[RESENHA] As Peças Infernais #1: Anjo Mecânico

8/08/2017 Jessie 2 COMENTÁRIOS


Era para essas resenhas terem saído a um século e meio atrás, mas já que estamos perto do lançamento de Senhor das Sombras vamos falar muito de Cassandra Clare aqui no blog. Anjo Mecânico da início a uma das minhas trilogias favoritas: As Peças Infernais! Faz alguns muitos anos que li os três livros (estou relendo agora como postei no Instagram do blog, porque deu saudade!) que foram lançados aqui no Brasil pela Galera Record e mesmo tendo passado esse tempo todo, acredito que ainda seja interessante compartilhar as minhas opiniões sobre os livros com vocês.
Theresa ou Tessa Gray vê sua vida mudar radicalmente depois que sua tia morre, órfã e com apenas um irmão vivo a menina se vê forçada a pegar um navio e ir para Londres morar com Nathaniel, seu irmão, mas quando chega lá é recebida por um colcheiro e duas mulheres, todos muito estranhos, mas como possuíam uma carta do irmão a garota decide confiar naquelas pessoas. As mencionadas mulheres são irmãs e atendem pelo nome de Sra. Dark e Sra. Black e são conhecidas como Irmãs Sombrias.

No bilhete de Nate dizia que elas seriam encarregadas de levar a garota para casa pois este estaria muito ocupado no trabalho, mas na verdade as duas senhoras sequestram Tessa e a obrigam desenvolver um dom cuja existência a garota não fazia ideia que possuia antes daquele momento. Quando ela finalmente tem controle sobre o seu dom (que na verdade é visto por ela durante boa parte do livro como uma maldição) descobre que uma figura muito sinistra conhecida apenas como o Magistrado é quem comanda suas sequestradoras e que ele tem a intenção de se casar com a jovem.

Semanas antes de Tessa chegar a Londres, dois Caçadores de Sombras, Will e Jem, acham o corpo de uma garota em um beco depois de ter sangrado até a morte, aparentemente tem um toque de sobrenatural no assassinato da jovem, então a investigação se torna obrigação dos Nephilins. É durante esta investigação que Will encontra Tessa na Casa Sombria e a ajuda a fugir de lá, eles vão para o Instituto do Londres que é comandado por Charllote e o marido, Henry (que na verdade não comanda coisa nenhuma!) e onde também vivem Jassamine e outras figuras que conhecemos melhor no decorrer do livro.

Ao demonstrar seu poder aos Caçadores de Sombras todos ficam assombrados, mas a parte que realmente intriga os Caçadores é que Tessa não apenas se  transforma de outros é o fato de que ela pode acessar as memórias da pessoa cuja aparência assumir um tipo de poder completamente desconhecido na história do Submundo e o provável motivo de o Magistrado a querer. Cheio de ação, romance e reviravoltas, Anjo Mecânico vai fazer com que você não queira parar de ler até chegar a última página.

Sou apaixonada pela forma como a Cassandra Clare escreve e cria suas personagens, fazendo todas serem de alguma forma parecidas e da mesma maneira totalmente únicos, para mim ela é uma escritora brilhante. Anjo Mecânico foi muito mais do que poderia sequer imaginar, sempre deixei claro que tinha expectativas muito altas em relação a ele quando o li pela primeira vez, mas de alguma forma a leitura se mostrou melhor do que estava imaginado e cada vez que releio parece me apresentar um fato que não tinha dado valor antes.

Toda a trama é sólida e bem construída, mas não é só isso que me chamou atenção, temos nomes muito conhecidos de Os Instrumentos Mortais, na verdade sobrenomes conhecidos... Herondele, Lightwood, Fairchild e Wayland são aqueles dos quais me recordo agora. O fato do livro se passar em 1876 é outro grande atrativo para mim, a Londres Vitoriana foi um dos fatores que me fez querer ler logo esta nova série da Cassie, mas aqui entra um problema, a tradutora não foi tão formal quanto devia na primeira edição (que é a única sobre a qual posso falar).

Preciso falar um pouquinho de alguns personagens pelos quais me apaixonei de maneira absoluta para vocês, o Will é bem parecido com o Jace quando o assunto é rebeldia e humor negro, mas é um pouco mais rude que ele, o que não gostei, mas ele também sabe ser gentil quando quer. A Tessa é uma garota forte e eu a adorei, corajosa, ligada a seus princípios e que defende o irmão de forma implacável e ao mesmo tempo é uma romântica e uma leitora voraz. Jem é sensível, doce, resiliente e me apaixonei por ele, também é um Caçador de Sombras muito hábil, um amigo leal e alguém que tenta superar uma terrível doença, algo que achei admirável. Charllote é outra mulher forte que adorei, ela comanda o Instituto sem a ajuda do marido, porque Henry aparentemente só se interessa por suas invenções. Muito corajosa e decidida para a sua idade, foi uma das personagens que mais gostei, além de ser como uma mãe ou irmã mais velha para os órfãos do lugar.

Li logo que foi lançado então por isso tenho os livros em inglês e português. A minha queixa vem no tocante a tradução (da primeira edição!), havia passagens onde o "me" vinha logo depois da vírgula e várias vezes ocorreu o erro de colocar o pronome "eu" antes do nome da outra personagem em uma conversa (algo que de jeito nenhum aconteceria naquela época pois era-se muito mais formal), por exemplo em um diálogo entre Will e Henry, o primeiro diz "eu e Henry" e isto é muito informal (até considerado errado pela norma padrão do português!), então a falta de precisão na tradução quanto ao jeito que se falava no Brasil em 1879, algo que a Cassie conseguiu colocar no livro original e por isso o inglês de As Peças Infernais é mais rebuscado (e complicado!) do que o de Os Instrumentos Mortais.

Sei que os erros acima citados parecem pequenos, mas como já disse a obra original tinha um vocabulário extremamente rigoroso (tanto que demorei para ler na época, pois meu inglês não era tão bom!). Cheguei a ver expressão contemporânea na minha versão! Sim, sou detalhista e acho que há outros leitores também são, por isso acredito que seja muito interessante falar em uma resenha este tipo de coisa e espero que os livros da segunda tiragem e seguintes tenham esse tipo de problema corrigido! É importante ressaltar que não sei se atualmente as edições continuam assim porque como disse li a primeira edição que saiu aqui no Brasil (comente e me conte se consertaram ou não essas coisas - ou se você nem notou!)

Quanto a obra em si não tenho nada do que reclamar, muito pelo contrário, fiquei numa ressaca literária horrorosa e terminei o livro em pouquíssimos dias e, devo ressaltar, Anjo Mecânico é (assim como Os Instrumentos Mortais) narrado em terceira pessoa, coisa que raramente me agrada e que dificulta a minha capacidade de ler rápido (sem mencionar o fato de que ele não é nada fininho!), mas que com a narrativa da Cassie funciona bem pra mim.

A diagramação é como a de Os Instrumentos Mortais com exceção de que aqui vamos ter logo abaixo do nome dos capítulos temos um trecho de poesia, o nome do autor e do livro, porque a Tessa é uma leitora compulsiva, fato que me fez gostar ainda mais dela, devo dizer. A capa é perfeita e acho que nem preciso comentar como fico babando por ela até hoje, mas o efeito holográfico (nome bonito pros brilhinhos!) são só na primeira tiragem mesmo.

A reviravolta desse livro é tão chocante quanto a de Cidade dos Ossos, mesmo uma sendo extremamente diferente da outra, mas vou me abster de falar qualquer outra coisa sobre ela porque não quero dar spoiler para ninguém que ainda não leu. Só mais uma consideração é necessária: mesmo sendo ambientada no mesmo universo as duas séries, Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais, são extremamente diferentes!









Título: Anjo Mecânico | Série: As Peças Infernais | Páginas: 392 
Autor(a): Cassandra Calre | Tradutor(a):  Rita Sussekind | Editora: Galera Record


MAIS DO UNIVERSO SHADOWHUNTER


AS PEÇAS INFERNAIS
Anjo Mecânico | Príncipe Mecânico | Princesa Mecânica


OS INSTRUMENTOS MORTAIS
Cidade dos Ossos | Cidade das Cinzas | Cidade de Vidro | Cidade dos Anjos Caídos | Cidade das Almas Perdidas | Cidade do Fogo Celestial


OS ARTIFÍCIOS DAS TREVAS
Dama da Meia-Noite | Senhor das Trevas (lançamento 04/09) | Queen of Air and Darkness (sem data de lançamento)


THE LAST HOURS
Chain of Gold (previsto para o final de 2018) | Chain of Iron |Chain of Thorns


THE WIKED POWES (sem títulos ou prevista para depois de 2021) 
Esta trilogia se passará 25 anos depois dos acontecimentos de As Peças Infernais.


THE ELDEST CURSES
The Lost Book of the White | The Black Volume of the Dead | The Red Scrolls of Magic


SPIN-OFF 
As Crônicas de Bane | Contos da Academia de Caçadores de Sombras | O Códex dos Caçadores de Sombras | Notáveis Caçadores de Sombras e Seres do Submundo


OUTROS
Grafic Novel de Cidade dos Ossos | Mangá de As Peças Infernais | Livro de Colorir de Os Instrumentos Mortais | Caçadores de Sombras e Seres do Submundo | Guias Ilustrados

2 comentários:

Lana Silva disse...

Sempre tive vontade de ler esta série, mas infelizmente ainda não tive oportunidade de adquirir o box. Pela sua resenha vejo que você fez um comparativo da edição inglesa, para a Brasileira, e vejo que a tradução não e assim tão fiel. Realmente a autora consegue escrever personagem concretos, com trama envolvente, e cativante.


Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

Clara de Assis disse...

Eu estava querendo muito ler o livro, mas naquela de: vou esperar pela resenha e ver qual é. Foi ótimo você ter escrito sobre, o fato de ter as reviravoltas que eu tanto amo, foi o que me fez optar por comprar. Como estarei na Bienal, é lá que vou caçar o livro pra eu ler no caminho pra casa rsrs.
Adorei a resenha, como sempre, mostrando o ponto de vista sem dar spoiler.