[RESENHA] Eu Estou Pensando Em Acabar Com Tudo


Oiii, gente. Hoje eu vim contar para vocês o que achei do livro Eu Estou Pensando Em Acabar Com Tudo, do autor Iain Reid, lançado pela Editora Fábrica 231.  Bora lá saber um pouco mais sobre esse thriller?

"Às vezes um pensamento está mais próximo da verdade, da realidade, do que uma ação. Você pode dizer qualquer coisa, pode fazer qualquer coisa, mas não pode forjar um pensamento" (pág 7). Não se pode forjar um pensamento, e é nisso que a namorada de Jake está pensando.

Apesar de achar Jake um cara super legal e interessante, ela está pensando em acabar com o relacionamento, mas como fazer isso de uma forma que não seja como aquele velho clichê de "não é você, sou eu"? Ainda mais quando o garoto em questão está tão animado com a evolução do relacionemento.

Jake e a namorada estão viajando de carro para um lugarzinho remoto onde seus pais moram, e apesar de confusa com o relacionamento, ela também quer muito conhecê-los, pois quer conhecer o namorado um pouco mais a fundo.

Chegando perto da propriedade, ela nota que Jake fica diferente, e ele começa a se esquivar de qualquer pergunta relacionada a isso. Dentro da casa, tudo é muito limpo e agradável, mas ela se sente completamente desconfortável. Os pais dele são gentis, mas muito estranhos, e a aura da casa parece bem carregada.

Então, após o jantar ela resolve se afastar de todos e entrar sozinha no porão da casa, e acaba achando algumas telas com pinturas bem estranhas e surreais. O que essa casa e essa família escondem? Ela deveria estar ali? Tudo o que ela mais deseja é ir embora. Mas quando se encaminha para a saida, nota que o alçapão está trancado, o que é estranho, pois só pode ser trancado por baixo, e não tem mais ninguém ali com ela, tem? 


A namorada de Jake (o nome dela não é citado na obra) recebe diversas ligações de um número de madrugada, mas detalhe, do seu próprio número, e a voz do outro lado da linha parece sempre perdida, falando coisas até então sem sentido algum para ela. Muitas vezes ela vê um homem sentado numa praça perto da sua casa, sem fazer nada, só olhando em direção ao apartamente (o que para mim já é um sinal para mandar benzer a casa e sumir). Ela chama esses acontecimentos de O Chamado, e esconde a história de todos a sua volta. 

A trama é toda bem detalhada e trabalhada, ela te joga para dentro sem você ao menos perceber. O mais esquisito de tudo é que eu me senti meio claustrofóbica lendo o livro, a cada página eu esperava que algo ia aparecer ou acontecer, e já ficava com medo. Assim como a namorada do Jake, eu sempre sentia que tinha algo errado acontecendo. Principalmente porque entre alguns capítulos, nós temos uma ou duas páginas de uma conversa aleatória de duas pessoas falando sobre uma morte em uma escola, e aí meu cérebro já estava ali trabalhando para associar as duas histórias, o que só me deu mais medo kkkk.


Durante toda a trama, mas mais especificamente durante a viagem de carro, nós temos várias conversas filosóficas e reflexões bem interessantes. A namorada do Jake fica o tempo todo se perguntando sobre o sentido das coisas que acontecem com ela e sobre a vida, e quando eu percebia, já estava pensando sobre também. O Jake se faz bem presente em vários momentos, principalmente quando faz perguntas bem reflexivas para ela. 

O livro tem uma pegada psicológica fora do normal, e se você for louco como eu, que fica reparando em cada frase ao longo da trama para juntar tudo no final, vai ver que tudo tem muito sentido. Eu diria que a jogada psicológica do livro se assemelha bastante com a que temos em Alias Grace, da Margaret Atwood. É aquela coisa que brinca com a mente do leitor, e para você realmente perceber o que aconteceu, tem que até voltar alguns capítulos para perceber as nuances. 

Todas as mudanças de comportamentos dos personagens são muito sugestivas, mas você não consegue realmente dizer o que vem a seguir. Dentre essas mudanças, a que mais me assustou foi a do Jake, e nem de longe eu esperava o que iria acontecer no final. 


A trama toda não tem muita ação, mas todo o suspense contido nas páginas já vale dez vezes por isso aí. O desfecho da história me deixou extremamente boba, eu não esperava mesmo por isso. Eu sou apaixonada pela mente humana, e amo qualquer história que use dessa pegada psicológica, mas o jeito como o autor levou a história realmente me tirou do prumo, nunca li nada igual. 

A edição é em capa dura, a diagramação é simples e as páginas são amareladas, temos algumas páginas pretas, uma em cada começo de capítulo. O tamanho da fonte é bem confortável, e não me lembro de ter achado erros de revisão. 

Queria poder falar bem mais sobre o livro, mas um fio puxa o outro, e eu acabaria tendo que falar tudo para fazer qualquer sentido, e não teria graça. Se você está preparado para ter o psicológico completamente mexido depois da leitura, eu super recomendo o livro. É extremamente genial, sério, leiam!!



          Título: Eu Estou Pensando Em Acabar Com Tudo| Páginas: 222 | Autor(a): Ian                                                         Reid | Editora: Fábrica 231 | Ano: 2016



Comentários
1 Comentários

Um comentário :

  1. Tudo bem? Por diversas vezes eu comecei e parei esse livro. Comecei e parei. Não por ser ruim ou bom. Mas pela falta de tempo mesmo e quando eu finalmente consegui concluir esse livro senti aquela pontinha de raiva de não ter insistido umas horinhas sem dormir ou sem fazer alguma outra coisa para ter lido a mais tempo, pois achei a história incrível. Eu costumo curtir demais histórias assim. O suspense, com certeza vale por qualquer outra coisa. Eu amo um bom suspense de deixar o leitor agoniado, se descabelado para tentar desvendar os mistérios e com certeza, esse livro cumpre bem seu papel.
    Beijos.

    ResponderExcluir