[RESENHA] Os Cárpatos #1: Príncipe Sombrio - Paraíso Literário

14 de dezembro de 2017

[RESENHA] Os Cárpatos #1: Príncipe Sombrio


Oiiii seus lindos, hoje vim falar um pouquinho para vocês de Príncipe Sombrio, o primeiro volume da série Os Cárpatos que tem vinte seislivros lançados nos EUA (não, vocês não leram errado, são VINTE E SEIS livros lançados lá fora!) e que ainda não tem uma previsão de término, motivo pelo qual a Universo dos Livros recentemente decidiu parar de publicar a serie aqui no Brasil este ano (veja a notícia aqui). Por esse motivo decidi trazer para vocês um pouquinho desta história que me encantou a algum tempo, só porque eu preciso mesmo partilhar meu sofrimento.


O Príncipe dos Cárpatos é Mikhail Dubrinksy líder de uma sábia e secreta raça ancestral que vive na noite (aquela raça famosa, conhecida por nós como vampiros). Está raça sempre encontra em algum momento a companheira(o) o que nunca aconteceu com o nosso príncipe o conhecemos quando o mesmo está com medo de nunca encontrar a companheira que iria salvá-lo da escuridão, a alma de Mikhail gritava na solidão.

Até o dia que uma voz repleta de luz o alcança, diminuindo sua dor e o anseio de sua alma. Raven Whitney possui poderes telepáticos (se você ligou o nome e os poderes telepáticos à série da Dysney As Visões da Raven, bem vindo ao clube!) e os utiliza para capturar os mais depravados serial-killers. Desde o momento que se conheceram, Raven e Mikhail foram incapazes de resistir ao desejo que faiscava entre eles. Mas forças sombrias tentarão destruir esse frágil amor.

Eu preciso dizer que eu me apaixonei por esta história por ser uma visão nova e totalmente diferente de vampiros ( mas não tão diferentes a ponto de parecer um globo de luzes), de uma maneira que eu ainda não tinha visto. Os Cárpatos não são propriamente vampiros, eles estão vivos, mas sua existência depende de uma companheira(o) que o fará sentir e ver cores novamente, é como se sem uma “alma gêmea” a mente deles definhasse e levasse o corpo junto.

No desespero os machos da espécie começam a oferecer suas almas, que no caso é se alimentarem até matar a pessoa da qual se alimentam e viver um frenezi que podia ser sentido até algum tempo depois do assassinato, tornando-se assim mortos vivos (aí sim os temos os vampiros loucos sugadores de sangue), o que levou a raça quase a extinção, aqueles que se mantem fortes o fazem unicamente com base nas memorias e no senso de honra que os acompanham por séculos.

Entendi bem o conceito da história e a maneira como as almas de Mikhail e Raven estavam já predestinadas a se ligarem, mas ainda assim o “amor à primeira vista” me incomodou um pouco, não o suficiente para atrapalhar todo o enredo, mas é que esse tipo de construção sempre me deixa um pouco frustrada porque é o jeito mais fácil do autor construir um romance dentro do seu livro. 

Gente a história é incrível, com um trama bem trabalhada e rica em detalhes, é um livro com um fundo erótico sim, porque afinal de contas primeiramente eles sentem o desejo um pelo outro, mas para ser bem sincera é um ponto que não tem tanta relevância assim, não é o foco, o ponto principal é que Raven é uma luz no fim do túnel não só para Mikhail, mas para a raça inteira.

Como as mulheres são muito escassas (motivo principal para a raça estar entrando em extinção!) as poucas restantes não conseguem levar uma gravidez até o fim (sim às fêmeas engravidam aqui, afinal eles não estão mortos!) o que gera toda a confusão na espécie. Quando a Raven surge é uma chama de esperança pra todo mundo, porque em uma raça onde nem o líder conseguia ligar sua alma a uma companheira quem mais vai conseguir, né?

Assim a personagem da um rumo novo para espécie, mas obviamente não sem enfrentar inúmeras turbulências e situações desesperadoras que ela nunca poderia imaginar (algumas dela nem eu mesma consegui imaginar durante a leitura!). Não vou contar muito sobre a trama pra não correr o risco de soltar algum spoiler, mas é uma narrativa muito rica em detalhes, que cativa e faz a gente querer desesperadamente ler as sequências para saber até onde a trama inimiga vai e como eles vão solucionar as coisas, é ai onde entra o problema de a editora não publicar mais aqui no Brasil, mas paciência vamos dar um jeito de ler no original mesmo já que não tem outra opção

A edição da Universo dos Livros é bem confortável de ler, com folhas amareladas e uma diagramação simples e bonita ao mesmo tempo, a capa é legal, não achei nada de mais, mas eles lançaram uma nova capa em 2014 onde é possível ver o rosto do modelo por completo (a minha edição é de 2011), mas acredito que seja a única modificação entre as edições.

De uma forma geral é um livro muito tranquilo de ler e com uma trama muito interessante que eu acredito que todo mundo deva ler em algum momento, só para ter mais um “tipo” de vampiro no repertório.








Título: Príncipe Sombrio | Série: Os Cárpatos | Páginas: 461Autor(a): Christine Feehan |Tradutor(a):  Alyne Azuma| Editora: Universo dos Livros

Nenhum comentário:

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.