[RESENHA] As Mulheres Têm Uma Espécie de Magia #2: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro


Oii seus lindos, a resenha de hoje é sobre o segundo volume de As Mulheres Têm uma Espécie de Magia, um livro de poemas que me fez ter um novo olhar sobre o gênero (porque eu realmente não sou o tipo de pessoa que curte poemas), mas que acima de tudo me deixou no chão! A Bruxa Não Vai para a Fogueira Neste Livro é uma história forte, que possui diversos gatilhos (então quem possui algum problema com essas histórias já fique esperto) e que deixou meu coração em pedaços, mas acima de tudo me mostrou muito sobre diversos aspectos do mundo que eu “ignorava” por não ter vivido. Sem mais delongas, bora pra resenha para vocês conferirem o que eu achei desta obra.

Estamos muito acostumados a chamar uma mulher de bruxa para poder xingar ela, mas é preciso entender que ser uma bruxa não é algo ruim, Bruxas são mulheres capazes de incendiarem tudo ao seu redor. Amanda Lovelace utiliza neste livro de sua visão poética acerca das mulheres e as situações as quais elas estão expostas e precisam enfrentar diariamente, e para demonstrar a dor e o poder que as mulheres tem, ela se utiliza da figura milenar das bruxas.

Para quem se apaixonou com a escrita e os fatos tratados pela autora em A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro, podem esperar muito mais de A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro! Os temas abordados aqui são infinitamente mais fortes, como: relacionamento abusivo, estupro, opressão e diversas outras formas de violência. É uma obra escrita por uma mulher para mulheres, mas, acima de tudo, é um relato profundo e cru das relações humanas, que mostra como é importante nos igualarmos se quisermos um mundo melhor.

Eu demorei muito mais tempo para ler este livro do que o primeiro, mas não porque a linguagem da autora tenha modificado, é que algumas passagens são tão fortes e densas que eu simplesmente não conseguia seguir com a leitura. Foram necessárias diversas interrupções para que eu pudesse parar de chorar ou que pudesse digerir os relatos e a profundeza das emoções apresentadas no decorrer da história.

A autora trata com muita suavidade de temas extremamente importantes e ao mesmo tempo nos deixa extremamente próximos do sentimento sentido e dos tormentos passados, mas acima de tudo ela demonstra como é possível superar as adversidades e tragédias que acometem nossas vidas (e de quem passou por estas situações). Eu fui transportada por um mundo conhecido e ao mesmo tempo desconhecido para mim, e pude sentir a crueza de sentimentos que eu nunca havia sentido, mas que sei que infelizmente diversas mulheres sentem todos os dias.

O fogo purifica, é o maior ensinamento que esse livro me trouxe, porque o fogo é a força que existe dentro de cada mulher  e que quando ela descobre sua própria força ela é capaz de incendiar a tudo e a todos a sua volta, e a maior mágica: ela pode incentivar e se incendiar junto com outras mulheres, e isto é um poder pouco conhecido e menos ainda valorizado.

A edição dele é muito linda, com esta capa maravilhosa, folhas amareladas e só os escritos em vermelho que me incomodaram um pouco (o livro é vermelho por dentro também, o que implica em dizer que todas as palavras são escritas em vermelho) por conta do meu problema de visão, mas condizem perfeitamente com a história e todo o contexto.

Em resumo, a história é maravilhosa, tem que ser apreciada e não somente lida, mas com muito cuidado por conta dos gatilhos que podem ser ativados para quem já passou por alguma história semelhante as narradas. Eu queria falar muito mais, mas é uma história complexa e que me deixou em um emaranhado de emoções tão grandes que foi difícil escrever sobre, mas sinceramente tudo o que eu posso dizer é: Leiam este livro!









Título: A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro  Páginas: 208 | Autor(a): Amanda Lovelace  
Tradutor(a):  Izabel Aleixo  | Editora: LeYa | Ano: 2018


Comentários
5 Comentários

5 comentários :

  1. Amei a proposta do livro, quero muito ler :)

    https://www.submersaempalavras.com/

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem? Eu pulei algumas partes da sua resenha, pois estou com esse livro para leitura, apesar de não ter um prazo que eu tenha estipulado (leitura pessoal), mas estou bem curiosa, o primeiro volume me agradou muito e espero ter a mesma experiência nesse segundo volume.
    Estou ansiosa, mas tendo que estudar para as provas, não sei quando irei ler.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Por acaso tenho a mesma sensação que você quando falamos em bruxas (Que são algo maléficas e ruins) .
    Contudo e, conforme você explicou parece um livro cheio de "chapadas de luva branca" e pretende ensinar-nos algo e, podermos retirar boas lições !
    Beijinhos


    http://tudosoblinhas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Que resenha interessante, eu também não gosto muito de ler poesias, mas lendo a sua resenha fiquei interessada nessa história que tem algo a nos ensinar e fazer refletir né? Tenho vontade de ler esse livro e o outro também, sempre leio comentários bons a respeito!

    beijos!

    ResponderExcluir
  5. Eu venho desejando ler "A Princesa Salva a Si Mesma Neste Livro" e "A Bruxa Não Vai Para a Fogueira Neste Livro" desde que tomei conhecimento da existência dessas coletâneas, pois sempre fui apaixonada por poesia e sendo de temas tão importantes é ainda maior a minha necessidade de lê-los.

    Eu tive uma experiência parecida com a Rupi Kaur no livro "Outros jeitos de usar a boca", pois o livro me deixou no chão, mexeu profundamente com o meu emocional, então entendo bem a sua experiência com "A bruxa não vai para a fogueira neste livro". Vou comprar os dois livros juntos e quero lê-los de uma tacada só (embora saiba que isso vá me deixar em prantos), mas é que senão acabarei perdendo a coragem por medo de me emocionar demais.

    Livros que abordam assuntos tão sérios e que fazem parte da triste realidade de tantas mulheres precisam ser lidos.

    Bjs!

    ResponderExcluir