[RESENHA] 32 Cartas

dezembro 21, 2017 Aninha Goulart 0 COMENTÁRIOS


Oiiii seus lindos, hoje vou falar para vocês de um livro indicado pela Oasys Cultural. 32 Cartas é uma coletânea de contos, escritos pelo autor Aguinaldo Tadeu, admito que quando recebemos o email eu fiquei com um pé atrás porque na descrição vinha que o autor tinha uma pegada de poeta, e poemas não fazem muito meu estilo, de toda forma resolvi arriscar. E gente só posso dizer que: ainda bem que eu arrisquei.


O livro cotem 27 contos (e eu vou falar só dos que eu mais gostei, porque se não vou fazer um livro só com a resenha rs), iniciando por aquele que dá o titulo a obra, 32 cartas, que me lembrou um pouco de Simplesmente Acontece (vocês podem conferir o que achamos AQUI) e tal como este, me deixou um pouco desesperada, ainda que seja um conto bem curtinho, como a maioria dos do contos são.

32 Cartas conta a história de André e Ana, e um amor que surgiu na infância, onde André (até então melhor amigo de Ana) resolveu se declarar por meio de cartas, onde ele dizia o que achava de garota e o que o encantava nela, mas sem nunca se revelar. Os anos passam cada um segue seu rumo, mas o coração de André sempre pertenceu a Ana, e aí coisas do destino acontecem e o fim da história foi para mim tanto esperado quanto frustrante, porque juro que queria um pouco mais sobre os dois, e um pouco mais sobre o que realmente aconteceu no fim da história.

O maior problema que eu tenho com contos, e o motivo pelo qual eu não costumo lê-los é porque acabo me apaixonando, e querendo muito mais da história que simplesmente acaba por ali (sim sou desses leitores que ficam querendo mais) e então não me conformo porque quero conhecer mais os personagens e isso não é possível, foi total e completamente isto que aconteceu com 32 cartas, logo no inicio do livro eu já estava apegada a um conto e queria conhecer cada ponto e cada nuance dos personagens e quando assustei já tinha acabado.

Temos também o conto Valente, que apresenta a história de um menino que era EXTREMAMENTE aguardado pelo pai que só tinha filhas, e que recebeu o nome de Valente Carvalho Machado, dado pelo pai que era machista de mais para aceitar menos do que um nome que só representasse força e violência. Mas para desgosto do pai o filho não era tudo aquilo que ele esperava, e aqui vem mais um problema do conto pra mim, é uma história muito interessante, que eu gostei muito, mas como é um conto e é pequeno, os personagens ficaram com suas histórias corridas e o conto que já diz muito, poderia dizer muito mais sobre a nossa cultura e o que podemos aprender para evoluir se fosse contado de maneira mais trabalhada.

O Menino Que Gostava de Ler, foi um conto que tomou um rumo inesperado pra mim, porque no início eu me identifiquei com Carlinhos (afinal que leitor nunca criou um novo fim para suas leituras?), mas depois veio uma mensagem de que é preciso tomar cuidado com nossas ambições, de uma maneira que eu realmente não esperava que fosse acontecer e que realente me agradou, por ser algo tão pequeno e com uma mensagem tão interessante.

A maioria dos contos deste livro contém uma mensagem interessante se formos parar para analisar bem, mas admito que nem todos me agradaram e alguns eu inclusive me perdi, como em Poltrona 27, que foi real e oficial o conto que eu menos gostei. De uma forma geral o livro é todo bem trabalhado, a escrita do autor é fácil e leve, o que me permitiu ler o livro em algumas horas.

A edição é muito bonita, com folhas amareladas e uma letra de tamanho razoável, que colabora como um todo para a leitura. Achei realmente a maneira como o autor trabalhou algumas histórias interessantes, e queria muito que aprofundasse em outras, principalmente em 32 Cartas que eu queria no mínimo, ler as cartas rs. Foi uma leitura muito gostosa de se fazer, e uma grande e agradável surpresa.

Título: 32 Cartas  | Páginas: 130Autor: Aguinaldo Tadeu
| Editora: 7 Letras

0 comentários:

© Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.