[AUTOR DO MÊS] Entrevista com Sherla M. Silva



Oi gente! Continuando com a coluna do Autor do Mês (se você perdeu os outros posts de autor do mês é só clicar aqui) que esse mês conta com a participação da Linda da Sherla M. Silva, nos trouxemos uma entrevista sensacional para que vocês possam conhece-la melhor!


1- obrigado por aceitar ser nossa autora do mês Sherla! Conta pra gente um pouquinho de onde surgiu a inspiração para escrever Tarsia.

R: Eu que agradeço pelo convite! Será uma honra poder contribuir para o crescimento do quadro “Autor do mês”. Bom, há alguns anos eu tive um sonho e não foi comum, pois tudo parecia ser realista demais. Sonhei que estava em um lugar diferente no qual as paisagens se alteravam entre florestas, montanhas, vulcões e neve. A sensação ao acordar foi tão boa que pensei imediatamente que esse cenário daria uma boa história. A partir desse momento passei a trabalhar minha escrita para conseguir criar uma história que se parecesse com os livros que lia.

2- Os personagens de Tarsia foram inspirados em pessoas reais ou eles surgiram com suas personalidades em sua cabeça? Ou foi um pouquinho dos dois? 

R: Talvez um pouco dos dois, eu queria criar personagens que fossem diferentes entre si, tanto física como mentalmente, então parei para pensar em como eles seriam, aos poucos eles foram surgindo em minha mente e gostei bastante do resultado. Quanto à personalidade, todos eles carregam um pouco mim, os conflitos que enfrentaram e as emoções que tomam conta deles, posso dizer que existem traços meus neles.

3- De onde surgiu a ideia dos colares dos elementos?

R: Pela ideia inicial se tratar de paisagens diferentes, logo as associei com os elementos da natureza. Particularmente é um tema que gosto muito. Nessa parte a história carrega bastante influência do desenho “Capitão Planeta”, no qual cinco jovens portavam anéis mágicos e que quando unidos traziam o super-herói para salvar o dia. Pensei em colares para ser diferente e também pela questão de formarem um círculo (um elemento importante na trama).

4- Você já está trabalhando em outras histórias no mundo de Tarsia? 

R: Sim. Atualmente estou escrevendo o segundo volume da série e posso adiantar que terá como elementos chave a preservação do meio ambiente, luta contra poder ditatorial e fé. A terceira parte está sendo arquitetada e também irá prometer muitas surpresas!

5- E fora deste mundo, já existem outras histórias em sua mente? 

R: Sim, tenho várias ideias, entre elas uma duo ou trilogia sobre o Oriente Médio, também na área da fantasia, um romance romântico e vários contos.

6- Quais são as histórias que te inspiram? 

R: Gosto muito de histórias de fantasia como Nárnia e Percy Jackson, posso dizer que essas são minhas favoritas.

7- E quais autores te inspiram?

R: Hoje não tenho autores favoritos, gosto de pensar mais nas histórias que eles contam.

8- Existe algum gênero que você goste, mas que não se arriscaria a escrever nele?  E existe algum que em nenhuma hipótese você escreveria?

R: Gosto de histórias como Sherlock Holmes, mas tramas policiais são complicadas do meu ponto de vista, uma ponta solta e a história inteira pode ser prejudicada. Não gosto de terror e romances pesados.
                                               
9- Conta pra gente como você conseguiu compor esse universo tão incrível?

R: Em primeiro lugar, muito obrigada pelo elogio. Eu passei anos imaginando cada detalhe. Queria criar um mundo único com todas as criaturas que gosto. Criar mundos não é tarefa fácil, ainda mais mundos fantásticos. Não basta apenas colocar elementos de fantasia na história, é preciso que eles tenham coerência, que façam sentido.

10-  Qual traço da personalidade da Rysa, da Aisha, do Liam e do Raja são mais importantes/marcantes para você? 

R: O Raja possui muita esperança e sempre procura um meio de arrumar tudo, acredito que isso seja importante para nos lembrar que sempre há uma maneira de resolver os problemas. A Rysa possui delicadeza e é muito discreta, como uma verdadeira princesa. Aisha é guerreira tanto por fora quanto por dentro, ela nos ensina que devemos ser fortes, mas não a ponto de passar por cima de nossos sentimentos e dos outros e o Liam é o brincalhão, que sempre tem uma piada pronta para qualquer situação, um alívio cômico se faz necessário, mas ele não é importante apenas por isso, também é companheiro e procura ajudar, mesmo que para os outros isso signifique que ele irá atrapalhar.

11- Obrigado por está entrevista Sherla. Você poderia nos contar se tem um ritual pra escrever (tipo precisa de silêncio total ou de escutar algum tipo de música para conseguir se conectar ao universo que está criando)?


R: Eu costumo ouvir músicas épicas (epic music). Existem muitas playlists boas no YouTube, elas me ajudam a me conectar com a história e pensar nos próximos passos. Também me considero uma escritora jardineira, muitas cenas não são planejadas com antecedência, simplesmente surgem na hora que estou escrevendo e particularmente gosto dessa liberdade. Planejar uma história é muito importante, pois nada se cria do nada, mas deixar alguns pontos irem se criando é algo mágico, prova que as histórias e personagens tem vida própria! Eu que agradeço pela oportunidade!

Esperamos que tenham gostado da entrevista pessoal! Para saber mais sobre a autora basta clicar aqui para ver o post anterior! E esperamos vocês na semana que vem para conferir o conteúdo exclusivo que Sherla preparou pra gente!



Comentários
1 Comentários

Um comentário :

  1. Ahhh amei a entrevista, Sherla é uma fofa e o livro dela é incrível, muito bom!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir