[RESENHA] A Fúria E A Aurora


Oiii gente, hoje eu vim contar para vocês sobre o livro A Fúria E A Aurora, da autora Renée Ahdieh, que foi lançado pela editora Globo Alt. Se quiser saber mais sobre a obra, continue lendo. 

O rei de Khorasan, Khalid, de apenas de 18 anos, se casa com uma jovem diferente a cada aurora. A cada amanhecer uma família recebe a notícia da morte da jovem. O que ninguém entende é o porque disso, pois todas as noites, o rei convida uma garota para ser sua nova esposa, e na manhã seguinte, ela é achada sem vida com um lenço de seda amarrado à garganta. 

Uma dessas garotas que se tornaram a esposa de Khalid foi a jovem Shiva, melhor amiga de Sherazade. Por ódio ao rei por ter tirado sua melhor amiga, Sherazade se oferece para ser a sua nova esposa. Mas ao contrário das outras, ela planeja vingança, e pretende sobreviver ao amanhecer, para que assim possa ter tempo de elaborar um plano que acabe com esse reinado de mortes no palácio. 

Quando está sendo preparada para se encontrar com o rei, Sherazade recebe a visita do seu pai, que lhe implora para que não vá, pois os dois sabem que ela pode não conseguir continuar viva até a próxima aurora, mas cega de ódio, a jovem não desiste. Com convicção de que tudo vai dar certo, nem por um segundo ela pensou que Khalid poderia não aparecer para vê-la depois do casamento, e quando ele se atrasa, ela começa a se desesperar. 

Mas tão logo o pensamento surge, ele já desaparece, pois o rei entra no quarto. Sherazade finge não sentir repulsa pelo marido, e começa a lhe contar uma história, a detalhando o máximo possível, pois sabe que quando o dia clarear, o rei irá embora, e ela tem esperança que ele deixe-a continuar a história na noite seguinte. 

Com isso, ela consegue cativar o jovem califa e sobreviver a mais um dia, e noite após noite, Sherazade lhe conta mais um pouco da história. Com o passar dos dias e com a convivência, ela começa a perceber que o califa não é tão rude e sem coração assim, apesar do que diz suas atitudes com as antigas esposas. Ela percebe que ali existe algo a mais, descobre que Khalid carrega uma dor profunda e arrasadora, e a garota começa a desconfiar sobre o motivo das mortes. Nesse caminho, o que Sherazade menos espera acontece, ela começa a se apaixonar pelo rei. Mas como pode estar se apaixonando por alguém que pretende matar?

Esse livro foi inspirado no clássico As Mil E Uma Noites, e no começo eu pensei que talvez não gostaria tanto, pois costumo detestar releituras, mas esse livro superou todas as minhas expectativas. 

Sherazade se mostra firme em sua decisão por bastante tempo, e sempre promete pela amiga que vai acabar com a vida de Khalid. Apesar da sua pouca idade, ela se mostra muito forte e corajosa. Sempre usando de toda a sua inteligência para sobreviver a vida no palácio e para lidar com todos a sua volta. 

O califa logo de primeira percebe o que Sherazade está tentando fazer ao lhe contar a história, mas mesmo assim a deixa continuar, e não permite que ninguém faça mal a ela. Aos poucos, o jovem que antes era fechado e rude, começa a se deixar levar pelos encantos da esposa, e isso começa a surtir em mudanças tanto nele, quanto na vida de todos que o rodeiam. Com tantas reviravoltas, Sherazade começa a perceber que Khalid não é nem de longe a pessoa que todos dizem, que não é tirano nem odioso, e toda essa descoberta só faz com que ela se envolva ainda mais com a história dele. 

O livro é narrado em terceira pessoa, então não temos foco só na Sherazade, e a descrição do ambiente e dos outros personagens é incrível. Os personagens secundários tem muita voz e aparecem o tempo todo, e eles também tem seus problemas e situações próprias mostradas durante a trama. 

Tariq é um dos melhores amigos de infância de Sherazade, e desde sempre é apaixonado pela amiga (não, não tem um triângulo amoroso). Ele recebe uma carta informando que ela irá se casar naquele dia, mas já não dá tempo de fazer algo para impedir, então começa a armar um plano para tira-la do palácio, pois ele acredita que o único motivo de ela fazer algo assim, é estar abalada e sem condições de raciocinar, por causa da morte da amiga.

Mesmo o Tariq sendo fofo e tal, eu não consegui torcer por ele, até porque eu já sabia que ela iria se apaixonar pelo califa. Rahim é outro amigo de infância de Sherazade, e é muito divertido, sempre falando coisas ótimas e alegrando todos.

Dentro do palácio Sherazade convive muito com Despina (uma criada) e acaba até por fazer uma amizade com ela. A moça é sarcástica e divertida, e eu passei o livro todo rindo das coisas que ela falava. 


Eu não tenho muitas palavras para descrever tudo o que esse livro foi para mim, eu sou apaixonada por contos árabes e esses ambientes exóticos e vibrantes, então ler tudo isso foi bem mágico. A escrita da autora te carrega para dentro das páginas e faz você viver a história tão intensamente quanto os personagens. 

Além de todo o romance, a autora faz a história em um meio politico, onde o reinado pode cair ao menor deslize de Khalid, e esse deslize vem com a chegada e permanência de Sherazade. A autora nos mostra como muitas vezes não temos controle de uma situação, como assumimos responsabilidades por algo que não escolhemos e nos mostra como essas situações podem mudar alguém drasticamente.

Junto com os personagens aprendemos como tudo depende de um ponto de vista, e como em várias situações o ódio e o ressentimento nos cega e não nos permite evoluir. Aprendemos a superar, a entender e a perdoar. 

No final do livro ocorre uma reviravolta muito incrível, que me deixou nervosa, ansiosa e com um aperto gigantesco no coração. Preciso desesperadamente da continuação. 

O livro é encantador, já começando pela capa, que é maravilhosa. Ele tem folhas amareladas e uma diagramação simples. No começo vem um glossário com todas as palavras diferentes usadas ao decorrer da história. Isso pode incomodar um pouco, ter que ficar voltando no início para entender o significado da palavra, mas isso não foi um problema para mim. Os capítulos não são muito grandes e a leitura flui com muita facilidade, quando você percebe, já está na última página. 

Eu recomendo muitoooo o livro, ele é incrível, sério, leiam. Você vai rir, passar raiva, vai amar personagens que antes odiava, vai ficar louco e paranoico para descobrir os mistérios (não que tenha acontecido comigo) kkkkk e vai se sentir de verdade parte da história. 







                      Título: A Fúria E A Aurora  Páginas: 335Autora: Renée Ahdieh 

Tradutor:  Fabianne Mercês | Editora: Globo AltAno: 2016




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário