[RESENHA] Os Bridgertons #3: Um Perfeito Cavalheiro


Oii seus lindos, hoje vim falar para vocês sobre o terceiro volume de Os Bridgertons, Um Perfeito Cavalheiro. Admito que não queria muito ler ele porque o irmão que eu realmente quero conferir a história dele é o Collin, e eu não tinha me afeiçoado ao Bendict nos primeiros livros, mas fico feliz de contar para vocês que tive uma grata surpresa com esta história. Então bora lá conferir o que eu achei do livro.
Sophie é uma jovem que sempre sonhou em ir a um dos grandes eventos da sociedade londrina, e ainda que seja filha de um conde seu sonho não pode se tornar realidade, pois ela é uma bastarda que foi criada como pupila do próprio pai, até que este veio a falecer e a ela coube somente o papel de criada da própria madrasta (sim, temos um reconto de Cinderela por aqui). No entanto no baile de mascaras de Lady Bridgerton, nossa querida Sophie consegue entrar de penetra.

E é neste incrível e inexplicável baile, em que ninguém pode lhe reconhecer (principalmente sua madrasta e as filhas dela) que nossa mocinha conhece Benedict Bridgerton, e a química entre eles é imediata e surreal, e tudo corre perfeitamente bem, mas como todo conto de fadas tem um final, Sophie precisa sair correndo a meia noite para voltar para casa sem ser pega. No dia seguinte ao baile Benedict decide que precisa encontrar a dama misteriosa, e neste mesmo dia Sophie é expulsa da casa da madrasta e os caminhos dos dois acabam por se desencontrar.

Três anos se passam, e os dois acabam se reencontrando em uma situação não muito agradável, em que Benedict precisa salvar Sophie, e ela fica imensamente grata e revive todos os sentimentos que teve na noite do baile, no entanto Benedict não a reconhece vestida como criada. Mas um convívio entre eles faz com que nosso mocinho se apaixone por ela (novamente, porque se podemos fazer o boy se apaixonar por dois lados nossos é algo a ser explorado não é mesmo?), mas ele é um Bridgerton e não pode se casar com uma criada, o que o leva a fazer a proposta indecente a que estamos acostumados neste tipo de situação: que Sophie seja sua amante.

Mas para Sophie é repugnante e inconcebível está ideia, se ela não pode ter um casamento como manda o figurino, e dar a seu amado filhos legítimos, é melhor ficar sem ele, pois ela nunca colocaria uma criança no mundo para sentir o que ela sentiu por ser uma filha ilegítima. Assim os dois se encontram na posição de ter que sucumbir as suas diferenças sociais, ou a lutarem por seus sentimentos.

De uma forma geral eu amei o livro, no inicio eu fiquei incomodada com a semelhança com Cinderela, mas fui ver que o livro realmente foi inspirado no famoso conto infantil e parei de me incomodar com isto. O que eu posso dizer para vocês é que é um reconto de Cinderela no melhor estilo, muito bem trabalhado e com elementos novos que são extremamente interessantes e que nos cativam mais e mais a cada página.

Eu fiquei realmente feliz com a história porque eu não esperava grandes coisas deste livro, e não porque eu tivesse me decepcionado com a escrita da autora (embora eu não tenha gostado muito de O Visconde que meAmava), mas porque eu simplesmente não consegui me convencer do Benedict nos outros livros, no primeiro achei ele chato e no segundo ele quase não apareceu, então eu estava realmente desanimada para ler a história dele e ai a queridíssima Julia Quinn veio e esfregou na minha cara que a gente sempre pode se surpreender, e agora me encontro completamente apaixonada por esta história que até o momento é uma das minhas preferidas.

Temos alguns personagens conhecidos e alguns novos que também são apaixonantes, e como sempre a família Bridgerton está em plano de fundo nos deixando intrigados quanto às futuras histórias. E neste contexto eu posso dizer que me apaixonei mais ainda pelo Collin e pela Eloise. E consegui odiar a madrasta e a “irmã” mais velha da Sophie, e da mesma forma como eu odiei o pai do Simon no primeiro livro (falei sobre isso AQUI) eu também queria que o pai da Sophie morresse com requintes de crueldade.

E por falar na nossa mocinha, gente ela é total e completamente apaixonante, e o fato principal pra mim foi que ela foi forte e guerreira do inicio ao fim da história, não teve mudanças repentinas e uma perda da personalidade dela, claro que tivemos um amadurecimento da personagem em relação a alguns assuntos, e que em alguns momentos eu queria entrar no livro, sacudir bem ela e gritar “deixa de ser idiota menina! Sai dessa situação logo que você merece mais do que isto!”, mas acho que isto faz parte da história e eu realmente gostei dela, acho que das personagens femininas principais desta serie até o momento (porque entendam que eu já amo a Eloise sem ter lido o livro dela) ela é a minha preferida.

Ao contrario do que eu pensava o Benedict não é o pior mocinho que eu poderia ler (nesta serie já temos o Anthony neste posto), para dizer a bem da verdade ele é o melhor mocinho até agora, e isto porque ele não tem os preconceitos que são característicos de histórias de época, obvio que ele tem suas questões masculinas, seu orgulho e suas percepções de honra (não da pra fugir de tudo também sem descaracterizar a época do livro), mas ele não tenta impor suas vontades a Sophie e trata ela praticamente a todo tempo como uma igual, sem achar que é melhor do que ela só porque é homem e eu realmente amei isto.

Quanto a edição ela está lindíssima, com folhas amareladas e uma fonte adequada e uma capa que pela gloria divina é bonita e condizente com a história, o único problema que realmente me incomodou (e realmente me incomodou mesmoooo) é que eles não se decidiram se a personagem principal ia chamar Sophie ou Sophia, em diversos momentos ela foi chamada de Sophia, mas o nome real é Sophie (porque na maior parte ela é chamada assim) e este detalhe realmente me incomodou.

Mas em um contexto geral eu realmente amei a história, os temas importantes e desastrosos tratados e agora estou mais do que ansiosa para ler o livro do Collin e saber o que mais está família me reserva.


Título: Um Perfeito Cavalheiro Série: Os Bridgertons Páginas: 295 | Autor(a): Julia Quinn  
Tradutor(a):  Cássia Zanon  | Editora: Arqueiro| Ano: 2014

OS BRIDGERTONS
O Duque e Eu | O Visconde que me Amava | Um Perfeito Cavalheiro


Comentários
17 Comentários

17 comentários :

  1. Olá!
    Sou suspeita pra falar dessa série porque já li todos os livros e gosto demais da escrita da autora, mas de todos esse foi sem dúvidas o meu favorito! Não sei se foi pelo fato da autora ter recontado o conto de fadas que mais gosto, mas sobretudo porque os personagens são mesmo encantadores. Espero que você goste dos próximos, vale muito a pena lê-los.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aninha, tudo bem?
    É ótimo quando começamos uma leitura sem granes expectativas e ele nos surpreende, né?
    Eu ainda não li nada da JQ, mas morro de vontade, principalmente com essa série, acho que vou me apaixonar demais pelos livros e me encantar com cada um deles. Adorei a sua resenha!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Sinto falta da escrita da autora, pois faz tempo que não leio nada dela.
    Mas confesso que mesmo sentindo curiosidade e me interessando pelos assuntos que ela aborda, essa série não chama a minha atenção =/
    Acho as capas tão lindas. =D

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  4. Oi, Aninha!
    Já li a série completa e por muito tempo esse terceiro livro foi um dos meu favoritos. Em compensação, eu acho essa série bastante extensa no que diz respeito a contar todos os detalhes, o que nem sempre é ruim.
    Acho que você vai adorar a história do Colin!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Quero muito ler essa série, mas ainda não consegui começar ela. Se não estou enganada, uma vez li que todos esses livros foram inspirados em algum conto de fadas. Adorei tua resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Da Julia eu só li o primeiro livro desta série e gostei bastante, mesmo com ressalvas e fiquei louca para ler os demais. Sua resenha ficou ótima e me fez desejar ler rapidamente os livros.

    Beijos,
    Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  7. Oi Aninha tudo bem? Adoro os livros da Julia quando pensava que ia ser mais livro, ela se supera e me mostrava uma trama surpreendente, os personagens são apaixonantes e vão além de ser meros a tornar uma história realmente empolgante, adorei sua resenha ficou adorável e sua sinceridade é muito notável, parabéns, bjs!

    ResponderExcluir
  8. Vocês vão se divertir procurando as ligações entre o conto de fadas e a história de Benedict e Sophie. O final foi uma loucura só. E continuo odiando a madrasta, não importa os ressentimentos que ela tenha em vida!

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Eu confesso que esse livro não é o meu preferido da serie e o que você gostou e relevou me fizeram não gostar tanto da historia, mais eu acho que eu não gostei tanto foi que eu não gosto do conto da Cinderela então isso me fez não apreciar tanto a historia.

    ResponderExcluir
  10. Eu adorei o nome do personagem, Benedict. Foi o que mais me chamou atenção. É que não sou de romances de época. Acho essas séries longas demais e os enredos não me cativam.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá Ana, tudo bem?
    Eu nunca li nenhum livro dessa autora mas, tenho várias amigas que vivem recomendando alguns titulos para eu começar a ler, acontece que romances de época não é o meu genero de leitura favorito.

    Ana, eu gostei muito da sua resenha e percebi o quanto você se envolveu realizando a leitura dele, a ponto de se incomodar com a maneira que a protagonista é chamada pelos outros personagens, isso é ótimo para mim, porque compreendo que a escrita da autora é tão boa que envolve os leitores nela. Obrigada pela dica, está mais que anotada na minha lista de espera.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  12. Oi Aninha, sua linda, tudo bem?
    Adoro Cinderela e por ser uma releitura já me encantou. Cara de pau a dele em fazer essa proposta indecente para ela e como ele pode não reconhecê-la? Já vi que irei amar esse livro. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  13. Olá, quando li esse livro, alguns anos atrás, eu não tinha noção de quão realmente complicado seria a relação entre os dois por serem de classes sociais diferentes. Mas me lembro de ter gostado da leitura (e fico contente que você também tenha curtido) e das referências à história da Cinderela. E o livro da Eloise foi um dos meus favoritos da série.

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu preciso confessar que minha opinião sobre esse livro foi quase o contrário da sua. Eu estava com a expectativa bem alta antes de ler, justamente por ser um reconto da Cinderela, mas achei o mais fraco da série. Concordo com você que a Sophie é uma mocinha incrível, mas eu passei 70% odiando o Benedict. Para mim, ele é o tipo macho escroto, que não aceita não como resposta e que só pensa em si mesmo. Ele passou a maior parte do livro sem levar em consideração os sentimentos da Sophie, o quanto a proposta dele era injusta e preconceituosa, como se ela não fosse boa o suficiente para casar com ele, por ser de uma classe social diferente. Só não digo que detestei o livro, porque a Sophie é uma ótima protagonista e eu amei a Eloise e a Violet nesse livro. Porém, o meu favorito da série ainda é o segundo e, ao contrário de você, acho o Anthony o melhor mocinho da série.
    De qualquer forma, fico feliz que o livro tenha sido uma surpresa boa para você e espero que goste da leitura dos outros livros da série.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Que bom essa ter sido uma grata surpresa. Eu li dois dos livros, infelizmente, não consegui curtir, a escrita da autora é boa, como você salienta, mas é que não consegui gostar, só isso. Talvez, quem sabe, se ler todos consiga me surpreender como você.

    ResponderExcluir
  16. Olá Aninha, eu morro de curiosidade de ler essa série, pelos seus comentários esse terceiro livro esta bem bacana, adorei releituras de contos de fadas e pelo jeito a autora conseguiu fazer uma muito boa *-* Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem? Serei eternamente suspeita para falar da série da Julia Quinn mas jura que você não gosta do Anthony? Ele é um dos meus favoritos haha por enquanto o embuste fica ainda para o Philip que você conhecerá mais a frente. O livro do Benedict pra mim foi bem mediano, não se destacou como um dos melhores, e nem dos piores. Não foi memorável, e mesmo assim adorei ler. Sua resenha tá ótima!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir