[RESENHA] Saga dos Jubardentes #1: O Rei das Cinzas


Oii seus lindos, hoje vamos falar um pouquinho sobre O Rei das Cinzas, primeiro volume da saga dos Jubardentes, lançado aqui no Brasil pela HarperCollins e que eu estava mais do que ansiosa para ler. Então para saber o que eu achei da história é só continuar lendo a resenha.
Garn é um mundo que era composto por cinco grandes reinos, que viviam em relativa harmonia, até que o rei de Itrácia foi derrotado e todos os membros de sua família foram executados por Lodavico, o ambicioso rei de Sandura. A família real de Itrácia era composta pelos lendários Jubardentes, uma família que representava grande perigo para os outros reis. Mas mesmo agora com Itrácia destruída e a família real fora do caminho, os quatro reinos se encontrão a beira de uma grande guerra.

Mas todo o grande plano de dominação mundial corre sério risco, e isto porque existem rumores de que o filho recém nascido do rei de Itrácia não foi executado, que na verdade ele foi levado pelo Quelli Nacosti, uma sociedade secreta que sobrevive a gerações espionando e se infiltrando entre os poderosos de Garn. Assim os grandes reis (com medo de não serem apenas rumores) oferecem uma quantia grande pela cabeça do suposto herdeiro.

Enquanto os reis procuram por um suposto herdeiro dos Jubardentes, um jovem ferreiro precisa permear pelo tráfico de escravos e enfrentar a busca de Sandura por soldados, ao passo que três jovens são instruídos nas artes de espionagem e assassinato no domínio secreto da Quelli Nacosti. A questão é, cada um deles conseguirá cumprir seu destino? 


Gênio, é o que eu posso dizer a vocês sobre Raymond E. Feist. Eu nunca tinha lido nada do autor, então se alguém não gostou da outra série dele, eu sugiro que ignore e pegue O Rei das Cinzas, sério gente, que livro! Que história, que personagens, que mundo e que narrativa!

Quando eu peguei o livro, já sabia que era o primeiro da Saga dos Jubardentes, o que indica uma história completamente introdutória e possivelmente que seria arrastada e cheia de detalhes que mesmo que eu fosse gostar, iriam me irritar. Óbvio que em alguns momentos eu fiquei um pouco cansada da riqueza de detalhes e de algumas repetições, embora seja compreensível, porque como disse é a introdução da saga, mas gente, a escrita do autor é tão fantástica e a narrativa tão fluida que estes pontos se tornaram total e completamente irrelevantes.

Desde o início do livro eu já suspeitava de quem o Hatu era, porque é bem óbvio mesmo, mas eu nunca poderia imaginar a extensão de quem ele era, e as implicações e rumos que a saga pode tomar por ele ser quem e o que é! Lógico que nós acompanhamos o personagem em diversos passos de seu aprendizado e vemos a força dele se aperfeiçoar, mas é simplesmente sensacional viver com ele a descoberta mais importante e que ainda vai ser melhor explicada até para ele mesmo, de quem ele realmente é. Sei que pode ter ficado meio confuso, mas em resumo, Hatu é um dos personagens principais, é inteligente, forte e detentor de um passado mais importante e forte do que ele é capaz de imaginar.

E junto com ele somos apresentados a Donte e Hava, seus melhores amigos. Donte é o típico bonitão que não leva a maioria das coisas a sério, e eu fiquei total e completamente apaixonada por ele, simplesmente porque ele tem uma capacidade de ler o Hatu de forma a não permitir que as coisas saiam do controle, e também porque ele consegue deixar leve até mesmo as situações mais pesadas. Hava é uma garota forte, determinada, inteligente e seguidora das regras, a menos que ela esteja com os dois jovens que sempre foram capazes de fazer com que nossa garota certinha se enverede por caminhos não muito recomendáveis, e eu realmente adoro quando os três estão juntos, acho a Hava incrível e muito forte, mas ainda não sei se gosto dela ou não.

Paralelamente somos apresentados a Declan, um jovem que busca se tornar um Mestre Ferreiro, ele é inteligente, forte também (já usei muito esta palavra né? Mas eles são todos fortes mesmo e não há muito que eu possa dizer kkkk). Eu passei muito tempo tentando entender como a história dele e do Hatu se encaixavam, mas principalmente como eles se encontrariam e como as coisas se desenrolariam, não façam isso gente, porque não adianta tentar entender e nada do que a gente possa imaginar que irá chegar perto de como as coisas irão realmente acontecer.

O mundo criado é muito próximo do nosso, embora haja magia e diversos elementos que são próprios dele, mas a base mágica foi o que me encantou. Porque a magia apresentada é absurdamente forte, mas também muito bem desenhada e explicada, e isto foi o que eu mais gostei, porque não é só uma magia que apareceu ali e tão poderosa que pode destruir meio mundo, há uma justificativa completamente compreensível para que ela exista e do porque ela é tão forte.

É um universo repleto de tramas, magias, encontros e desencontros, mas que a todo momento os personagens principais nos mostram que conceitos como o de amor e amizade são tão importantes quanto os de poder e força, e que não importa o que o destino reserva, sempre existirá alguém no mundo com quem você pode contar.

A edição está lindíssima!! Com está capa linda, folhas amareladas, diagramação simples e fonte adequada, o que somado a escrita do autor fez com que a leitura fosse bem rápida. Encontrei alguns erros de revisão, mas nada muito gritante ou relevante ao ponto de realmente me incomodar.


Este primeiro livro é muito introdutório mesmo, mas possui muita ação junto com as explicações, o que deixou a leitura bem fluida e agradável (em alguns pontos até desesperadora) é mágico e genial a forma como o autor conduziu o enredo. Eu estou completamente desesperada pelo segundo livro e para saber se é nele que algumas das questões do primeiro livro serão respondidas, porque mesmo que seja uma história fechada, alguns pontos só serão resolvidos mais para frente e o gancho para o próximo livro é maravilhoso e me deixou mais do que curiosa para conferir a continuação da saga.








Título: O Rei das Cinzas Série: Jubardentes Páginas: 512 | Autor(a): Raymond E. Feist   | Editora: HarperCollins | Ano: 2018

Comentários
18 Comentários

18 comentários :

  1. Uau! Já quero ler.
    Não sei por que, mas me lembrou um pouco GOT, hahahahahah
    A premissa do livro é muito instigante e sua resenha me deixou ainda mais curiosa pela leitura.
    Não gosto quando leio um livro e o mistério sobre quem é determinado personagem já fica obvio, mas pelo que você disse, esse abrange uma dimensão maior que não revela neste volume.
    Já está na lista de leitura, preciso urgente.

    www.fuxicoserabiscos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Sua resenha ficou mega completa! Eu não sei se eu leria pela questão da fantasia, mas depende muito qual é o momento pois eu acabo lendo de tudo. E parece cheio de emoção mesmo a história.

    ResponderExcluir
  3. amei a resenha!
    não conhecia o livro, mas achei bem interessante e adorei o fato que apesar de ser o primeiro volume que é mais introdutório e tal, ele tem bastante cenas de ação e que te prendeu. não estou muito na vibe de ler livros assim no momento, mas vou indicar pra meu amigo que gosta!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem ?
    Eu não conhecia o autor e nem o livro. Fiquei bem interessada, pois achei que o enredo transcorre bem.
    Como a colega lá em cima citou, tbm me trouxe um pouco a recordação de GOT, engraçado ?!
    Adoro fantasia então acabei anotando a dica. O que mais me chamou a atenção, é pelo fato de que mesmo sendo o primeiro livro, o autor conseguiu te prender e foi um dos melhores livros que leu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conhecia o livro, mas fui contagiada com a sua animação em relação a ele. E por ser um livro introdutório é de se admirar que a narrativa tenha sido no geral tão fluída. Fiquei curiosa par conhecer esse universo mágico e espero que o segundo livro seja tão bom quanto esse parece. Quero ler.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Tenho este livro na estante mas ainda não me animei em ler. Mas a sua resenha me deixou curiosa porque essa junção de poderes e ainda assim, falando sobre amor e amizade, é tudo o que gosto de encontrar em livros deste gênero. Adorei o estimulo pra tirar o livro da estante e ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho este livro na estante há um tempinho, sempre penso em lê-lo, mas acabo postergando e lendo outro.
    A sua resenha me deixou empolgada e me convenceu a não adiara mais a leitura. Acredito que eu vá me maravilhar com o toque de magia que esta história possui.

    ResponderExcluir
  8. Oi Aninha!
    Para esse ano estou querendo ler mais fantasias e adorei a premissa dessa saga. Não tive oportunidade de ler nada do autor ainda e que bom, pois vou anotar essa dica justamente para quando for ler começar por essa leitura.
    Parece ser uma leitura bem envolvente e possivelmente vou gostar.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Oi, Aninha.
    Sou apaixonada por fantasias desse tipo, mas ainda não conhecia esse livro.
    Fiquei bem curiosa para conhecer esse universo. Só fiquei em dúvida se é ou não melhor esperar para ler toda a série de uma vez, porque com um final assim, acho que já vou querer ter o outro livro em mãos!! Rs...
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  10. Gostei bastante da premissa do livro e todo o mistério que parece cercar um dos personagens principais, o Hatu. Eu estou pretendendo dar mais oportunidades aos livros de fantasia e tenho ouvido falar bem desse livro.

    Enquanto muitos detalhes incomodam alguns leitores eu só aquele tipo de leitora que aprecia os detalhes.rsrs Sim, gosto muito que algumas coisas sem cuidadosamente explicadas, que haja toda a introdução necessária. E como você disse, isso não atrapalhou a leitura, pois ela fluiu bem.

    Parece que é forte o laço de amizade envolvendo Hatu, Donte e Hava e se tem uma coisa que valorizo muito em determinadas história é o laço de amizade. Como em Harry Potter que me encanta a amizade entre Harry, Rony e Hermione.

    ResponderExcluir
  11. Oi Aninha!
    Adoro livros que trazem o tema de um mundo com vários reinos e como isso tudo vira um caos de repente. O livro, apesar de introdutório, parece ser carregado de tensão e aventura e isso me conquistou.
    Sua resenha ficou bem completa e conseguiu despertar o meu interesse por esta série, espero que os próximos livros sejam tão bons quanto este primeiro.
    Já foi para a minha lista de desejados, espero que em breve eu possa ter contato com o universo maginifico criado por Raymond.

    Abraços
    FLeituras

    ResponderExcluir
  12. Ola,

    Nossa, é tão bom encontrar uma resenha tão apaixonada sobre um livro que enche até os nossos olhos de vontade e ler a obra!
    Recebemos esse livro de parceria com a editora e minha amiga que leu, assim como você, amou o livro e definiu o autor como genio!
    Uma pena eu não curtir esse genero, mas amei poder ter conferido sua resenha e opinião

    beijos

    ResponderExcluir
  13. Confesso que desde que eu recebi esse livro eu fiquei bem interessada justamente pela prenisss de tensão e aventura que o livro promete trazer. Ainda que não seja muito o meu estilo de leitura, fiquei bem curiosa! Realmente é algo comum que os primeiros livros tenham esses momentos de descrições extensas e isso me dá uma certa preguiça, mas se for tão incrível quanto fez parecer, então realmente vale a pena!
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu estou doida para ler esse livro desde que ele foi lançado. Sendo sincera, nem conhecia o autor antes, mas adorei a premissa e a capa do livro. Fiquei muito feliz de saber que, apesar de se tratar do primeiro volume, a leitura foi envolvente e a escrita do autor já te conquistou dessa forma. Sempre achei que é possível fazer um livro introdutório sem deixá-lo cansativo e arrastado, então, gostei de saber que o autor conseguiu fazer isso e deixar a trama tão interessante.
    Gostei muito de conferir sua resenha e fiquei ainda mais animada para conferir esse livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Aninha!
    Ainda não conhecia o livro, mas esse é meu gênero literário favorito, então basicamente meus olhos já brilham ao ver algo do tipo, ainda mais com uma capa maravilhosa como essa. Eu amo essa premissa de reinos em conflito e fiquei bem curiosa sobre os personagens da história. É um pouco triste que você tenha encontrado alguns erros na revisão, mas levando em conta que ainda assim deu nota máxima ao livro, fiquei bem animada e quero lê-lo com certeza! Beijos!

    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Olá Aninha!!!
    Eu não conhecia a obra e não me lembro de ouvir falar sobre o autor. Basicamente tenho um problema com livros desse gênero, ou eu gosto ou eu não gosto e fico um tanto receosa. Entendo a questão óbvia do personagem pois até mesmo eu lendo a resenha já estou imaginando e teorizando algumas coisas.
    No momento não sei se daria uma chance para o livro, mas quem sabe...
    Parabéns pela resenha!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem Aninha?

    Eu recebi esse livro da HarperCollins e adorei, gostei muito desse universo criado pelo Raymond, é um livro fantástico de literatura fantástica (rsss). Parabéns pela resenha, ficou bem legal e fico contente em saber que você adorou!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  18. Eu já comecei a ler outro livro do autor, e apesar de não ter continuado, estava gostando da escrita. Essa história parece ser dividida em vários núcleos, o que eu acho bem bacana. Adoro fantasia e espero poder conferir esse universo algum dia.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir