[RESENHA] Highlands #1: Herói Nas Highlands - Paraíso Literário

19 de junho de 2018

[RESENHA] Highlands #1: Herói Nas Highlands


Oi gente! Seguindo com o nosso especial do Mês dos Namorados (se você ainda não sabe do que estou falando clica aqui) vim compartilhar com vocês a minha opinião sobre Herói Nas Highlands da Suzanne Enoch que foi lançado pela Editora Gutenberg.


Major Gabriel Forrester enxerga tudo como uma batalha. Cada evento de sua vida é tido como um conflito a ser travado e vencido. E ele adora isso. As estratégias, blefes e artimanhas que deve empregar para atingir seus objetivos, além disso o Major é bom neste tipo de coisa o que fica claro quando se percebe que ele conseguiu a patente por mérito próprio e não por alguma conexão que a família poderia ter, aliás ele não tem nem família além da irmã mais nova que não vê a anos, mas para quem destina metade de seus ganhos.

As coisas mudam depois de uma batalha na Espanha contra o exército de Napoleão. Depois de desrespeitar ordens diretas de seu superior para ficar longe da ação e salvar a investida inglesa das tropas francesas eis que uma notícia inesperada cai bem no seu colo: seu falecido tio-avô era o Duque de Lattimer e não possuía herdeiros, o que faz dele o novo dono do título. Tudo muda na vida de Gabriel e ele não está nada satisfeito. Até então a única coisa boa advinda da herança indesejável é o conforto que pode proporcionar à irmã mais nova. 

Como sua principal função é administrar terras que lhe foram passadas e ele não só não possui informações sobre sua maior propriedade que fica na Escócia, como o administrador também enviou uma ameaça, o novo duque decide que é hora de conhecer suas terras nas Highlands, mas ao chegar lá é surpreendido pelo fato de possuir uma administradora. Fiona Blacksotock é uma mulher decidida, compassiva e absolutamente bela que promete tornar a vida do inglês mais difícil, não apenas nos assuntos relativos às suas terras.

Entre uma atração forte e preconceitos enraizados no coração, Fiona terá de lidar com o fato de que o Duque de Lattimer vai passar algum tempo na propriedade e que, se ela o quiser longe o quanto antes, vai precisar esconder alguns segredos e tentar não se apaixonar pelo belo homem cheio de cicatrizes e uma vontade de ferro.

Eu já li um outro livro da Suzanne Enoch e adorado, mas estava com medo de sentir que estava lendo a mesma coisa já que ambos são romances de época. Acontece que Como Se Vingar De Um Cretino e Herói Nas Highlands são obras completamente diferentes tanto em termos de composição de personagens quanto no tocante ao desenvolvimento da história.



Gabriel é um homem moldado pelos doze anos que viveu combatendo. Isso faz dele um personagem diferente dos libertinos disfarçados de cavalheiros britânicos que geralmente povoam os romances de época e roubam meu coração (não que o Major não tenha feito esta última parte), o Major possui modos mais rústicos e é inabalável, além de ter uma filosofia de vida bem peculiar e estar sempre pronto para um embate. 

Fiona é um caso à parte. Durante o começo do livro eu a adorei, ela é uma mulher bastante forte e decidida, mas quando cheguei na metade da leitura estava realmente cansada da quantidade de ódio que ela nutria pelo Gabriel apenas por ele ser inglês. Eu sei que o período é complicado, estamos falando de pouco mais de 60 anos após a Batalha de Colloden,  onde ingleses não eram nada bem-vindos na Escócia, mas mesmo entendendo o background fiquei um pouco incomodada com isso porque preconceito e ódio (gratuito ou não) são coisas que me incomodam independente de período histórico. 

Acontece que lá pela reta final da história eu voltei a gostar da Fiona e curtir de novo a trama. Então ela acabou sendo uma personagem bastante controversa e muito complexa. Em geral coisas das quais eu gosto bastante em uma leitura, mas que aqui teve um lado positivo e outro negativo, mas claro que no fim tendeu pro primeiro.

O Sargento Adam Kelgrove, assistente de Gabriel, realmente merece um destaque à parte. Com todo seu sarcasmo e lealdade ao seu superior ele realmente me conquistou. Há também uma atmosfera de superstição dentro do livro que é muito característico dos Escoceses desta época e que foi muito bem retratada dentro da obra, o que eu achei muito importante destacar aqui.

Eu gosto dessa capa principalmente por retratar a personagem principal do jeito que ela é descrita no livro, além disso ela tem tons que me agradam de verdade. Eu não posso descrever a diagramação como nenhuma outra palavra que não seja fofa. A arte do início de cada capítulo é bem romântica e combina com o tom do livro. A fonte tem um tamanho agradável e somada às páginas amareladas tornaram a leitura bem confortável.

Herói Nas Highlands foi uma leitura leve e bastante divertida. Com personagens que adoram se desafiar e se provocar mutuamente o livro terminou tão rápido que foi quase decepcionante que a história de Gabriel e Fiona não tivesse mais páginas para me entreter.








Título: Herói Nas Highlands Série: Highlands Páginas: 272 | Autora: Suzanne Enoch
Tradutora: A. C. Reis  | Editora: Gutenberg | Ano: 2017



10 comentários:

  1. Ooi,
    Eu acho que só tinha conhecido esse livro pela capa mesmo, ammo romances de época e fiquei bem curiosa com a história! Mas lendo a sua resenha, parecia que eu já tinha lido a história, não sei porque, acho que estou lendo muitos livros do mesmo gênero kkk... Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  2. Li um livro até agora com essa pegada highland e amei muito a trama e personagens. Agora quero ler mais livros do gênero, e sua resenha me deu uma ótima dica de livro/autora para começar a ler! Quero muito conhecer melhor os personagens, e espero que eu também ache a história divertida, o que eu não duvido que vá acontecer, pois já amei a trama.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. MEU DEUS, PRECISOOO DESSE LIVRO! Não o conhecia, mas agora já o considero pakas hahaha. Eu amo romance de época, e esse parece ser bem diferente dos demais, o que é muito muito bom. A premissa super me chamou atenção e eu preciso ler isso pra ontem! Amei sua resenha.
    Beijos
    https://porvarioslugares.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, Jessie!
    Interessante a premissa do livro, clichê, mas interessante. Que bom que seu receio deste livro ser parecido com o outro da autora que você leu caiu por terra e se mostrou algo diferente de uma forma boa. Parece um pouco incomum isso da personalidade do mocinho, mesmo sabendo roubar o coração dos leitores, não ser como a dos demais personagens desse tipo de trama, e que a mocinha seja forte e decidida - ainda que a parte do ódio dela para com ele, mesmo "justificado" entre as tensões de ingleses e escoceses da época, não é nada agradável em contexto nenhum, e imagino que tenha se sentido incomodada mesmo. Fora à isso, bom que a leitura tenha fluido. Não é o meu tipo de narrativa; só esses dias, na verdade, é que tenho dado uma chance real aos romances de época com um da Julia Quinn, o qual estou gostando, mas esse da Suzanne já não me chama tanto a atenção. Valeu a dica mesmo assim. =)
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ Sonhando aos Vinte ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bom?
    Apesar desse ódio gratuito da Fiona ser algo que sei que vai me incomodar também, eu super entendo o ponto de vista dela. Depois de Culoden, como culpa-la por odiar um povo que dizimou sua cultura, as pessoas que amava e o direito de ser quem é? (porque nem direito de usar os tartãs com as cores dos clãs eles tinha mais, era crime).
    Enfim! Amo romances de época, amo esse período histórico e mal posso esperar para ler esta obra, que está em minha estante esperando para ser lida.
    Amei demais sua resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Terminei ontem Como se vingar de um cretino e estava com saudades da escrita da Suzanne Enoch. Este livro em questão até então não tinha chamado tanto a atenção, justamente porque sempre abordam o ódio dos escoceses pelos ingleses (e é realmente cansativo), mas eu fiquei com muita vontade de ler agora, porque a escrita da autora faz toda a diferença.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  7. Olá Jessie,
    Estou numa vibe de ler muitos romances de época, mas isso me faz ver como as coisas tendem a se repetir infinitamente dentro desse gênero. Confesso que até estava animada com esse livro, o choque de realidade para Gabriel, a existência de uma administradora, uma mulher que balança seu mundo, mas, quando li que ela nutria tanto ódio por ele, fiquei com o pé bem atrás de fazer essa leitura. Estou um pouco cansada desses livros gato e rato, que é o que estou encontrando em minha atual leitura, então, vou passar a dica, pelo menos, por enquanto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oii,
    achei essa história interessante e parece bem diferente da maioria dos romances de época que já li resenhas. E também achei a capa maravilhosa! Não costumo gostar de capas com pessoas, mas esta está de muito bom gosto.

    http://anneandcia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu adoro a escrita da Suzanne Enoch, justamente por isso, além de ter uma narrativa gostosa, as histórias sempre trazem elementos que diferenciam, não se tornando repetitiva.
    Fico contente que tenha apreciado a leitura! Eu amo esse casal.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Quando embarco num romance de época também tenho esse medinho de que lerei a mesma história, ainda bem que nesse caso não aconteceu isso. Vejo que a Suzanne soube desenvolver uma história boa, com personagens bem distintos de outras obras dela. Fiona parece ser uma personagem interessante, ainda mais você dizendo que ela é complexa. Essa coisa do ódio é realmente complicado, mais Enfim, me interessei pela trama.

    Beijos
    Vento Literário

    ResponderExcluir

© 2018. Tema alterado parcialmente para Paraíso Literário. Todos os direitos reservados.. Tecnologia do Blogger.