[RESENHA] The Enforcers #1: Submissa - Paraíso Literário

17 de abril de 2018

[RESENHA] The Enforcers #1: Submissa

Oi gente! Hoje vim contar para vocês a minha opinião sobre Submissa, primeiro livro da série The Endorcers, da Maya Banks e lançado no ano passado pela Editora Gutemberg, uma das minhas leituras deste mês. Então continue lendo para saber mais.


Evangeline é uma jovem de vinte e três anos que foi humilhada por seu ex, ele a enganou para leva-la para a cama e, em seguida, a dispensou. Isso já seria o suficiente para abalar a autoconfiança de mulheres muito mais seguras que ela, mas o fato de ter escolhido Eddie para ser o seu primeiro torna tudo ainda pior. Então Evangeline é convencida pelas amigas Nikki, Lana e Steph a ir para a badalada Impulse, onde o canalha do ex sempre vai para conseguir mulheres, e mostrar que estava bem e que ele foi um babaca e perdeu um mulherão.

Assim que entra pelas portas da boate, Evangeline chama a atenção de Drake Donavan, na verdade ele nunca viu uma mulher mais bela e que, ao mesmo tempo, exalasse tamanha inocência, o que só torna a sua presença na Impulse ainda mais estranha. No momento em que é agredida por um homem (que mais tarde ele descobre ser o cretino do ex dela!) um lado protetor do, até então, homem sem coração é despertado e seu sangue ferve. Agredir uma mulher não é correto, um anjo como aquele então...


Evangeline é levada até Drake e a noite acaba tomando rumos que jamais poderia ter imaginado e é escoltada para casa por um dos homens de Drake, Maddox (o qual, aliás, é muito gentil com ela!), com a promessa de que ele voltaria no dia seguinte para leva-la até ele as sete da noite o que claro a faz evitar a qualquer custo seu apartamento e ir ainda mais cedo para o pub onde trabalha para poder enviar o máximo de dinheiro possível para os pais. Acontece que ao sair do bar as quatro da manhã ela tem uma grande surpresa: Maddox a esperando para levar a jovem até o patrão e deixa muito claro que Drake não está acostumado a esperar e que não gosta nem um pouco de atrasos.


Ao se encontrar com ele as coisas esquentam muito rápido e Evangeline tem de encarar um homem com uma vontade de ferro e sem qualquer remorso de usar todas as armas ao seu alcance para conseguir o que deseja e, até aquele momento momento, Drake nunca desejou nada como desejava aquela jovem mulher. Ao final da madrugada a jovem está indo para o apartamento dele, para morar com Drake. Também não trabalharia mais no pub e ele seria o responsável por se certificar que tivesse conforto e que os recursos apropriados seriam enviados aos pais de Evangeline, acima de tudo ele quer cuidar dela em troca de ter toda a sua confiança e submissão.


Assim que descobre Steph, uma de suas melhores amigas, tenta colocar juízo na cabeça de Evangeline apontando que é absolutamente cedo para que ela se envolva tanto assim com outra pessoa sendo que ela acabou de se machucar emocionalmente e só conhece Drake a algumas horas, mas ela já decidiu que vai ficar com Drake e experimentar quais prazeres um homem tão deslumbrante e dominador pode lhe oferecer, mas ao escolher ficar com ele e adentrar aquele mundo Evangeline pode tomar um caminho sem volta e perder as amigas para sempre.


Vou confessar que estava bastante curiosa sobre essa série, especialmente por tratar dessa coisa de Dominador/Submissa de uma maneira bem aberta, mas honestamente fiquei bastante incomodada com alguns pontos da história. Se por um lado Drake é uma força da natureza, impondo a sua vontade de maneira implacável, Evangeline por sua vez é a submissa perfeita, uma vez que praticamente nunca tenta discutir e quando o faz se sente mal e é pelos motivos mais ridículos possíveis.


O fato de ela ir morar com ele depois de vinte e quatro horas também me deixou bem desconfortável e eu fiquei pensando: "VOCÊ É LOUCA MINHA FILHA?", pelo que Evangeline sabia, Drake poderia muito bem ser um serial killer! Então, sinto muito, mas não engoli essa parte da história. De verdade? Esperava que a Maya Banks trabalhasse um pouco melhor o relacionamento dos dois e antes de chegar nesta parte. A personalidade de Evangeline também me incomodou, escolhendo discutir quando era algo insignificante e, depois ainda se sentindo culpada por tê-lo feito.


Por outro lado, tentei manter a mente aberta para o fato de se tratar de uma relação diferente do que eu estou acostumado, já que a dinâmica que se espera entre um Dominador e sua Submissa é justamente esta. Então, tendo isso em vista, achei que as personalidades dos personagens condizem muito bem com a proposta do livro.


As cenas eróticas são absolutamente bem escritas, algo que pra quem lê Maya Banks não é surpresa nenhuma, mas uma cena em especial deste livro me deixou meio bastante surpresa, mas não vou dar spoiler. Só digo que se decidir ler Submissa pode encontrar algumas coisas bem diferentes nas páginas.


A edição da Gutemberg está um capricho, com páginas amarelas e uma diagramação bem simples e confortável somada à fluidez da narrativa fez com que eu terminasse em dois dias esta leitura. Apesar de o livro possuir alguns errinhos de português não é nada que transforme a leitura em algo impossível ou que incomode de verdade.


Bom, eu acredito que romances eróticos são de muita importância para que a mulher possa desenvolver melhor sua sexualidade, descobrir o que pode ou não tentar na vida real e personagens como Evangeline têm sim seu mérito ao trazer alguém tímida e retraída para que mulheres com essas características possam se identificar com a personagem, mas confesso que não curto muito quando os romances são com elas porque raramente consigo me sentir ligada a elas. 


Eu gostaria de deixar claro que apesar de ter revirado os olhos para muitas atitudes do casal, o final do livro foi interessante o suficiente para eu solicitar Dominada, o segundo volume da série The Enforcers, que promete revelações bastante esperadas por mim e este é o principal motivo de estar bem curiosa sobre ele.







Título: Submissa Série: The Enforcers Páginas: 321 | Autora: Maya Banks
Tradutora:  Isabela Noronha  | Editora: Gutemberg | Ano: 2017

9 comentários:

  1. Oiieee como vocês estão meninas?

    Ah de momento acho que não seria meu tipo de leitura. A história em si não me atrai e confesso que não sou fã de livros com uma pegada mais pro lado erótico... Acho que dessa vez vou deixar a dica passar.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  2. Hello! Tudo bem?
    Tem um tempo que estou de olho nessa trilogia e na verdade nem sabia do que se tratava.
    Ando lendo poucos eroticos, ainda mais qdo é dominador e submisso, mas gosto do tem,a pois estou sempre aprendendo sobre esse estilo de vida.
    Mas vc tem toda razao, a moça ir morar com um desconhecido depois de apenas 24h é forçar a barra demais, haha.
    Uma pena que eu acho as capas bem feias, mas um dia quem sabe leio.
    Beijos e gostei mto da sua resenha sincera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suzzy!

      Então, esse negócio de eles morarem juntos depois de 24 horas foi muito sem noção para mim. Especialmente por não conseguir acreditar em instalove sabe? Mas tem pontos positivos no livro também, especialmente no final.

      Beijinhos

      Excluir
  3. Gosto demais do gênero, mas ando meio sei lá. Parece que tudo que saiu depois da chatice de Cinquenta Tons é igual. O mesmo playboy rico, a mesma mocinha ingênua. Tá, no caso do livro acima, a moça pode até não ser tão ingênua, mas foi tudo rápido demais. Ingenuidade ou burrice?rs
    Se tiver oportunidade, quero dar uma olhada no livro sim, mesmo ainda estando com os pés atrás.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também ando meio desanimada com os livros do gênero porque é SEMPRE A MESMA PREMISSA! O cara rico, dominador e mulherengo. A mocinha ingênua, pobre e que desperta algo nele que nunca sentiu. O negócio é que 50th Shades para mim foi um fiasco (detesto a escrita da autora) e eu adoro os livros da Maya Banks então decidi arriscar.

      Excluir
  4. Não conhecia a série, mas confesso que estou um pouquinho saturada de homem dominador com mocinha forte que luta para viver e cá entre nós, conhecer o cara e de um dia pro outro deixar ele mandar e desmandar na minha vida, será que ele parou para pensar que Evangeline gostava de lutar pela suas coisas, pois se fosse para aceitar de mão beijada ela pegava a grana dos pais. Desculpe, eu nem li e estou reclamando, só não curti essa premissa. Passo a dica revirando os olhos.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá :)
    Acho que esse livro tem tudo o que não gosto nos romances hot kkkkk gosto bastante da ideia do bdsm, mas acho que a maioria das protagonistas são submissas demais (fora do sexo) e fica muito com cara de relacionamento abusivo.
    Não sei se esse livro algum dia me interessaria :/ ainda mais pelo que vc citou que não gostou (sério, morar com o cara em 24h? Essas autoras acham que isso é uma coisa normal? Kkkk)
    Mas gostei da resenha ^^

    ResponderExcluir
  6. Hey!
    Essa é minha leitura atual, comecei a ler na madrugada e até então minha opinião não foi formada. Espero gostar já que não vejo ninguém falar mal da Maya Banks.
    Beijos
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  7. Hey, tudo bem?
    Esse é aquele típico livro que eu torço o nariz de cara, que não sinto vontade de ler, pois, 1 não gosto de hot, 2 não gosto esse negócio de submissa e dominador, mas entendo quem gosta, só acho que, nesse livro, as coisas ficaram meio forçadas. Será que só eu pensei isso?
    A sua resenha está impecável, como sempre.
    Beijos

    ResponderExcluir

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.