[RESENHA] Tronos e Ossos #3: A Batalha Final


Oiii seus lindos, hoje venho contar para vocês um pouquinho sobre o que eu achei do final da trilogia Tronos e Ossos (vocês podem conferir as resenhas anteriores AQUI), e gente do céu!! Que trilogia, que fantasia e que final! Estou para dizer para vocês que estes livros foram um caso de puro e sincero amor do início ao fim. Já aviso que esta resenha contem SPOILERS dos primeiros livros, e para saber um pouquinho mais do que eu achei do final da trilogia é só continuar lendo.

Depois dos desfechos de O Enigma do Chifre, Thianna e Karn devem ir para Thica, cidade natal da mãe de Thianna e local onde vive o inimigo, que já foi enfrentado no primeiro livro. O desfecho do segundo livro nos dá a certeza de que o próximo destino de nossos pequenos (ou não tão pequenos, no caso da Thianna) heróis irão para o reino de Thica em busca do Chifre de Osius (esse bichinho mesmo, capaz de controlar as Wyverns e partilhar a mente dos dragões), mas ainda que eles saibam que grandes desafios estão por vir, eles não estavam preparados para a realidade que os aguardava.

Thica agora é um reino governado por duas tiranas que se intitulam rainhas e que em sua busca por poder acabam causando uma batalha épica, onde nossos amados meninos terão de colocar suas vidas em risco e lutarem contra um império inteiro, para tentar poupar o mundo dos desastres que o chifre realmente pode trazer, e com o mundo deles estando em disputa, Karn e Thianna precisarão raciocinar bem para poderem ganhar este novo jogo.

Pra início de conversa, quem acompanhou as demais resenhas sabe que eu já estava feliz com a evolução dos personagens, mas a forma como eles cresceram e amadureceram durante esta jornada me deixou ainda mais apaixonada pela obra. O Karn se mostrou um exímio estrategista e um excelente amigo. A Thianna se mostrou uma jovem obstinada que acabou deixando o que o mundo pensava sobre ela de lado para poder enfim se valorizar e entender que se o mundo não a aceita é ele quem perde.

É uma fantasia mais juvenil (já que no inicio os personagens tem 12 anos), mas ainda assim as coisas que eu aprendi durante esta leitura eu levarei para o resto da minha vida: não importa quão difíceis as coisas estejam, a luta sempre será mais fácil se você estiver ao lado de amigos, e o principal aprendizado é que não vale a pena tentar se adequar ao mundo dos outros, porque talvez o mundo deles é que seja pequeno demais para você, e se você tenta se encaixar pode acabar perdendo uma grande parte do seu potencial.

A história deste último livro foi eletrizante em diversos pontos e completamente envolvente, foi repleta de descobertas que eu sinceramente nunca poderia ter imaginado! Tiveram cenas que eu li de novo simplesmente por não crer que aquilo era real, e que aquela era a justificativa para determinadas perguntas que eu já me fazia desde o primeiro livro (como o porque de a Thianna conseguir usar o chifre) e foi tudo tão bem encaixado que eu não poderia querer nada melhor.

Agora venho com um problema honesto e sincero para vocês, que eu já tinha falado nos dois primeiros livros (vocês podem conferir AQUI) que é o jogo de tabuleiro. E porque isto é um problema? Porque até hoje eu não consegui fazer o tabuleiro e nem o jogo completo de Tronos e Ossos, que é o primeiro jogo apresentado. Agora eu tenho um terceiro jogo que preciso desesperadamente fazer e jogar, mas que simplesmente não tenho como, porque não tenho tempo para confeccionar isto kkkk, foi só um desabafo mesmo, porque a forma como o enredo dos livros envolvem cada jogo nos faz querer jogar desesperadamente.

Fato que também demonstra como a obra é bem escrita e os caminhos são maravilhosamente conduzidos, acho que nada do que eu pensei sobre o fim da trilogia chegaria aos pés do que realmente foi, e eu fiquei realmente encantada porque é com muito orgulho que posso dizer a vocês que esta é uma trilogia que começa incrível e termina maravilhosa! Nenhum livro perde o ritmo da trama, todos são envolventes e com enredos que nos deixam desesperados pra saber o que acontecerá a seguir e como eles irão resolver algumas situações.

Quanto a edição não tem muito o que dizer para além do que eu já disse sobre as outras: a capa condiz perfeitamente com o enredo, as folhas são amareladas e a fonte é de um tamanho ótimo que torna muito mais fluida a leitura. Não encontrei erros de revisão, então se eles existirem (porque sempre escapa alguma coisa) são bem poucos, o que me agradou muito.

Então para além de uma história incrível e completamente envolvente, esta trilogia me trouxe muitos aprendizados, e agora vai partir com aquele sentimento maravilhoso de saudades e de que realmente valeu a pena me deixar envolver por todo este mistério do Chifre de Osius. Se você gosta de fantasia e de livros com grandes aventuras esta é uma leitura mais do que recomendada. 








Título: A Batalha Final Série: Tronos e Ossos Páginas: 384 | Autor(a): Lou Anders  
Tradutor(a):  Jaqueline Damásio Valpassos  | Editora: Jangada | Ano: 2018

TRONOS E OSSOS
Jornada no Gelo | O Enigma do Chifre | A Batalha Final 


Comentários
8 Comentários

8 comentários :

  1. Olá!
    Não conhecia essa trilogia! Mas amo fantasia e infanto-juvenis, e saber que as personagens são bem construídas foi mais um ponto a favor de Tronos e Ossos! =D
    A única coisa que não entendi muito bem foi a questão do jogo de tabuleiro... Ele vem junto com os livros? Se sim, é uma proposta bem legal! Pena você não ter conseguido montar o seu ainda. =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Andrea,

      Cada livro tem um jogo que é jogado no decorrer da história, aí no fim do livro ensina como fazer o tabuleiro e a como jogar o jogo, é bem interessante. Aí desde o primeiro livro que eu quero fazer os jogos, e agora são três tabuleiros que eu tenho que tentar fazer rs.

      Excluir
  2. Minha amiga Carol leu essa série e adorou. Eu não li, mas fiquei super com vontade.
    Sua resenha está empolgante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Conheci essa trilogia aqui em seu blog. Acompanhei a cada resenha. Tenho muita vontade de ler a cada livro e também curiosidade em saber que jogos de tabuleiro são esses, como são, como se joga, essas coisas. A trilogia acabou e ainda não consegui lê-la, mas fazer o que é a vida! Mas assim que conseguir tenho a impressão que também vou amar!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu jurava que sua ressalva era de algo que foi falho na trama hahaha Confesso que me deixou animada com esse desfecho e saber que o autor segurou bem todo o enredo e conduziu com maestria essa batalha final é um ponto a favor.
    Não é o meu tipo de leitura preferida mas já sei que a hora que quiser sair da zona de conforto essa dica é bem interessante a se pensar.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Finais de trilogias são sempre dolorosos ne? A gente já começa a ler com um apertinho no peito, com saudades dos personagens hahaha. Nao conhecia a história mas só pela sua empolgação fui conquistada, pretendo variar um pouco as leituras ano que vem e já anotei a dica!

    ResponderExcluir
  6. Oie!!

    Ah é tão dificil quando temos que nos despedir de uma série, né? Mas o ponto alto disso é saber que o autor manteve o padrão do inicio ao fim e isso dá um prazer indiscutível! Adorei a sua resenha, porem, infelizmente fantasia não é o tipo de livro que costumo ler, então, infelizmente, irei ter que passar sua dica.

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oiee Aninha ^^
    Eu ainda não li os outros livros - acho que nem os conhecia também -, mas dei uma lida em algumas partes da sua resenha. Fico feliz em saber que as personagens amadureceram bastante, é muito bom quando isso acontece, né? Eu não gosto muito de fantasia, então não sei dizer se lerei os livros um dia, mas ver que você gostou tanto (é triste terminar série, né?) me deixou um pouquinho curiosa. Quem sabe...
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir