[RESENHA] O Amor Não Tem Leis

3/21/2017 Jessie 0 COMENTÁRIOS


É indiscutível que um dos gêneros mais vendidos hoje em dia são os romances com conteúdo adulto e, para ser bem sincera, gosto bastante do gênero, mesmo me frustrando com a história desenvolvida pelos autores e autoras uma boa parte do tempo. O caso é que O Amor Não Tem Leis, que é exatamente um desses livros adultos, fez com que eu ficasse apaixonada pela história de Clara e Ferraz e admirasse mais uma autora nacional!


Alexandre Ferraz é um advogado penalista renomado, desde que seu pai se aposentou ele assumiu o escritório e agora comanda com firmeza o lugar, que ganhou ainda mais credibilidade. Ele e o irmão mais novo, Diego, trabalham duro para manter o padrão do escritório, mas diferente do caçula da família Ferraz, Alexandre não é tão sociável e uma de suas regras na empresa é "nada de estagiários", pelo menos para ele. Então o jovem advogado fica revoltado quando o pai designa uma amiguinha da irmã mais nova para ficar sob a sua supervisão no estágio da empresa.

Maria Clara, por outro lado, não andou exatamente comprometida com a faculdade de Direito, ela trancou o curso por um ano para viajar com um cantor famoso pelo mundo, claro que seus pais não sabiam disso e imaginavam que ela estava no Canadá aprimorando o seu inglês. Então, quando a jovem precisa de horas de estágio para concluir a faculdade ela recorre a sua antiga amiga, Priscila Ferraz, para ajudá-la a conseguir uma vaga de estagiária em um dos melhores escritórios do país, com um dos melhores penalistas brasileiros.

O que Ferraz não esperava é que a amiguinha da irmã fosse uma mulher absolutamente linda e completamente sexy. Já Clara não esperava que o seu chefe não fosse ser um senhor de idade, ela fica surpresa ao descobrir que ele não é só irresistível, mas que também teria que lidar com uma grande tensão sexual.

Claro que nenhum deles vai conseguir resistir durante muito tempo, claro. Eles acabam se rendendo ao desejo não muito depois de se conhecerem, mas mesmo que a noite tenha sido a melhor de todas para ambos eles já decidiram: ela será a única. Mexido com o sexo que aconteceu com Clara, Ferraz quer porque quer outras noites, mas ela acaba colocando o chefe em seu devido lugar e avisando que não vai acontecer um revive do que aconteceu e isso o atormenta ainda mais. Alê não está acostumado a levar "não" em sua vida.

É quando ele começa a tecer um plano que tem tudo pra fazer Clara implorar por ele, ele começa a ignorá-la e só tratar de assuntos profissionais com ela, o que, certamente, confunde a cabeça da mulher. O golpe final é dado depois de ela tê-lo visto em um júri e decidir que não aguentaria mais um dia e quando finalmente! ela decidi que quer uma nova noite com ele o que acontece? Ela o vê com outra mulher, uma amiga de longa data na verdade, mas Clara não sabe disso. Isso a deixa com ciúme e ela sai pra beber.

Na boate, com Laís, sua outra melhor amiga Clara já bebeu bastante quando encontram Bruno, um advogado que é amigo de Ferraz. Por causa de um enorme mal-entendido os dois voltam a ficar juntos, mas não sem antes acertarem alguns pontos... O problema é que ela esconde um grande segredo que pode dificultar muito a vida deles dois.

Como já disse no começo da resenha, eu realmente gosto desse gênero e um dia vou explicar mais pra vocês... Mas focando nesse livro: eu adorei! A escrita da Camila é fluida e realmente te prende. Claro que o livro tem seus clichês, mas a Clara é uma protagonista tão diferente do que estou acostumada, nada da bobinha que é insegura e totalmente irritante! Maria Clara é obstinada e feminista, não tem nenhum medo de mostrar sua feminilidade e, maquiagem e saltos não são um problema pra ela.

Mas ela é uma jovem mulher de 23 anos que já passou por uma coisa terrível, não tem a vida perfeita e em tons de rosa. Ela é forte porque aprendeu a ser e, mesmo assim, tem suas fragilidades. Clara é uma das personagens mais reais que tive o prazer de ter contato. Já Alexandre parece ter sido inspirado em um grande amigo meu, enquanto lia vi tantos traços do meu mencionado amigo no Alê que era até assustador! E acredito que por isso mesmo eu me "apaixonei" por ele, foi bem interessante a experiência. 

Outras coisas, no entanto, me incomodaram. A questão do ciúme doentio do Ferraz era um tanto assustador e sou o tipo de pessoa que não acredita que ciúme, ou o sentimento de posse, sejam provas de amor. Todo livro que leio tem isso, toda vez fico incomodada. Clara também me deixa um tanto frustrada em alguns momentos e isso é só mais uma coisa que sempre vai acontecer porque pessoas me frustram na vida real então como poderia ser diferente na literatura? Bom, tem um vocabulário bem tenso, se é que vocês me entendem, mas, por incrível que pareça, não me incomodou.

Não posso esquecer de comentar apenas mais duas coisas: achei essa capa um tanto constrangedora para se ler em público. Eu entendo o gênero do livro, mas não seria possível uma coisa mais discreta? E a segunda é que o livro tem uma carga dramática legal no final (eu inclusive chorei e ainda fiquei revoltada com o final!), então não é só cena de sexo o tempo todo, apesar de serem muitas!

Você tem mais de 18 anos e gosta do gênero? Eu recomendo que não perca tempo e leia logo O Amor Não Tem Leis e se junte aos fãs do Lobo Mau. Faz alguns anos desde que os dois livros foram lançados, mas esta duologia gerou um spin-off que fala sobre o Derek, (Minha Melodia foi publicado ano passado pela Suma!) e tudo nos leva a crer que a Camila anda trabalhando num livro dedicado ao Diego.



0 comentários: