[RESENHA] As Mulheres Tem uma Espécie de Magia #1: A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro


Oiii seus lindos, hoje é dia de falar sobre este livro que há tempos vem chamando a minha atenção, e que eu estava extremamente ansiosa para ler, mesmo ele não fazendo parte do tipo de livro que eu leio. Acho que já falei algumas vezes que não sou fã de poemas, não é em absoluto o tipo de livro que eu escolho para ler, mas A Princesa Salva a si Mesma Neste Livro chamou muito minha atenção, principalmente por causa de alguns quots que eu li por aí. Então sem mais delongas bora conferir o que eu achei deste livro amorzinho que foi lançado por aqui pela LeYa.

Combinando contos de fadas com a dura realidade contemporânea, este livro fala sobre resiliência e sobre como nós mesmos somos capazes de escrevermos nossos finais felizes (porque obviamente depende de cada um saber o que realmente o faz feliz), e também é uma obra que irá nos mostrar os percalços até que enfim cheguemos ao tão almejado felizes para sempre.

Eu tinha visto quots que continham falas feministas da autora, e foi isto o que mais chamou a minha atenção em um primeiro momento, mas eu esperava somente isto: uma história feminista na qual a princesa salva a si mesma e não espera nenhum príncipe encantado, só que é muito mais que isto, é uma história profunda, que aborda temas muito importantes e fortes e que te prende completamente.

Em um livro de 207 páginas (que poderia ter sido confeccionado facilmente em umas 100 páginas e economizado folhas, porque os poemas são curtos e as vezes as páginas tem 3 linhas centralizadas com umas 3 palavras em cada linha) mas ele é bem curtinho, e dá para ler em questão de uma hora ou menos, dependendo da sua velocidade de leitura, mas para ser bem honesta eu levei um pouco mais porque alguns trechos achei tão forte que precisei parar e analisar o que eu estava sentindo, refletir sobre aqueles temas e a profundeza do que estava implícito ali.

A gente acompanha a personagem desde muito nova, desde quando ela era somente uma princesa, passando por quando ela se torna uma donzela (em torno dos 19 anos) até que ela vira a rainha da própria vida, e passamos por cada etapa de sofrimento e amadurecimento, o que significa que acompanhamos o processo de evolução do: preciso ser socialmente e familiarmente aceita até o: meu mundo minhas regras, eu vou viver assim e salvar a mim mesma desta sociedade doente.

É de uma leveza e ao mesmo tempo de uma profundidade tão grande a história que eu me senti perdida em alguns momentos e completamente absorta na história em outros. Me surpreendi muito porque me envolvi bem com a história, mesmo tendo me perdido em alguns momentos e ficado com a sensação de que deixei escapar algo, ou que a autora iria escrever mais sobre determinada etapa da vida da personagem e aí acabou se perdendo no meio da frase.

Somos convidados a acompanhar nossa princesa em momentos difíceis como relacionamentos abusivos (tanto com o namorado quanto com a mãe, porque na minha opinião no início do livro a mãe força demais o estereótipo feminino na filha), distúrbios alimentares, luto, rivalidade familiar, busca por autoconhecimento e aceitação, dentre diversos outros temas que estão mais do que nas palavras escritas: estão nas entrelinhas que nos submergem e mostram conceitos que já estão no nosso subconsciente.

A edição está lindíssima, com esta capa bem fofinha, diagramação simples e folhas amareladas, não encontrei erros de revisão e a única falha para mim é realmente este número imenso de páginas que acredito serem desnecessárias (tamo precisando poupar árvores né? E aposto como teríamos poupado umas tantas se este livro não tivesse gastado tantas folhas com somente 9 palavras) de toda forma a edição está bem lindinha.

É uma história rápida, a escrita da autora é bem gostosinha, mas ao mesmo tempo é de uma profundidade sem igual e me surpreendeu muito, o que me fez querer dar chances para outros livros do tipo e em breve eu venho contar para vocês o que achei de A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro, que é da mesma autora e parece seguir o mesmo estilo.








Título: A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro Páginas: 207 | Autor(a): Amanda Lovelace  
Tradutor(a):  Izabel Aleixo  | Editora: LeYa| Ano: 2017



Comentários
6 Comentários

6 comentários :

  1. Cara, eu tô muito curiosa pra ler esse livro!
    Eu gosto muito dos temas que são abordados ali e também adoro poesia.
    Minha amiga leu esse livro e ela ficou muito impactada com a leitura, disse que foi uma das leituras mais pesadas e reflexivas que ela fez, isso só me faz querer ler ainda mais!
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Oiieee


    Desde o titulo, até a capa esta história me chamava a atenção, tb havia visto quotes bem legais do livro e fiquei animada em saber que é uma leitura rápida, gostosa, e que trata com leveza e sutileza uma história profunda e intensa. Adorei, adorei! Dica anotada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Eu sempre vejo esses livros disponíveis na Americanas. O título acredito que seja mesmo para chamar a atenção para a realidade da escrita. Por mais que não chame minha atenção, a gente consegue ver de cara a importância da existência do mesmo.
    Que bom que você gostou, e que tem mais um para continuar no clima da autora.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Eu já vi muitas pessoas elogiando esse livro e falando o quanto essa leitura foi forte. No entanto, confesso que não tenho muita vontade de ler. Como você, eu não curto poemas e dificilmente me interesso por livros deste gênero. Apesar de achar os temas abordados importantes e, até mesmo, dolorosos, não é o tipo de leitura que estou procurando no momento.
    No entanto, gostei muito de ler sua resenha e ver o quanto você gostou da leitura. Quem sabe em um outro momento eu não animo ler, né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Ainda não tive oportunidade de ler esse livro mas pelos elogios que tenho visto pela internet vale muito a pena. A edição está muito linda mesmo e traz uma reflexão bem importante. Gosto de poesias mas já tem um tempinho que não leio. Elas são uma forma de nos fazer pensar em diversos assuntos mas de um jeito diferente. Com certeza vai para minha listinha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  6. 'Em um livro de 207 páginas (que poderia ter sido confeccionado facilmente em umas 100 páginas e economizado folhas, porque os poemas são curtos e as vezes as páginas tem 3 linhas centralizadas com umas 3 palavras em cada linha)' essa é uma questão estética, se mudar, pode até mudar todo o sentido do livro, algumas coisas devem ser respeitas numa obra para que se tenha uma aproveitamento mais aprofundado, como na poesia concreta, o visual, a leitura visual, a construção visual está repleta de simbologia, se a gente muda, é outro livro, é outro texto, é outra ideia. Sobre o livro, quero muito ler

    ResponderExcluir