[RESENHA] Amor Amargo


Oi gente! Hoje vim conversar com vocês sobre Amor Amargo da autora Jennifer Brown, uma obra publicada a alguns anos pela Editora Gutenberg, mas que continua tão absolutamente relevante quanto na época de seu lançamento (três anos atrás!) então continue lendo para saber mais.

Alex é uma estudante exemplar do último ano do Ensino Médio que com a iminente  formatura pretende realizar um sonho de viajar até o Colorado, lugar para o qual sua mãe estava indo quando acabou sofrendo um acidente e morrendo tragicamente. Mas ela não irá sozinha, seus melhores amigos Bethany e Zach irão acompanhá-la nesta incrível aventura e já há vários planos feitos e muitos outros ainda por serem traçados, mas o trio está muito empolgado.

Mas então Cole aparece para bagunçar toda a vida organizada de Alex. Ele é popular, encantador, divertido e absurdamente lindo. Impossível não se tornar um crush, assim, quando ele demonstra interesse por ela, a garota fica nas nuvens. Parece um sonho quando eles dois enfim engatam um relacionamento que parece a concretização de todos os desejos mais secretos de Alex, mas conforme o tempo passa tudo começa a se tornar um pesadelo.

Cole tem um temperamento explosivo e, às vezes perde a razão e acaba maltratando a namorada, mas claro que ela releva. Ele é tão perfeito e isso acontece tão raramente. É normal, todo mundo perde o controle em algum momento e fala coisas que não queria realmente dizer. O garoto também é absolutamente ciumento e não aceita os amigos dela, especialmente Zach, mas ciúme é apenas uma prova de que ele realmente a ama, certo? 

Alex tenta se convencer disso durante um bom tempo, mas conforme o relacionamento vai ficando cada vez mais violento aos poucos ela passa a perceber que aquilo não está fazendo bem para ela, mas como escapar de um relacionamento com alguém que não vê problema algum em te machucar quando você tem um pai omisso e já se afastou dos seus amigos?

Esse é o segundo livro sobre relacionamento abusivo que leio em menos de um mês (tem resenha de Muito Além Do Amor no blog, clica aqui pra ler!), mas os livros trazem perspectivas muito diferentes, mas realmente interessantes. Enquanto a Camila Moreira tem uma personagem que está tentando superar o que aconteceu, Jennifer Brown traz a construção e desenvolvimento desse tipo de relacionamento, onde a vítima ainda não sabe pelo que está passando e arruma mil desculpas para as atitudes do agressor. E qual dos dois livros é mais relevante para mim? Ambos! 

Amor Amargo é uma obra extremamente densa, apesar do número curto de páginas, com personagens complexos e uma trama bastante pesada, mas o fato que mais me surpreendeu é o de que eu, que não gosto mais de YA como antigamente, simplesmente me senti encantada e apaixonada por essa história. O livro não romantiza em momento algum as situações pelas quais Alex passa e mostra que até vir o primeiro tapa dentro do relacionamento abusivo geralmente há um caminho longo a ser percorrido, um que faz a vítima se sentir mais frágil. 

As cenas onde Cole humilha Alex são realmente de cortar o coração, todo o abuso psicológico foi ficando cada vez mais pesado até o momento em que tive vontade de entrar no livro e acabar com o sofrimento da personagem. Doeu muito em mim ler essa trama por saber o quanto esse tipo de coisa é comum, que está acontecendo agora enquanto escrevo esta resenha. Mulheres de todas as idades são subjugadas por seus namorados, maridos, companheiros, homens nos quais elas depositaram sua confiança e isso é revoltante!

Eu acabei encontrando um post interessantíssimo (e completamente triste!) sobre os números nacionais de violência contra a mulher: em 2015 o Brasil registrou uma média de um estupro a cada onze minutos (estima-se que isso representa 10% do total, já que a maioria dos casos de estupro não é denunciada!); a cada 7.2 segundos uma mulher é vítima de violência física. No mesmo ano a Central de Atendimento à Mulher (180) atendeu a 749.024 casos (1 a cada 42 segundos!). Há outros dados muito interessantes no post que você pode ler clicando aqui.

O fato é que apenas conscientizar a mulher do que é um relacionamento abusivo não basta, a vítima provavelmente sabe o que é, mas não consegue reconhecer que está vivendo um. É preciso que o agressor seja culpabilizado e que os meninos sejam ensinados que não são superiores às meninas. É preciso que os pais não estimulem certos tipos de comportamentos e nem os protejam quando fizerem algo errado, porque do contrário haverá ainda muitas Alex por aí.

Uma das coisas que mais gostei é que, em certo ponto, Alex acabou se afastando dos melhores amigos, mas isso não fez com que eles se afastassem dela e se manteram fiéis à ela, mesmo discordando profundamente das atitudes que a garota tomava, afinal eles percebiam que aquele relacionamento não estava fazendo bem algum para ela. Foi interessante ver esse tipo de comprometimento e amizade sendo retratada.

Outro fator que me fez gostar ainda mais do livro são os personagens secundários absolutamente bem desenvolvidos e que contribuem ativamente para o desenvolvimento da narrativa e acredito que por isso mesmo a leitura não foi nada fácil. A narrativa em primeira pessoa me fez sofrer junto com a protagonista e por isso tive mesmo que dar um tempo na leitura algumas vezes, tamanha a angústia que eu estava sentindo.

O título do livro não é uma tradução fiel ao original, mas faz sentido dentro do enredo. Adoro essa capa e devo dizer que ficou muito mais incrível que a original (a de Bitter End é bem estranha!). A diagramação é bem simples e confesso que não encontrei nenhum erro de revisão no livro que tenha chamado a minha atenção o que só prova a qualidade do trabalho da equipe da editora. As páginas amareladas tornam a leitura ainda mais fluida.

Eu tenho que ressaltar que esse tipo de obra é mais do que uma leitura, é um alerta necessário para que possamos repensar certas coisas e, quem sabe assim, mudar alguns padrões de comportamento que foram aceitos durante muito tempo, mas que desde sempre estavam moralmente errados. E vamos lembrar? A culpa NUNCA é da vítima!





Título: Amor Amargo Páginas: 256 | Autora: Jennifer Brown
Tradutor:  Guilherme E. Meyer  | Editora: Gutenberg | Ano: 2015
Comentários
6 Comentários

6 comentários :

  1. Olá!
    Tenho muito receio de livros com esse tema. Mas o lado bom de ler resenhas deles é que a resposta para o meu receio normalmente é dada e aqui você já me garantiu que ele não acontece. O relacionamento abusivo e violento é tratado com realidade (apesar de triste) e não romantizado. E, apesar de saber que vou sofrer junto com a personagem na hora da leitura, fiquei bem interessada em realizá-la. Ótima resenha!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    O título já dá uma ideia né de que algo não vai bem no relacionamento. Adorei suas considerações e fiquei com muita vontade de conhecer a trama. Gosto desses dramas e de conferir como os autores vão retratar sobre um tema tão importante ao longo dos capítulos.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Quero muito ler os livros da autora, mas ainda não me preparei psicologicamente, hehe. Parece ser uma leitura bem densa, pelo tema pesado. Adorei tua resenha e fiquei mais ansiosa ainda pra ler a obra.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Oiii

    Todos os livros dessa autora são sempre sobre temas fortes e bem relevantes, acho muito interessante a maneira como ela narra as histórias que conta e só escuto elogios sobre maneira de conduzir a trama e criar seus personagens. Eu me lembro de ter visto esse livro há tempos e achei bem legal relembrar ele. Uma leitura bem interessante pra quem busca uma temática juvenil mais forte com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Amo a escritora Jennifer Brown, ela é bastante atenciosa com seus fãs. Sobre o livro, eu tenho muita vontade de ler o livro, por se tratar de um assunto muito relevante é que ultimamente vendo sendo muito discutido no nosso país. Já li outros livros sobre o tema e todos são emocionantes e de cortar o coração. Ansioso pra ler "Amor amargo". Adorei a resenha.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem? Esse tipo de leitura mexe por demais com os sentimentos principalmente nós que somos mulheres, já li alguns temas assim, mas sempre foi uma mãe ou uma tia, nunca um namorado, mas acho que deve ser pior essa pressão psicológica, sempre sofro junto com os personagens e choro também, mas adoro esses temas, vai entender né kkk, adorei sua resenha é direta e fiquei super entusiasmada em ler o livro parabéns, obrigado pela dica. Bjs!

    ResponderExcluir