[RESENHA] Filhos de Nazistas - Paraíso Literário

8 de fevereiro de 2018

[RESENHA] Filhos de Nazistas


Oiii seus lindos, hoje vim falar para você um pouquinho sobre um livro bem diferente de tudo o que eu já trouxa e já li aqui para o blog. Recebi da Editora Vestígio o livro Filhos de Nazistas, que decidi ler com todo depois de Recordando Anne Frank (vocês podem conferir a resenha AQUI) que eu amei e estava me sentindo mais numa vibe histórica, mas nem tudo foi como eu imaginava e vou explicar o porquê.


Nesta obra Tania Crasnianski uma neta de um ex-oficial da frota aérea nazista, que depois do fim da guerra nunca quis tocar no assunto, decide descobrir um pouco sobre os descendentes daqueles que causaram o caos por tantos anos na Europa e no mundo. Assim ela conta no livro sobre como os filhos de Himmler, Göring, Hess, Frank, Bormann, Höss, Speer e Mengele, que foram grandes ministros no governo Hitler viviam e principalmente como viam seus pais antes e depois da guerra.

Meu maior problema com este livro foi a linguagem mais acadêmica, que retardou muito minha progressão na leitura. Embora o tema seja realmente tenso eu acredito que existem maneiras de escrita que podem facilitar a fluidez da leitura, e infelizmente a narrativa não funcionou para mim, o que não me fez perder a grandiosidade das informações que tem nele.

Outro ponto que me incomodou é que o livro tem muitas referências e e a edição coloca o número delas, como se fossem colocar em nota de roda pé, mas aí para saber a que se referia eu precisava ir ao final do livro descobrir de que se tratava aquela nota é isso tornou a leitura mais cansativa porque eu tinha de folhear o livro e para descobrir do que se tratava aquele tópico.

A autora deixa claro que todo o momento ela faz o possível para não julgar os filhos pelos erros dos pais e pela maneira como eles os veem, não posso dizer que fiz o mesmo. Em momento algum julguei os filhos pelos seres sem empatia nenhuma que seus pais eram, mas os julguei pela maneira como alguns enxergavam seus pais depois.

Algumas passagens deixam claro que os filhos dos nazistas não acham que seus pais eram culpados, para eles seus pais eram inocentes e só fizeram o melhor que podiam naquele momento. Gente não me leve a mal, não consigo engolir a justificativa de que aquelas pessoas capazes de cometer tantas atrocidades estavam “fizeram o melhor que podiam fazer” e principalmente não consegui aceitar que alguns filhos continuassem a ver seus pais como heróis e pessoas grandiosas, especialmente quando eles foram grandes e importantes nomes no governo de Hitler.

Aqui temos filhos que eram mimados e que depois da guerra continuaram simpatizantes do Nazismo, mas também aqueles que conseguem enxergar as atrocidades cometidas durante o regime, que os recriminam, mas que não deixaram de ama-los como pais, só entenderam que eles não eram homens bons e por estes filhos eu consegui sentir empatia, por entender que não deve ser fácil você ser criado com um pai que com você é maravilhoso, mas que quando sai de casa foi capaz de cometer as tantas barbaridades.

Tania Crasnianski fala algo em uma parte do livro que me deixou bem pensativa, que quando se fala em Alemanha imediatamente pensamos no Nazismo, o que não ocorre com outros países que também possuem seu próprio histórico de atrocidades. E realmente, quando me falam da Itália, por exemplo, eu não penso no Fascismo, penso em varias outras coisas.

Enfim, é um livro muito rico, com vários detalhes e muitas perspectivas interessantes que eu não conhecia sobre o tema, com uma edição linda e uma diagramação impecável. Não encontrei erros de revisão claros o que realmente ajudou na leitura, o único problema mesmo foi aquele que mencionei a cima de que a escrita é bem acadêmica, o que dá aquela sensação de livro didático e que acabou retardando minha leitura.







Título: Filhos de Nazistas: Os impressionantes retratos de família da elite Nazista
Páginas: 238| Autora: Tania Crasnianski  | Tradutor:  Fernando Scheibe
Editora: Vestígio | Ano: 2018

13 comentários:

  1. Oi Ninha!

    É uma pena que Filhos do Nazista tenha tido esta linguagem mais acadêmica, realmente é algo que me faria evoluir bem mais lentamente na leitura!

    Fiquei chocada quando li que alguns filhos acreditava que os pais tinham feito o melhor que podiam! É um absurdo, sério!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olá Ninha, como vai? Eu leio muito texto, livro, artigo com essa temático, acho interessante e algo que nunca "sai de moda".
    Esse período foi um período muito ruim da história, entre tantos outros.

    Achei interessante a autora trazer os filhos de Himmler, Göring, Hess, Frank, Bormann, Höss, Speer e Mengele, que foram grandes ministros no governo Hitler e forma que eles viveram e viram os atos de seus pais antes e pós os ocorridos.

    Acredito no seguinte, e isso falando dos dias atuais.. Que somos espelho de nossa criação. Sim, temos personalidade própria, caráter que se forma com base no que absorvemos de pais e do mundo ao redor, entre outros.. Mas é impossível não absorvermos muito dos nossos pais, sendo atos bons ou não. Sou mãe e busco sempre, não ser perfeita, pois não acredito nisso, mas ser exemplo, me posicionar de maneira adequada diante diversas situações, desde as mais comuns e simples, as mais complexas..

    Então, voltando ao enredo, por mais que, óbvio, eu acredite e saiba das atrocidades que ocorreram, imagino que muitos desses filhos também acreditavam que seus pais, os atos e afins eram corretos ou não.. Sabe aquele lance de "lavagem mental" ou como queiram chamar.. Mas muitas vezes somos condicionados a crer em algo.. e cremos..

    Vou parar por aqui.. pois isso dá é "pano para manga"
    Mas podemos ver isso em muitas coisas.. até mesmo nos dias atuais, nas brigas desmedidas por colegas em redes sociais por conta de partidos políticos.. muitas vezes está ali, na cara que o indivíduo é ladrão, racista, estava com uma arma e atirou e ainda assim, muitos defendem..

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Vi várias pessoas falando sobre esse livro pelas redes sociais mas confesso que não é um livro que me chame muito a atenção para ler, ainda mais agora, mas gostei de ver sua sua opinião ainda mais sendo sincera.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Poxa, é uma pena que o livro não tenha te agradado totalmente! Ainda assim me interessei pela história.

    ResponderExcluir
  5. Olá!! :)

    Eu confesso que nunca tinha ouvido falar... mas ainda bem que gostaste de conhecer esta historia!! :) E sempre bom!

    Enfim, acho ótimo que ela te tenha feito pensar... e que seja um livro assim tao rico e com tantos detalhes!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  6. É uma maneira diferente de se abordar, realmente os filhos de nazistas tem uma visão diferente do que seus pais fizeram. Mas é interessante, apesar de achar difícil não julgar a maneira como eles vêem o nazismo hoje.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  7. Ola
    Não conhecia o livro, mas pelos pontos que levantaste devo confessar que não me atraiu muito, acho que iria achar a leitura cansativa demais apesar do tema ser interessante. Engraçado essa colocação da autora, claro que se falar da Alemanha vamos lembrar disso afinal foi uma das maiores guerras mundias que existiu.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    https://leiturakriativa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oiieee

    Eu tenho lido alguns históricos da Segunda Guerra que tem me surpreendido bastante, principalmente esses que retratam lados diferentes da mesma moeda, acho interessante conhecer as outras faces sabe? Essa é uma leitura que com certeza faria, vai pra listinha.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Menina! Fiquei bem atraída pelo o enredo e para mim não ia importar o jeito que foi narrado mas concordo com vc que ter que ir até o final ou toda hora ter que parar para ler nota é um pouco cansativo mesmo.
    De qualquer forma livros cujo tema é a 2 guerra me atrai demais, portanto anotado para futura leitura. rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Não conhecia o livro e é uma pena que a escrita não tenha facilitado a leitura, em algumas partes da sua resenha fiquei com a impressão de ser um livro mais didático, se é que você me entende. Gostei da capa também, bem dentro do tema proposto.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Gostei muito da sua resenha, está bem escrita e sincera, mas por ser um tipo de livro que não gosto muito, vou deixar a dica passar. Porém, preciso dizer que a capa está linda, a editora caprichou :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Olá, pena que essa escrita mais acadêmica tenha diminuído a fluidez da leitura para você. Eu acho a temática do livro muito interessante e é uma obra que quero muito ler.

    ResponderExcluir
  13. Oie
    esse tema é sempre muito interessante de ser abordado e é muito buscado, gosto muito desse tema pois me faz imaginar melhor o que foi aquela época, bela dica, bela resenha e espero poder ter oportunidade de ler em breve

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.