eu li na vida, o que me fez ficar ainda mais entusiasmada em ler uma página depois da outra como se não houvesse amanhã, muito obrigada Seoman, pelo trabalho excepcional. Como eu já disse mil vezes (eu acho rs), sou designer e pra mim capa e diagramação broxam mais que enredos sem sentido.


Título: Girl Boss | Páginas: 496 | Autor(a): Sophia Amoruso 
Tradutor(a): Ludimila Hashimoto | Editora: Seoman

1 comentários:

Jessie disse...

Oi Tiff!!

Então eu adorei a resenha! O que me deixou mais interessada no livro é o fato de ele não ser autoajuda e mesmo assim trazer certos ensinamentos para o leitor, sem mencionar que já o título já traz aquela ideia de ser meio que um livro mais voltado para a mulher.

Outra coisa que me fez ficar ainda mais interessada no livro é o fato da Sofia sofrer (isso ficou estranho, Sofia sofrer pareceu um trava-línguas hahahaha #viajei!) de TDA e mesmo assim conseguir realizar tanto!

Adorei a dica e você realmente inspirada para escrever a resenha ;)

Beijinhos