[RESENHA] Cidade da Música #1: Sonata Em Punk Rock


Oiii seus lindos, depois de muito tempo eu finalmente vim contar para vocês o que eu achei de Sonata Em Punk Rock, primeiro volume da serie Cidade Da Música da autora nacional Babi Dewet, e lançado pela nossa amada Editora Gutenberg. Já adianto que foi um livro bem ambíguo para mim, já que até o presente momento eu não sei se gostei, se não gostei ou se foi só uma leitura ok. Então sem mais delongas vamos conferir um pouco da história e o que achei dela.


Valentina Gontcharov, ou Tim, como gosta de ser chamada é uma jovem gerente de um mercado de bairro, que intercala a vida entre o emprego e em ajudar a mãe em casa, até que toma ciência de que sua facilidade em aprender a tocar alguns instrumentos se deve a um dom: ela possui ouvido absoluto, e a partir dai ela começa a se questionar de por que escolher uma orquestra se ela pode ter uma banda de rock, e são seus questionamentos, o amor pela música e seu grande dom que a levam a ser aceita no melhor e mais famoso conservatório de musica do pais, a Academia Margareth Vilela.

Assim Tim, tem a chance de construir uma nova vida na Cidade da Música, e é neste local e no conservatório que a jovem terá que superar seus medos e receios e mostrar aos outros, e principalmente a si mesma, que ela é capaz de ser mais do que a menina que curte punk rock, ela pode ser uma garota que ama um som mais pesado e não convencional, mas que também pode dominar um piano e aceitar o seu lado clássico.

E como nem tudo são flores, Kim, o garoto mais popular, lindo, arrogante e que se acha a estrela do universo cruza seu caminho, e de um jeito que ela não esperava, torna praticamente impossível ignorá-lo. E neste contexto todo, Valentina irá mostrar a Kim que o mundo não é tão certinho e que a Cidade da Música é muito mais do que os sons clássicos a que ele está acostumado a escutar o tempo todo.

Não sei dizer direito o que eu esperava deste livro já que ainda não tinha lido nada da Babi, mas como tinha achado a capa maravilhosa e gostei muito da premissa decidi solicitar, mas o enredo todo não era o que eu esperava, em alguns momentos eu me surpreendi de forma positiva, em outros eu fiquei incomodada e houve ainda alguns que achei somente ok a história.

A princípio o que me deixou muito incomodada foi que desde o primeiro momento em que o conservatório apareceu eu me senti lendo um livro sobre Camp Rock (aham, o filme da Disney mesmo!), e isto seguiu me aborrecendo porque em diversos momentos pensei que Kim era o personagem do Joe Jonas no primeiro filme, e em outros momentos eu achava que o contexto todo era sobre The Final Jam (o segundo filme) e para ser bem honesta se a inspiração da Babi foi esta ela teve muito sucesso em reproduzí-la.

E tirando este inconveniente eu gostei muito da história, achei a Tim muito forte e obstinada, mesmo quando ela tinha suas dúvidas e suas inseguranças conseguia mostrar para si mesma e para o mundo que ela estava ali por ela por seus sonhos e azar o dos outros e eu sinceramente respeito este tipo de atitude. O Kim foi um personagem meio problemático, porque em alguns momentos eu o amava e em outros eu queria que a Valentina abrisse a tampa do piano e batesse repetidas vezes na cabeça dele.

O Kim tem uma mente bem confusa, e para ser bem honesta eu amei este ponto nele, porque me passou a impressão de realmente estar sentindo e vivendo como ele, o que me fez ter um pouco de empatia pelo personagem, mas não tirou minha vontade de agredi-lo em alguns momentos durante a leitura. No fim, minha relação a ele foi cheia de ambiguidade.

Gostei bastante da escrita da Babi, mesmo ficando com a impressão de estar lendo cenas Camp Rock em diversas passagens, foi uma leitura agradável e que pude aproveitar. Amei os personagens secundários que ela criou, principalmente os novos amigos da Valentina, e a amiga virtual que ela tem, foram eles que proporcionaram vários dos diálogos mais engraçados e fofinhos. Claro que as primeiras interações da Valentina e do Kim também foram bem engraçadas, porque eles meio que tem uma repulsa e os diálogos são repletos de ironia e sarcasmo e de cenas bem engraçadas.

E por falar em diálogos, a única coisa que eu realmente senti falta foi de uma exploração maior da relação familiar da Valentina, não só com a mãe que me pareceu uma mulher maravilhosa e que eu queria conhecer um pouco melhor, mas com o pai, porque realmente queria que a Tim esfregasse algumas coisas na cara dele, e que tivéssemos varias cenas de voltar por cima, e como o segundo livro conta a história de outros personagens acredito que este núcleo familiar vai ficar perdido.

A edição é uma fofura a parte, com esta capa maravilhosa que diz muito sobre a obra, mais do que eu poderia imaginas na primeira vez que vi e me apaixonei por ela. A fonte esta ótima, com folhas amareladas e não encontrei muitos erros de revisão não, o que realmente é maravilhoso e ajuda a não embarreirar a leitura.

De uma forma geral é um bom livro, foi uma leitura bem agradável e fluida, embora eu ainda não tenha decidido o que sentir por ela, de toda forma recomendo muito, porque eu ainda não sei o que sentir, mas você pode se apaixonar por Sonata Em Punk Rock.


Título: Sonata em Punk RockSérie: Cidade da MúsicaPáginas: 300
 Autora: Babi Dewet  | Editora: Gutenberg| Ano: 2016

Comentários
15 Comentários

15 comentários :

  1. Oi.

    Eu li uma resenha desse livro essa semana e gostei muito do enredo do livro. Eu já tinha vontade de ler, mas não sabia muito sobre ele* então ficava na dúvida de era realmente o que eu buscava. Gostei muito da história, dos personagens e, é claro, da questão da música no livro.

    ResponderExcluir
  2. Niiiiiiiiiiinha ♥

    Agora eu só consigo ver esse livro e pensar "Camp Rock todinho" kkkkkkkkkk

    É legal que tenha conseguido aproveitar essa história, confesso que se fosse eu lendo ia querer jogar o livro pela janela porque é ok um filme que nem Camp Rock, mas daí tacar isso em um livro não rola pra mim.

    Fico feliz que não tenha sido de todo ruim, é ótimo que a Valentina (aliás, que apelido é Tim pelamor de Deus?) tenha encontrado seu caminho, essa questão de seguir seus sonhos é bem legal. Kim, por outro lado, seria o típico personagem pelo qual sentiria bastante repulsa no começo e talvez, depois, eu conseguiria não odiar tanto.

    Enfim, a resenha tá ótima e os comentários em off foram maravilhosos! Vou passar a dica desta vez amorzinha porque já existe um Camp Rock e eu até gosto dele!

    Beijinhos de luz kk
    Jessie

    ResponderExcluir
  3. Olá! Que gostosinho esse livro deve ser! Gostei muito dessa pegada punk rock, cresci ouvindo essas vertentes e me identifiquei.. Gostei da premissa dela conseguir ir pra escola, mesmo tendo que engolir esse pai que volta do nada pra vida dela.. Anotei a dica! Obrigada!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  4. Gente, agora se eu for ler esse livro só vou lembrar de Camp Rock.
    Achei legal a Tim gostar de punk rock e música clássica. É bem quebra de esteriótipo de quem curte um não pode curtir o outro.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra a um exemplar autografado de O que eu tô fazendo da minha vida
    Sorteio de aniversário Balaio de Babados e O que tem na nossa estante. São quatro kits; um para cada ganhador

    ResponderExcluir
  5. Olá, lembro de ter assistido Camp Rock quando criança e nossa, adorava aquele filme kkkkkk. Cresci escutando muito rock, hoje escuto menos, porém sempre que bate a vontade volto a escutar algumas bandas. O livro infelizmente mesmo sendo sobre algo que eu possa gostar não me chamou muita atenção, talvez seja por causa dos problemas que ele tem e a história também, não me fez criar uma certa curiosidade para ler. Espero que seja uma experiência boa para quem for ler ele, e gostei bastante da sua resenha, bjs!!

    ResponderExcluir
  6. olá... pra ser sincera não curto o gÊnero, e já tinha visto algumas opiniões não mto agradáveis sobre a obra... achei a premissa bem clichê, ando evitando leituras do tipo... meio saturada já rsrs

    bjs...

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não li nada da Babi, mas como o segundo livro dessa série será tema do Clube do Livro Autêntica e eu sou cheia de manias, com certeza vou ler esse primeiro livro antes!! Rs... Acho que tenho uma vantagem, já que não tenho ideia do que seja Camp Rock! kkkkk Se eu nunca vi, não posso ficar pensando nele!! kkkk
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Gosto muito da escrita da Babi, acompanho as histórias que ela escreve desde os tempos das fanfics haha Gosto muito de Sonata em Punk Rock porque ela consegue pincelar alguns temas importantes com o Kim, como a adoção e o TDAH. Ao contrário de você, por eu viver com doramas, relacionei a trama com Hana Yori Dango, mas acho que a comparação com Camp Rock super funciona em alguns aspectos também haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Babi!
    Ainda não conhecia esse livro e me animei quando você disse ter a impressão de estar lendo cenas de Camp Rock. Foi um filme que marcou minha adolescencia e acho que vai ser bem legal ler algo que reviva um pouco disso. Pela sua resenha tive a impressão que isso tirou um pouco da originalidade do livro, não?
    Espero poder definir o que sentir quando ler haha

    Beijos
    FLeituras – Leituras da Fabi

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Eu sou louca para ler esse livro, mas nunca lembro de colocar ele no carrinho quando estou fazendo compra de livros. Eu nunca li nada da autora, mas sempre ouço as pessoas falando bem dessa série. Espero que quando eu finalmente conseguir ler eu goste mais do que você gostou, pois estou há muito tempo querendo ler ele!

    Beijos!
    https://www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  11. Acho que o primeiro comentário que eu mandei não foi enviado ): se tiver sido, ignore este outro. Queria dizer que conheço a Babi Dewet, mas ainda não peguei um livro escrito por ela pra ler! E achei muito engraçada sua comparação com Camp Rock. Acho que esse não é muito o meu tipo de livro, mas fico feliz de saber que você gostou, apesar de terem faltado algumas coisas. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu tenho esse ebook e até hoje não fiz a leitura. Gostei da forma como o enredo é explorado, um young adult repleto de elementos que nos remete em outras leituras ou produções, inclusive sua comparação com Camp Rock acho que é a evidência mais forte desse livro. Adoro esse tipo de leitura e fiquei com vontade de dar uma oportunidade pra essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  13. A capa desse livro é mesmo linda, mas como eu acho o enredo bem jovenzinho nunca senti vontade de ler.
    Eu ri ali quando você disse que não sabia como tinha se sentido! Hahahaha Às vezes também termino uma história e não sei bem o que achei!
    Acho que se eu lesse também iria me incomodar com essas semelhanças com Camp Rock, sabe? Acho que identidade é algo muito importante, e uma coisa é inspiração, outra e ser muito parecido. Outra coisa que eu achei meio estranho foram esses nomes rimando: Tim e Kim! Hahahahhaa

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu adoro a escrita da Babi desde que li a trilogia Sábado à noite (que, aliás, recomendo muito). Então, tenho uma expectativa bem alta para esse, o que me deixa com medo.
    Que bom que, apesar de ter algumas ressalvas e ter terminado sem saber muito o que sentiu em relação ao livro, pelo menos foi uma leitura agradável para você. Eu confesso que não assisti Camp Rock, então, não peguei as referências que você fez na resenha haha. Porém, vou diminuir um pouco as expectativas para não correr o risco de me decepcionar depois.
    Adorei a sua resenha e a forma sincera com que você falou sobre o livro, e espero lê-lo em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Eu ainda não li nada da autora, mas confesso que não tenho muita curiosidade. Eu assisti os dois filmes que você citou e acho que eu ficaria incomodada também, mas será que foi a inspiração da autora? Fiquei curiosa agora.
    Beijos

    ResponderExcluir