[RESENHA] Recordando Anne Frank: A história da Mulher que Ajudou a Esconder a Família Frank

Oiii seus lindos, hoje vamos falar um pouquinho sobre Recordando Anne Frank, o livro que foi escrito pela mulher que enfrentou os nazistas e ajudou a esconder a família Frank atrás de uma estante em Amsterdã. É outro lado, mais amplo de uma das histórias mais conhecidas do mundo, então logo que a Gutenberg ofereceu o livro eu tive que pedir, porque um dos meus livros preferidos da vida é O Diário de Anne Frank. Então bora lá conferir o que achei desta história.

Neste livro temos a história de Miep e Hanck Gies o casal que por mais de dois anos escondeu a família Frank e seus amigos judeus, lutando contra tudo o que era pregado na época pelos nazistas, o casal ajuda e faz o possível para manter seus amigos seguros e alimentados.

Com uma clareza e uma sensibilidade invejáveis, das quais eu vi em poucos livros, Miep Gies conta como foram os anos antes do holocausto, os durante a guerra enquanto escondia a família Frank e o que ocorreu depois de a família ter sido traída e entregue aos nazistas (coisa muito importante para mim, porque quando li O Diário de Anne Frank fiquei me perguntando o que teria acontecido depois).

Miep sobreviveu as duas guerras mundiais, ao final da primeira ela era uma menina desnutrida vivendo em Viena (Áustria) que foi enviada à Holanda para ser alimentada e sobreviver, ao final deste processo ela deveria retornar para sua família, mas quando a garota finalmente se recuperou ela já não era mais uma garota austríaca, já havia se tornado holandesa e acabou ficando por lá com a família adotiva. Assim ela se tornou uma moça forte e independente, que começou a trabalhar para custear suas coisas, até o momento que ficou desempregada.

É quando uma amiga da família de Miep avisa que há um escritório precisando de uma secretaria substituta que conhecemos Otto Frank, o presidente da empresa. Aí começa uma relação de trabalho, mas a medida que o tempo vai passando Otto se apega a Miep, pois é uma amiga com a qual ela pode falar em alemão e sobre a família que ele ainda não conseguiu trazer da Alemanha.

Quando Otto consegue finalmente levar a família para Amsterdã, a nossa tão conhecida e amada Anne tem só uns quatro anos, e acho que é isto que me encantou tanto neste livro. Quando lemos O Diário de Anne Frank, ela já é uma adolescente (ela tinha 13 anos quando ganhou o diário do pai) e eu sempre fiquei curiosa para saber como as coisas chegaram ao ponto em que chegou para eles, como eles tinha tido a ideia de ir para o abrigo? Como eles conseguiram um abrigo em um tempo que isto era artigo de luxo para um judeu? Entre outros questionamentos (sim gente eu nunca pesquisei nada sobre Anne Frank e sua família para fora do diário, sempre fiquei com medo de descobrir coisas que eu não ia querer saber e preferi ficar com minhas duvidas), mas todos os meus questionamentos de O Diário de Anne Frank foram sanados com este novo livro.

A maneira como a autora narra os acontecimentos é de uma sensibilidade tão grande que é impossível não sentir o que ela diz sentir, serio não tem como não sentir o coração martelando de medo ou de alivio no decorrer da história, foi impossível não derramar algumas lagrimas e não sentir a revolta pelo nazismo. É uma parte da nossa história que o mundo já conhece, mas que precisa se aprofundar mais, e para além dos pensamentos sensíveis de uma adolescente, este novo livro trás a perspectiva de fora, de alguém que não sentia o medo opressor de ser judeu, mas que ainda assim sofria muito por causa daqueles que amava.

Cada ponto deste livro me prendeu, não tenho um defeito pra apontar do enredo ou da escrita da autora que é total e completamente envolvente, que faz a gente sentir e viver aquilo que ela está descrevendo, só posso dizer que com certeza foi o melhor jeito de começar o ano, e que é um livro que vou levar para sempre comigo.

Quanto a edição não achei erros graves, só alguns de português ou de digitação que não atrapalham a leitura, a capa é muito lindinha e as folhas são amareladas o que eu realmente amo porque meus olhos agradecem.


No mais só posso dizer que eu real e verdadeiramente amei este livro, que eu preciso conhecer o museu de Anne Frank e que se você ainda não leu O Diário de Anne Frank, você PRECISA LER e logo depois você irá NECESSITAR ler Recordando Anne Frank.






Título: Recordando Anne Frank Páginas: 219Autor(a): Miep Gies e Alison Leslie Gold | Tradutor(a):  Iris Figueredo | Editora: Gutenberg
Comentários
20 Comentários

20 comentários :

  1. Eu fiquei TÃO curiosa para ler este livro! Muito obrigada pela dica, beijos!
    sophiesamiesarfati.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito interessada gosto desse género e da história mas tem muitos livros relacionados à Anne Frank e eles são praticamente iguais, muda um detalhe ou outro. Eu queria saber se esse livro tem algo de diferente.

    ResponderExcluir
  3. Oiii Unknown,

    A maioria dos livros que falam de Anne Frank são só versões com capa diferente do diário mesmo, mas este livro é diferente porque ele não tem as informações do diário, ele narra os fatos que aconteceram antes e durante a guerra do ponto de vista da Miep, que é a mulher que ajudou a esconder a família Frank, e conta o que aconteceu com os membros da família depois que os prisioneiros foram libertados dos campos de concentração. É uma leitura que vale muito a pena para que gostou do Diário de Anne Frank.

    Beijinnhos....

    ResponderExcluir
  4. Quando a pessoa deixa claro que gostou do livro... Aninha sua resenha está maravilhosa mana <3

    ResponderExcluir
  5. Heiii, tudo bem?
    Como nao ficar comovida com tudo que a Anne Frank passou ne?
    Eu ainda nao li esse livro, mas logo de cara já vi que vai ser um misto de emoçoes.
    Ainda nao tinha visto uma resenha sobre o livro e a sua me despertou a vontade de conhecer.
    Otima resenha.
    Amei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom?

    Eu ainda não tive coragem de ler o livro da Anne Frank, porque sei que chorarei muito. É uma época horrível da humanidade que não deveria ter acontecido, mas também não deve ser esquecida para aprendermos que o mal existe e que pode ocorrer novamente. Eu não conhecia o livro citado, mas acho legal que a Miep tenha contado a sua versão da história, já que, como você disse, ela abrange uma época muito maior do que o Diário e, também, responde a algumas questões deixadas por ele. Como você disse, eu preciso O Diário de Anne Frank e depois Recordando Anne Frank. Já coloquei nos meus desejados!

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Oiee, tudo bem? Que bom que gostou tanto dessa leitura! Parece um livro ótimo mesmo. As vezes me pergunto o que estou fazendo da vida que ainda não li O Diário de Anne Frank! Quero fazer isso esse ano ainda <3 Adorei o post.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Estes enredos sempre rendem boas histórias, dramáticas, mas muito boas. Não sabia da existência desse livro, mas pra quem se apaixonou pela história de Anne sem dúvida esse é uma boa pedida. Quero ler.

    Beijos
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Acho que várias pessoas já ouviram falar da Anne Frank, inclusive este livro foi colocado como opção de leitura no projeto na escola onde estudo, mas escolhi outro, não é um gênero que me desperte muito interesse, apesar de ser apaixonado pela história.

    Abraços,
    https://jovemcigano.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Estava conversando ontem em um grupo sobre como tornaram a história de Anne em uma coisa totalmente comercial, são tantos livros, tantas edições que parece que banalizaram, sabe? Isso me deixa triste, no entanto, acho esse exemplar uma forma diferente de recontar a história dela e que de fato vale a pena.

    ResponderExcluir
  11. Todo mundo fala tão bem desse livrl e tals, mas confesso que ao mesmo tempo que quero ler, eu não quero e dai fiquei com duvida. Pois não sei se sera uma leitura que ira me agradar...

    Bruna
    https://odiariodoleitor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem?
    Que livro fascinante, adoro histórias assim, aprendemos a dar valor a que temos, sua resenha está maravilhosa adorei, anotada a dica e obrigado. Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Sabe que ainda não li O diário de Anne Frank? Vou tirar o atraso, porque a sua resenha me encantou e eu quero ler esse livro, mas primeiro vou ler o próprio diário para poder entender melhor.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  14. Oi, ainda não li livros da Anne Frank, mas sempre admiro quem faz a leitura. Principalmente do diário. Fico feliz que até hoje consigam trazer história diferentes da vida dela.
    Bjs, Tell me a Book

    ResponderExcluir
  15. Oiii tudo bem??

    Conheço a historia de Anne Frank, mas não sabia a existência dessa historia, deve ser pesada, já que a angustia de Anne tbm é. Que bom que gostou.
    Não sei se me envolveria novamente nessa história, mas talvez um dia.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  16. Oie amore,

    Tenho o Diário de Anne Frank na estante a algum tempo e ainda não consegui pegar pra ler.
    Não conhecia este novo livro, preciso me atualizar rs.
    Adorei sua resenha amore!

    Beijokas!!!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá!

    Eu li O Diário de Anne Frank há muito tempo atrás. Foi uma leitura que mexeu comigo e acredito que essa obra também irá. Estou em busca de livros não ficção e sua resenha veio na hora certa. Fico feliz que não tenha encontrado nenhum problema no enredo ou na escrita. Anotei a dica, obrigada!

    beijos :D

    ResponderExcluir
  18. Olá Aninha!!!
    Eu admito que sou uma das pessoas que ainda não leu "O Diário de Anne Frank" não porque eu não queira, mas por falta de tempo mesmo, apesar de não ter lido eu conheço um pouco da história e até hoje me pergunto como tudo ocorreu, e como foi para a sobrevivência deles nesse período.
    Amei a resenha e saber que tem um livro a mais ao qual podemos saber o que não sabíamos da história.
    Amei que você pôde trazer a resenha desse livro ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Oi Aninha, como está?
    Nunca terminei de ler "O Diário de Anne Frank" porque dificilmente eu não consigo não odiar os nazistas. Sério, mesmo tendo aprendido com meus pais e os livros que odiar não vale a pena, é muito difícil não fazer isso dado o quanto e como muita gente sofreu por conta de gente que se achava dona do mundo.
    Com certeza Anne Frank desejaria que nenhum de nós odiasse essa gente e eu juro que vou tentar não fazer isso, mas principalmente, quero ler esses dois livros.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://www.galaxiadeideias.com/
    http://osvampirosportenhos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Olá! Fico muito feliz em ver o quanto curtiu a leitura, leituras boas estão escasssas na minha vida ultimamente. Se fala muito da Frank, mas não me lembro de uma obra que discutisse , mesmo que sem grande profundidade, sobre as pessoas que tentaram ajudá-la a ter um destino diferente. Tô louco pra ler esse livro. Abraço!

    ResponderExcluir