[AUTOR DO MÊS] Entrevista com Vinícius Grossos - Paraíso Literário

11 de março de 2018

[AUTOR DO MÊS] Entrevista com Vinícius Grossos



Oi gente! Continuando com a coluna do Autor do Mês (se não sabe do que estou falando clica aqui!) que esse mês conta com a participação do incrível Vinícius Grossos e trouxemos uma entrevista para que vocês possam conhecê-lo melhor!

1- Como é escrever sobre minorias?
Oi, muito obrigado pelo convite! Então, na verdade, eu gosto de escrever sobre personagens reais, com defeitos, qualidades, sonhos e desejos. Infelizmente, vivemos em um mundo que há padrões criados para definir o que é certo ou perfeito, e as minorias acabam sendo jogadas para fora desse círculo – e é nesse círculo, fora da perfeição, em que eu estou junto com as minhas personagens, e acredito que com os meus leitores também.

2- Você sente que há uma barreira com suas obras por tratarem de formas de amar diferente daquelas comumente usadas?
São sempre duas frentes diferentes, né? Há pessoas com pensamentos intolerantes e que preferem não dar oportunidade aos meus livros. Tudo bem, eu entendo. Mas por outro lado, há várias pessoas que os abraçam, e até brincam os chamando de bíblia hahahaah. Isso porque eles se veem retratados em uma história, o que causa a identificação. Eu acho isso muito legal!

3- Quais são os autores que te inspiram?
Gosto de muitos. Mas acho que o que mais me toca é o Markus Zusak. Amo como ele consegue transformar a rotina em algo incrível de se ler.

4- Quais obras te influenciaram a escrever seus livros?
Algumas... “On the Road”, As vantagens de ser invisível, Eu sou o mensageiro, as obras do John Green...

5- Tem mais alguma estória que está doida para ir para o papel?
Eu sempre estou com algum projeto em andamento... Minha mente nunca para. Às vezes preciso dar um pause para cuidar de outras áreas da minha vida, mas as ideias sempre estão chegando.

6- Qual gênero literário você nunca escreveria?
Que difícil, ein! Eu não gosto de dizer “nunca”, mas eu teria dificuldades de me aventurar no erótico, eu acho.

7- Qual o tipo de personagem você nunca criaria?
AAAAAAAAAA Não sei! Hahahah Eu gosto de diversidade. De pensamentos diferentes, ideias transgressoras, por mais que às vezes eu seja o extremo oposto de algum personagem.

Às vezes retratar, por exemplo, um racista ou homofóbico, dentro da cabeça dele, narrando em primeira pessoa, seja um desafio.

COMENTÁRIO NECESSÁRIO: Vinícius nós te amamos, sério!

8- Quais são as melhores e as piores partes quando se trata do seu processo de escrita?
Eu amo criar. A parte de escrever, rascunhar, desenvolver, é o que eu mais gosto. A pior parte, talvez seja ter que provar todos os dias que você escreve algo legal, de qualidade. A grande mídia ainda olha de forma torta para a produção literária contemporânea e nacional.

9- Já recebeu alguma mensagem de leitor que te emocionou?
Essa é uma das coisas lindas da profissão. Eu recebo mensagens assim todos os dias, e procuro sempre dar a devida atenção. Me emociono, respondo e às vezes choro junto com o leitor.

10- Tem algum livro que esteja te empolgando neste momento?
Simmmmm! Quando eu estou escrevendo, procuro não ler nada, para que isso não me influencie. Mas eu estava bem empolgado com “Lembra Aquela vez”, do Adam Silveira. E agora estou empolgado com um projeto novo!

11- Você já recebeu críticas apenas por seus livros terem temática LGBTQ+? Se sim, como lida com elas?
Recebo muitos elogios. As críticas negativas são mais veladas... Uma mãe uma vez me disse que eu devia usar o meu talento e escrever mais sobre personagens “normais”. Acho que ela quis dizer heterossexuais. Mas aí, a filha dela já tinha me mandado inbox, dizendo que amava os meus livros. Ou seja, eu soube automaticamente que eu estava no caminho certo!

12- Não é exatamente uma pergunta, mas queremos dizer que ficamos muito encantadas com o fato de você escrever sobre o amor entre LGBTQ+ porque, olha, o mercado editorial precisa de mais diversidade e é aquele ditado "livros não mudam o mundo, livros mudam pessoas" e nós acreditamos muito na transformação das pessoas através da leitura. Então obrigada mesmo por ajudar a promover essa mudança que o mundo precisa.
Eu que agradeço por vocês terem aberto esse espaço para eu falar sobre o meu trabalho! Fico muito grato!

Esperamos que tenham gostado da entrevista com o Vinícius pessoal! Para saber mais sobre ele basta clicar aqui para ver o post anterior! E esperamos vocês na semana que vem para conferir o conteúdo exclusivo que o Vinícius preparou!

16 comentários:

  1. Eu nunca li um livro dele mas conheço eles. Acho que falar sobre minorias é o máximo porque as pessoas precisam entender esta questão de ser diferente um dos outros e ser igual por ser assim. E eu também não escreveria um hot! Hahahahahaha

    ResponderExcluir
  2. Acabei tendo contato com as letras do autor quando li 1+1 e claro, adorei!!
    Por ter uma temática um pouco "diferente", me recordo bem que o livro foi um "ame ou odeie".
    Eu adorei a maneira suave que o autor conduziu suas letras. Foi algo como doce contar a história dos amigos.
    E é bom saber que não parou por aí e logo teremos mais novidades!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eu já tinha ouvido falar desse autor, mas confesso que só depois de ler essa entrevista que realmente me despertou o interesse de apostar em seus livros. E o fato dele gostar de autores como Markus Zusak e John Green só aumenta o meu interesse! :D A Menina que Roubava Livros e A Culpa é das Estrelas são duas histórias que abalaram minha vida e modificaram a maneira como eu via o mundo, me ajudaram a crescer.

    Penso que começarei a ler os livros do autor por "O Garoto Quase Atropelado". :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi querida!!
    Adorei conhecer o autor, e um pouco mais sobre a forma que ele trabalha com as sua obras. Não conhecia ele, mas adorei conhecer através da sua entrevista.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conheço o seu trabalho, mas fiquei bem curiosa quanto ao personagem que ele considera ser um desafio desenvolver: UM RACISTA OU HOMOFÓBICO.
    Sucesso para ele.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Ainda não o conhecia, mas adorei o tom da entrevista, tanto por conta das perguntas quanto por conta das respostas. Depois vou sim dar uma passadinha no post anterior, para conferir melhor sobre o autor e as obras dele, ou seja lá do que o post anterior trate.Sempre gosto de conhecer novos autores.

    ResponderExcluir
  7. Não conheço o autor, nem nenhuma obra dele, mas adorei a entrevista!
    Parabéns pelo post e sucesso ao Vinicius!

    Beijinhos

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. Que entrevista mais fofa! Eu adoro esse autor e suas obras. Ele escreve tão bem, e sempre passa muito sentimentos em suas histórias. Acho muito bacana ele escrever sobre minorias de forma tão delicada. Realmente precisamos de mais livros no mercado editorial desse tipo.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Eu tenho uma vontade enorme de ler os livros do Vinícius, mais ainda não pude comprá-las. Amei conferi essa entrevista, me tornei mais fã dele ainda (adorei saber sobre as obras que o influenciaram, temos um gosto literário parecido).

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Eu amei essa entrevista! Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro do Vinicius, mas tenho muita curiosidade. Sempre vejo elogios à escrita dele e ao fato de que ele escreve personagens muito reais. Adorei ele citar o Markus Zusak como uma inspiração, pois é o autor de um dos meus livros preferidos da vida.
    Gostei muito da entrevista e espero poder ler alguma obra dele em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia o Vinicius, inclusive achei fofo, lindo hahaha e já quero ler suas obras. E ele gosta do Markus Zusak que quase nem faz sucesso aqui no Br. Adorei a entrevista! Foi muito legal ler sobre o trabalho e uma pessoa que ainda não conhecia! Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oiii tudo bem??

    Conheço Vinicius pessoalmente, e ele é tão maravilhoso quanto nessa entrevista.
    Adorei conhecer um pouco mais além do que conheci na bienal.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  13. Olar!
    Adorei a formulação da entrevista, você conseguiu explorar muito bem o autor.
    Já li um conto do Vinícius e amei, tenho outros livros do autor e espero poder ler em breve.
    Adoro os motivos dos livros dele a forma como ele não direciona seus livros, mesmo tendo um gênero a seguir.

    Um super beijo,
    Barb.
    www.segredosentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  14. Nem conheço mas ja adorei o Vinicius! Zusak é um dos meus escritores favoritos!! Se é inspiracão, os trabalhos dele devem ser incríveis.

    ResponderExcluir
  15. Olá aninha, tudo bem?

    Eu amo o Vinicius com todo meu coração. Minha colunista já leu todos os livros dele que saíram pela Faro Editorial e só tece elogios à sua escrita. Espero que em breve eu também tenha essa oportunidade de me deliciar com seus textos.

    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bom?
    Não conhecia o autor, mas adorei fazê-lo através de sua entrevista! Adorei saber que ele cria personagens baseados nas minorias, com qualidades e defeitos que beiram ao verossímil, dando voz aos mesmos. Outro ponto que adorei saber é que Markus Zusak é uma inspiração para ele, pois é uma das minhas também ♥ rs
    Excelente entrevista!
    Beijos!

    ResponderExcluir

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.