[RESENHA] Quase Inocentes…

6/15/2017 Aninha Goulart 1 COMENTÁRIOS


Oi seus lindos, hoje vim falar um pouquinho para vocês do meu livro preferido da vida (depois de Harry Potter claro!), mas esta é aquele tipo de obra que sempre leio inclusive quando estou com ressaca literária pois acho a história incrível. Não é um livro comum e, para falar a verdade, não conheço ninguém que já o tenha lido, mesmo porque Quase Inocentes... veio parar na minha mão por um acaso, pois minha mãe comprou uma revista onde e a obra em questão veio de brinde. Então deixem-me contar porque amo tanto esta história.

Para proteger seu querido tio, Leah devolve secretamente os objetos que ele tem o hábito de pegar de pessoas desavisadas. Mas certo dia o excêntrico velhinho escolhe o alvo errado. Ao ser surpreendida por um dos convidados do conde de Instep, tentando devolver o pertence roubado, Leah é forçada a concordar em ajudar Jack Morgan a surrupiar da residência do conde uma safira de inestimável valor, a qual ele diz pertencer a ele por direito.

Neste ponto é impossível Leah ter certeza se Jack diz a verdade quanto ao verdadeiro dono da pedra, não é mais fácil, à medida que a festa avança noite adentro, ignorar o olhar penetrante e o charme sedutor daquele homem o qual está determinado a reaver o que lhe pertence. Jack vê em Leah a pessoa ideal para ajudá-lo a alcançar este objetivo. Linda e inteligente, aquela mulher é capaz de realizar façanhas impossíveis. É bom Jack não se descuidar ou logo ela roubará para sempre o seu coração.

Gente pensem em livro pelo qual eu não dava nada, é um romance de banca que como veio de brinde e li só só porque estava ali de bobeira. Acabei ficando perdidamente apaixonada pela história que é sim, ambientada em outra época e possui elementos sexuais, mas não do tipo que estamos acostumados hoje me dia, pois o sexo é um desdobramento da narrativa e acontece em determinada parte da história uma vez que a relação do casal evolui o suficiente para isto.

O foco da trama é o mistério do roubo da safira, a qual vai sendo desenvolvida de maneira surpreendente deixa o leitor sem folego uma vez que estamos falando de um livro curto e, por esta razão, a sequencia de fatos é rápida. Acho importante ressaltar que a narrativa tem o ponto de vista de um terceiro que lê os diários dos personagens principais, então isso não nos deixa perdidos dentro dos acontecimentos envolvendo a joia. Também preciso ressaltar que achei muito interessante esta maneira de contar a história porque sabemos o que aconteceu apenas de acordo com o que as personagens acharam importante escrever em seus respectivos diários.

É uma história simples, com personagens encantadores e sem um vilão (o que também é bem raro!), embora às vezes fique parecendo que um ou outro personagem seria o pária, nos acabamos descobrindo que tudo tem um motivo, pelo ou menos dentro de uma realidade para ladrões e que nenhuma das pessoas ali é de fato ruim, apenas estavam tentando alcançar um objetivo. Muito parecido com as pessoas de carne e osso, não?

Cada personagem é muito bem construído e encantador, Leah é uma mulher extremamente forte que não perdeu a delicadeza apesar de tudo o que lhe aconteceu. Jack é o que mais me surpreendeu, porque gostei dele logo de cara e quando descobrimos sua história verdadeira, aí meus amores, é que vamos nos apaixonar mesmo. 






Título: Quase Inocentes... Páginas: 122 |Autor(a): Melynda Skinner 
Editora: Nova Cultural Ano: 2006

1 comentários:

Jessie disse...

Oi Aninha!

É muito bom quando um livro nos surpreende assim né? E a trama parece ser bem emocionante, sem mencionar que a trama parece ter um ritmo muito bom o que ajuda a prender o leitor.

Adorei a resenha!
Beijinhos
Jessie