[RESENHA] Fifty Shades #1.5: Grey

8/24/2017 Aninha Goulart 13 COMENTÁRIOS


Oiii seus lindos, a um tempinho atrás nos finalmente terminamos as resenhas da trilogia Cinquenta Tons, mas para vocês não dizerem que eu estou enrolando e deixando de falar de tudo sobre esta serie (sim série porque eu estou sentindo que este não será o último livro rs) aqui estou para contar para vocês quais foram as minhas impressões sobre Grey.

Neste livro nos temos a história Cinquenta Tons de Cinza, mas desta vez pelos olhos de Christian, acompanhamos um pouco da vida do Sr. Grey antes Ana entrar em seu escritório os momentos em que eles não estão juntos. Tenho de admitir que gostei muito mais de Grey do que de Cinquenta Tons de Cinza.

A minha preferência pela narração dele é bem simples: detesto o ponto de vista da Ana com aquela deusa interior fabricada pelo capeta (a ideia daquela deusa é tão ridícula só pode ser inspiração do capiroto!) e com a narração do Christian não tem (apesar de ele chamar a Ana de deusa em pensamento uma ou duas vezes, fico imaginando se a E.L. James realmente tem uma amor especial com essa palavra) e apesar de todas as inseguranças que ele tem, por conta de seus problemas psicológicos (fica mais fácil entender tudo depois de ler os outros três livros!) ele não é mimizento igual a Ana e isso é um super ponto positivo.

Existem elementos neste livro que obviamente não tem nos outros (porque não tem como a Ana saber o que se passa na cabeça dele)o que torna a narrativa dele interessante ainda que já se conheça o final. O livro ficou grande sim, tem pontos chatos sim (afinal é a história do primeiro livro, então tem que ter partes chatas porque o primeiro livro as têm!), mas eles acabam sendo irrelevantes por conta do resto da história, mas principalmente pela maneira nova que ela está sendo contada aqui.

Queria muito que a E.L. James escrevesse Cinquenta Tons Mais Escuros a partir do ponto de vista do Christian, porque  acredito que este sim é o livro que nos merecíamos ter a versão dele da história pois nele houve uma série de situações e revelações onde fiquei me perguntando o que de fato ele sentia durante aqueles momentos e como aquilo o afetava realmente. 

Então o que posso dizer a vocês é que é um livro que vale a pena sim, especialmente se você gosta da trilogia, mas se você continuar acreditando que seja chato ler a mesma história de novo, lembre-se de duas coisas: uma mesma história possui dois pontos de vista, e aqui conhecemos as motivações do Christian (que são apenas imaginadas ou interpretadas pela Ana!) e que a deusa interior não aparece aqui.







Título: Grey | Série: Cinquenta Tons Páginas: 528 | Tradutoras: Adalgisa Campos da Silva, Maria Carmelita Dias, Julia Sobral | Autor(a): E.L. James | Editora: Intrísseca

13 comentários:

Lana Silva disse...

Não me interessei pela leitura desta obra, pelo fato de que não consegui terminar de ler nem o primeiro livro, então acredito que esta também não vai me agradar já que são as mesma estórias contadas numa outra perspectiva. No entanto admito que tenho curiosidade em saber mais sobre a vida deste personagem, e por isto futuramente talvez me interesse a ler.
Participe do TOP COMENTARISTA de AGOSTO, para participar e concorrer Ao livro "Dois Mundos", o primeiro da série "Tesouros da Tribo de Dana" da escritora Simone O. Marques, publicado numa edição linda pela Butterfly Editora.
http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

Ivi Campos disse...

Li o primeiro livro da trilogia e parei nele. Com certeza não é pra mim este tipo de enredo. Tenho amigas que adoram esse universo, mas realmente, nada me envolveu nesta trama.
MEU AMOR PELOS LIVROS
Beijos

Lucy disse...

Oi, Ana!
Não curto Cinquenta tons, cheguei a ler partes dele, mas a história não colou. Um amigo meu chegou a ler Grey e não recomendou a leitura, disse que nem a narrativa de Grey se salva. rsrs
Então, realmente é um livro voltado para quem curte a série, então eu deixo pra próxima.
Bjos!
Por essas páginas

Olá, tudo bom?
Uma das coisas que mais me irrita em cinquenta tons de cinza é a merda dessa deusa interior! Mano, de onde a autora tirou isso né? haha Curti saber que a história sob o ponto de vista dele toma uma narrativa diferenciada, onde passamos a conhecer suas motivações reais (e não só suposições da Ana), bem como temos uma abordagem melhor de seu psicológico. Apesar de não ter curtido tanto a série, acho que vou dar uma chance ^^
Beijos!

Nay* disse...

Gente,eu tenho uma certa birra por tudo que envolve cinquenta tons,li o primeiro livro todo e o segundo abandonei na metade,realmente aquela "Deusa" da Ana não era de Deus! Enfim,gostei da resenha,mas passo a dica rs

Olá, tudo bem?
Li os dois primeiros livros da série e não gostei do que encontrei, então, decidi não continuar. Por conta de não ter gostado, acho que esse livro é bastante desnecessário e concordo que acho que o ponto de vista dele seria mais interessante em relação ao terceiro livro.
Sua resenha está muito bem escrita, mas não pretendo ler.
Beijos,
http://www.umoceanodehistorias.com/

Tamara Padilha disse...

oie, não tive vontade de ler esse pois já não amei a série original, mas é bacana poder ver como ele se sente e tirar a insegurança toda da anastacia que reinou no outro livro.

Oi.
Li esse livro há algum tempo e lembro que na época achei que a autora poderia ter introduzido mais elementos, ela repetiu muitas cenas que vimos pelo ponto de vista da Ana, querias ter visto algumas coisas diferentes, como aconteceu em Desastre Iminente, por exemplo.
Mas gostei sim e leria se ela fizesse a mesma coisa com o segundo livro.
Beijos.

Olá, tudo bem?
Gostei muito da sua resenha, mas infelizmente a trilogia não fluiu muito bem para mim, e acabei abandonando a leitura por ora.
Achei a protagonista muito forçada, mas enfim.
Não sei se quando retomar a leitura eu irei ler Grey, mesmo tendo o exemplar na estante, sempre vejo comentários negativos que acabam matando a pouca vontade que tenho de ler a obra.

Diane disse...

Olá...
Adorei sua resenha... Muito bem escrita!
Porém, não é o tipo de leitura que estou habituada a ler, então, prefiro passar a leitura, já que talvez a obra não poderia me agradar tanto.
Passo a dica

Alice Teixeira disse...

Oi querida!
Eu ainda não li esse livro, mais como adoro um New Adult, vc já deve saber que ele está na minha lista de próximas leituras...
Adorei a resenha, e como foi sincera e também ão deu nenhum spoiler do que vamos encontrar nessa leitura.

P.S.: Espero não me decepcionar com a narração dele, pois vamos estar vendo tudo do ponto de vista do Grey.

Beijoss, Enjoy Books

Olá! Acabei de reler uma história através de outro ponto de vista...Sim, foi "Outro Dia", sim, foi uma grande decepção. Quando a 50 tons, acho que nem o ponto de vista original era muito legal dfjghfdjk Acho bem desnecessário recontar a história, mas os fãs da autora devem estar tendo ótimas experiências conhecendo melhor esse personagem tão discutível. Abraço!

Delmara Silva disse...

Oi,
minha relação com essa série é bem dúbia. Não gosto e nem desgosto, confesso que estou sem coragem de continuar a história (li apenas os dois primeiros livros contados pela Anna), e concordo que essa história de deusa interior é um pé no s**o, apesar disso comprei todos os livros publicados, inclusive esse e pretendo lê-los em algum momento. Quanto a versão do Christian de "Cinquenta tons mais escuros", se não me engano será publicado mês que vem no exterior, já tem até capa.

Abraços!
Nosso Mundo Literário